A primeira travesti a gente nunca esquece

Tenho fixação por travestis há muito tempo e, como todos que partilham desta fantasia, não sosseguei até poder realizá-la. Moro no interior de SP e não existem muitas opções para quem curte travestis, fora o receio que todos temos de sermos flagrados. Saí de um aniversário na semana passada por volta das 21h e resolvi dar uma passada em uma rua onde sempre costumam parar travestis.

Foi quando na terceira passada eu vi uma morena de 1,75m, vestidinho curtinho, por lá. Na primeira vez passei meio devagar, mas ainda hesitei. Decidi dar outra volta e neste momento vi um cara parado e ela conversando com eles. Pensei que tinha dançado e perdido a oportunidade, mas criei coragem e dei um tempo rodando e torcendo para que o carro tivesse ido embora. Ao voltar foi exatamente isto que aconteceu. Ela estava parada no mesmo lugar. Parei o carro, com o coração a mil, e abaixei o vidro dizendo: “Oi gata, entra”. Ela respondeu: “Oi, tudo bem? Só que eu sou travesti, ok?” Eu disse “Tudo bem”.

Ela entrou e comecei a conversar com ela para quebrar o gelo, eu estava hiper nervoso e ao mesmo tempo excitado. Fui para um motel de uma cidade vizinha com ela, peguei um quarto e assim que parei e ela foi abrir a porta eu me ofereci para fazê-lo. Ela deu um sorriso e ao mesmo tempo tasquei um demorado beijo de língua nela. Fomos pro quarto, tiramos as roupas e começamos a nos acariciar, pedi para que ela fizesse um boquete. Ela começou o oral mais delicioso que experimentei, nunca nenhuma mulher conseguiu sequer chegar perto.

Quando estava com o pau bem duro, pedi para ela ficar de quatro. Coloquei a camisinha e comecei a socar naquela bunda maravilhosa, macia e apertada. Ela rebolava e dava gemidinhos que me deixavam mais excitado. Como havia bebido, iria demorar muito para gozar e ela pediu para dar uma parada. Concordei e quando ela virou de costas com o seu pau de uns 15 cm durinho, eu não resisti e cai de boca, chupei a gata um tempão, deixando ela louquinha… Pedi na seqüência para fazermos um 69. Ela topou e quando estávamos no 69 percebi que ela estava dedilhando o meu cu. Como ela notou que eu estava curtindo, perguntou se eu queria ser penetrado.

Prontamente disse que sim e me virei de bruços enquanto ela colocava a camisinha. Chegou por cima, abriu minha bunda e começou a colocar. Apesar dela ter um pau não muito grande, nunca havia dado e no começo foi como se estivesse pegando fogo, comecei a gemer alto na hora. Isto deve ter a excitado, pois quanto mais gemia, mais ela socava e falava que eu era apertado. Depois de uns 5 minutos socando de bruços, viro de quatro para ela e começo a rebolar enquanto ela me enraba. A dor foi reduzindo e foi começando a dar prazer.

Depois ela pede para eu ficar de frango assado, coloco minhas pernas sobre seus ombros e ela soca com mais força ainda. Foi quando ela pergunta se poderia gozar dentro, respondo que sim. Ela vai aumentando o ritmo e me deixando doido de tesão, gememos muito até que sinto seu pau pulsar dentro da minha bunda. Nesta situação eu fiquei com o pau muito duro, coloquei uma camisinha e voltei a comer a bunda dela, gozei e fomos tomar banho juntos enquanto ficamos nos beijando. Levei-a de volta, ela me deixou o seu telefone e pediu para que eu ligasse.

Deixe um comentário

CAPTCHA