A falsa Santa

Fui trabalhar em um projeto educacional em uma cidade do interior. E quando chega gente de fora em cidade do interior, não falta sexo. Comi muita gente, as mulheres do projeto também comeram a vontade… Um vereador da cidade, um dos líderes do projeto vivia chamando alguns professores para almoçar ou jantar na casa dele. Era sempre a mulher dele quem nos recebia. Ela sempre olhava para nós primeiro na


altura da cintura e depois olhava no rosto da gente. Ele muito atarefado sempre saia antes de terminar e ficávamos com a esposa e dois filhos adolescentes do casal. Era a mulher exemplar aos olhos de todos e no fim do projeto, perto de voltar pra minha cidade estava indo para o local das aulas quando um carro parou e era ela, a mulher do cara. Ofereceu carona. Ela perguntou sobre minha família, outros trabalhos e disse que tinha sonhado que eu estava bebendo com ela, só nós dois. Eu disse que poderíamos marcar e realizar esse sonho. Seguimos com contato pelo msn na época e quase dois anos depois eu disse a ela que a única coisa que me arrependia era de não ter investido nela. Ela disse que amava o marido mas que ele era muito ausente. Então começamos a falar de sexo, um dia me masturbei enquanto ela olhava pela câmera, depois ela passou a mandar fotos, mas só de calcinha. Quando eu a conheci eu tinha 25 anos e ela tinha 38. Combinamos que sairíamos no dia do aniversário de 40 anos dela. Sai de casa cedo e fui até a cidade dela. A peguei e ficamos em um motel fulera da cidade vizinha. Quando ela tirou a roupa eu pude ver aquele corpo gostoso, ela usava calcinha preta e estava se sutiã, os seios dela eram fartos! Comecei por eles… A mulher era mesmo mau comida porque só de ser lambida gozou… Eu tirei minha roupa e ele fez um boquete enlouquecedor. Depois eu a botei na cama com o rabo pra cima, e fui retirando a calcinha dela que gemia. Quando terminei de tirar ela ficou mexendo o rabao lindo. E eu disse: como é que teu marido não te dá o que você merece! A putona me disse: então me dá o que mereço! Eu sou uma puta e quero ser tratada como uma, caralho! Para enlouquecer a vagabunda, eu passei a mão no bucetao dela que se virava e revirava. Depois peguei ela pelos cabelos, dei tapas naquela bunda linda e soquei o cacete nele. A vagabunda gritava, me chamava de cachorro e gemia de prazer. Depois ela sentou no meu pai e rebolou muito em cima dele. Quando tudo terminou eu disse que a gente poderia marcar outros momentos. Ela não teve mais coragem, vejo ela e a família nas redes sociais mas sei que por trás daquela imagem de santinha, recatada e do lar, tem uma vagabunda que amou trair o marido

1 comentário sobre “A falsa Santa

Deixe um comentário

CAPTCHA