Fazendo massagem prostática

Estava indo muito bem o intercâmbio na faculdade e o intercâmbio sexual com o professor emerson, mas eu estava achando que poderia aproveitar mais essa viagem. Claro, que pensei isso depois de ser assediada pelo John, coisa que eu adorei e enxerguei possibilidades.

John não se importa de eu ter comido com o Emerson e um dia a gente tava bebendo jogando conversa fora no quarto dele quando ele me olhou sério, aí eu pensei: hoje eu chupo essa rola! mas pra minha surpresa, ele me diz que tem um segredo que não poderia confessar pra mais ninguém e espera que eu possa ajuda-lo e como sou bem safadinha não iria julga-lo. Minha curiosidade foi só aumentando e várias coisas se passaram na minha cabeça até pensei em um ménage, mas ao invés de me falar, entregou-me um artigo pequeno sobre massagem prostática (what?). Quando terminei de ler, abri um belo sorriso e disse: só isso? temos possibilidades, mas quero pensar em uma cena com você, falei isso enquanto massageava o seu pau com o pé já que estávamos sentados de frente um pro outro. Vamos marcar amanhã o nosso encontro do prazer, falei eu com uma voz rouca de quem estava ficando excitada, já que ele começou a chupar meu peito. Levantei me de pressa quebrando o clima, pois a expectativa é a alma do negócio!

No dia seguinte, na hora marcada a campainha toca e eu abro a porta apenas de robe de seda vermelho sem nada por baixo, uma taça de vinho tinto na mão e um olhar provocante de sedutora. Ele se transforma quando olha pra min e antes que diga algo, agarra meu cabelo, aperta me contra ele e me come em um beijo louco de prazer que posso sentir seu pau pulsando nas minhas coxas, grosso e quente. enquanto empino os peitos para ele agarrar com a boca ao mesmo tempo que andamos para a cama. Ele começou a tirar a roupa e quase gozo só de olhar pro pau dele, como era grosso, pulsante, clarinho com a cabeça brilhando e bem rosinha, o mais grosso que já vi na vida. caralho, deve ficar muito apertadinho se ele comer meu cú! Aproveitando o momento de separação, retomei o controle da situação e falei que ia fazer a massagem primeiro. Ele se deitou na cama de barriga pra cima, eu peguei o óleo na mesinha de cabeceira, ajoelhei-me nas sua perna, esfreguei o óleo na mão, peguei seu pau que batia no umbigo e comecei a masturbação, lentamente, subindo e descendo, depois aumentando o ritmo e de repente parei, levantei, tirei o robe, joguei no chão, voltei para a posição inicial, passei óleo nos meus seios, acariciando devagarinho, brincando com o mamilo, um de cada vez e ele me olhava e ofegava a cada beliscão que eu dava no mamilo. Ele tentou me tocar, mas eu o interrompi e voltei para a massagem da piroca grossa. Dessa vez desci um pouco mais e enquanto punhetava o pau, chupava as bolas como se fossem sorvete! Ele começou a gemer mais forte e então cai de boca na rola e levei o dedo para o cuzinho dele, mas só circulando a entradinha e dando uma forcadinha na portinha apertada ao mesmo tempo em que o engolia, a ação era simultânea, quando ia até o talo no pau, era o momento de forçar o cú. Peguei o lubrificante que saiu da minha buceta com dois dedos e voltei para tentar comer o cú dele. Não parei o boquete em nenhum momento e introduzi no cú dele um dedo, depois o outro e deixei lá sem fazer nenhum movimento para ele se acostumar. Montei nele sem tirar a mão do seu cú e comecei a cavalgar, com uma mão apoiada na cama pra trás e ficamos assim até que ele estava muito relaxado, comecei a movimentar os dedos pra dentro e pra fora, então toquei a parte superior do seu rabo que se encontra a próstata e ele deu um urro de prazer e começou a gozar em mim sem parar, aquele jorro quente em mim, me fazia massagear cada vez mais o seu cú até que chegou uma hora que a porra acabou e eu parei.

Para me recompensar, deitou me na cama depois de recuperar a respiração, sentou-se na minha frente e abriu as minhas pernas com as mãos, desceu a té minha buceta, me agarrou por baixo da bunda, deu uma mordidinha na minha coxa, que me fez arrepiar toda, soprou meu grelo, lambeu devagarinho de cima pra baixo até a entrada da xereca, enfiou a língua, subiu novamente e chupou meu grelo todo como se fosse bala que até estalava na boca, enquanto eu me agarrei com seu cabelo e cada vez que gemia, puxava, achei que ele ia arrancar um tufo. Que delícia de sensação, ele me fodendo com a boca, depois enfiou o dedo indicador em mim enquanto o polegar massageava meu cú, me relaxando toda até que ele subiu para meus peitos com uma boca quentinha, lambuzada da minha excitação e voraz. me penetrou com aquela piroca da cabeça grande e eu quase gozo só da estocada rápida com que ele entrou sem piedade, achei que ia ser arrombada, mas por um pau maravilhoso. Caralho, Puta que pariu, eram únicas coisas que conseguia falar enquanto aquele cara me fodia toda e eu gozava, pois não consegui ser arrombada por muito tempo sem gozar. Era grande, duro e enérgico. Um caralho bom pra caralho.

John, John, John, que cara maravilhoso você se mostrou. Acho que agora aprendi tudo que o Canadá poderia me ensinar em um intercâmbio.

Deixe um comentário

CAPTCHA