Massagem tântrica

  Eu estava nervosa quando entrei na clínica. Nunca tinha feito uma massagem tântrica antes, mas a curiosidade e a excitação me impulsionaram a tentar. As histórias que ouvi e os relatos que li me deixaram intrigada, mas também um pouco apreensiva. Ao ser recebida na recepção por uma mulher gentil e acolhedora, senti um alívio. Ela me conduziu a uma sala lindamente decorada, com velas aromáticas e uma música suave tocando ao fundo. O terapeuta que estava ao lado da maca veio me cumprimentar. ─── Prazer em conhecê-la,  Lauren. ─ Ele diz, estendendo a mão para segurar a minha e depositar um beijo no dorso. Henrique, como se apresentou, tinha um físico atlético e bem cuidado, com músculos definidos por baixo do jaleco que denotavam força e vigor. Seus cabelos claros caíam de

forma despretensiosa sobre a testa, emoldurando seu rosto angular, com traços marcantes e uma barba bem cuidada que realçava sua masculinidade. Seus olhos eram profundos e expressivos, transmitindo calma e confiança. Sua presença era envolvente, e eu não pude deixar de notar a forma como ele se movia com graça e precisão enquanto me explicava o procedimento da massagem. Após ele explicar todo o procedimento com delicadeza, a recepcionista saiu e ele deixou à vontade para me despir e me deitar na maca, coberta por um lençol macio apenas sobre a bunda.  ─── Vou passar o óleo… ─ Avisou. Eu sentia meu corpo tenso, ansioso pelo toque que sabia que viria.

     Ele começou de forma suave, suas mãos quentes deslizando sobre minha pele, cada movimento calculado para despertar sensações profundas dentro de mim. Fechei os olhos, permitindo-me relaxar completamente, entregando-me à experiência. Seus dedos habilidosos encontraram os pontos de tensão sobre meus ombros, massageando-os com precisão, descendo por minhas costas até o começo da minha bunda e voltando de novo, fazendo-me gemer baixinho de alívio. Ele parecia entender exatamente o que meu corpo precisava, seus movimentos fluíam com uma naturalidade que me deixava ainda mais impressionada. Cada toque era como uma nota em uma sinfonia de prazer, e eu me permitia mergulhar mais fundo nessa melodia. À medida que ele avançava, sua massagem tornava-se mais ousada, mais íntima. Suas mãos deslizavam com facilidade sobre minha pele, explorando cada centímetro das minhas costas, braços e pernas de uma maneira que me deixava arrepiada e ansiosa. Eu podia sentir meu corpo respondendo ao seu toque, a tensão se transformando em uma onda de excitação que me consumia por inteira.

     Quando suas mãos desceram até o começo da minha bunda novamente, eu não pude conter um suspiro de prazer. ─── Permite? ─ Henrique pediu, referindo-se em tirar a toalha que me cobria. Eu balancei a cabeça que sim, então ele o fez. Ele massageava aquela região com uma habilidade surpreendente, seus dedos encontrando os pontos certos para me fazer gemer baixinho, entregando-me ao prazer que ele me proporcionava. Deslizando os dedos pela parte interna das minhas coxas, subindo pela minhas nádegas, pressionando suavemente o local entre o polegar e indicador, seguindo o percurso por entre minha cintura e encostando nas laterais dos meus seios que acabavam ficando sobressalentes  por eu estar de bruços. ─── Pode virar pra cima. ─ Henrique diz ao afastar suas mãos e eu viro, não me preocupando em me cobrir, ficando com os seios e minha buceta lisinha totalmente expostos. Ele espalha o óleo aquecido pelas suas mãos sobre minha pele, deslizando com facilidade, deixando um rastro brilhante e sedoso, criando uma sensação quente e escorregadia. Sua expressão é de admiração enquanto observa cada centímetro do meu corpo exposto à sua frente. Ele desliza suas mãos sobre meus seios, massageando-os com

delicadeza e atenção, fazendo-me arquear levemente as costas de prazer. Seus dedos encontram meus mamilos, brincando com eles suavemente, fazendo com que eles se contraiam e se endureçam sob seu toque. Eu me contorço sob seus cuidados, sentindo um calor crescente se espalhar pelo meu corpo. Sinto seus dedos escorregarem pela minha barriga, chegando lentamente pela minha vulva, e minha respiração se torna mais pesada de antecipação. Fecho os olhos para aproveitar o momento. O homem volta a massagear a parte interna da minha coxa, estimulando a região ao redor da minha xota até tocar os grandes lábios, ele  sabe exatamente como me tocar, como me fazer desejar mais. Eu me sentia completamente à mercê dele, meu corpo respondendo a cada estímulo de uma forma que eu nunca havia experimentado antes. Aquela massagem estava despertando sensações e desejos em mim que eu nem sabia que existiam, e eu me deixava levar, sem reservas, pela experiência única que ele me proporcionava.

      Ele deixa escapar propositadamente um dedo pelo meu clitóris, dando uma dedilhada rápida na minha entrada,  como se tivesse me testando para saber como eu iria reagir. Não o impesso, pelo contrário,  arqueio minhas costas e abro minhas pernas, pedindo por mais. Mediante a carta branca, ele avança, seus movimentos tornam-se mais intensos, mais íntimos, desvendando cada pedacinho do meu interior, despertando sensações que eu nem sabia que existiam. Na laterial da cama, ele se inclina sobre mim. Sua proximidade, sua respiração quente contra meu pescoço, tudo contribuía para aumentar meu desejo, minha necessidade de mais. Seus dedos me preenchiam prazerosamente, socando bem no meu ponto G, enquanto apertava meus seios e aumentava a velocidade das investidas. ───Isso… continua,  por favor… ─ Imploro, entregando-me completamente àquela experiência, perdendo-me nas sensações

que ele despertava em mim em cada toque, cada carícia, era uma nova descoberta, uma nova onda de prazer que me inundava por inteira. Eu gemia seu nome, incapaz  conter a avalanche de sensações que me consumia. Ele parecia conhecer cada parte secreta do meu corpo, cada ponto de prazer, e não tinha pressa em explorá-los um a um, levando-me cada vez mais perto do êxtase. Eu me contorcia sob suas mãos, pedindo por mais e mais, desejando que aquele momento nunca acabasse. E então, quando eu pensei que não poderia suportar mais um segundo, ele me levou ao clímax, fazendo-me gritar de prazer, meu corpo arqueando-se em êxtase, minhas unhas agarraram o lençol firmemente, eu senti uma grande quantidade de líquido escorrer da minha buceta. Foi como se eu tivesse sido

transportada para outro mundo, um mundo de pura sensação, onde só existia o prazer e a entrega total. Ele continuou a me acariciar suavemente, trazendo-me de volta à realidade aos poucos, seus olhos cheios de ternura e satisfação. Eu o olhei nos olhos, sentindo-me completamente vulnerável e completamente satisfeita ao me dar conta que havia tido meu primeiro squirting. Algo que eu jamais achei que conseguiria experimentar algum dia. Aquela massagem tântrica tinha sido mais do que eu poderia ter imaginado, uma experiência que eu jamais esqueceria.

1 comentário em “Massagem tântrica”

Deixe um comentário