Minha namorada e o bar do Tião

Para quem não se lembra, a descrição dela está nos contos anteriores. Nessa época, meus primos e tios viviam levando minha namorada para passear.

Diversas vezes quando ia com ela para a casa de algum deles, ou eles me pediam para comprar alguma coisa ou levavam minha namoradinha até o mercado. Eu não ligava, afinal, quero que ela tenha uma boa relação com todos os meus familiares.

Porém acabou que se tornou rotina, todos os finais de semana que ia para a casa dos meus tios, eles me mandavam até o bar do Tião comprar cerveja.

– E ai muleke, todo fim de semana você aqui, ta virando cliente fiel hein.

– Pois é Tião, vim comprar uma cerveja para meus tio e minha namorada.

Tião deu um sorrisinho do canto de rosto e como sempre, me chamou para uma partida de Totó. E lá se foram quase 40 minutos. Era de praxe, eu entrava no bar e o Tião fazia de tudo para me distrair e não me deixar voltar para casa.

Após um tempo decido ir embora, com as cervejas.

Ao entrar no portão eu fiz logo muito barulho para perceberem que e havia chegado.

Teve uma vez que cheguei em casa fazendo pouco barulho e acabei vendo minha namorada e o ex dela em baixo do chuveiro. Ela lago desconversou e disse para eu não tratar ele mal pois estava ali fazendo um favor. Nosso chuveiro havia queimado.

Deixei minha namoradinha com o ex dela no chuveiro e fui lavar as vasilhas que estavam enchendo a pia. Quase 1 hora depois eles sairam, o ex dela estava com as roupas secas, provavelmente teve que tirá-las para trabalhar e Rúbia foi direto para o quarto.

-Falou ai sócio, consegui arrumar seu problema lá, tava só precisando dar uma prensada boa!!!

-No chuveiro né? – Perguntei.

– KKKKKKKK isso ai, até mais.

Eu estava uma pilha de nervos mas logo me acalmei e vi que realmente era apenas um amigo nos ajudando.

Voltando ao conto em questão novamente, Tião sempre dava um jeito de me distrair e eu agarrava no bar dele até altaaas horas

Minha namorada por sinal, adorava quando eu saia de casa e deixava ela com meu primo ou com meus tios, mas certo dia ela decidiu ir comigo até o bar do Tião.

Meu tio na mesma hora disse que nos acompanharia.

Ao achegar no bar, meu tio e Rubia que estavam muito próximos ficavam brincando de dar tapas na bunda um do outro, na verdade apenas meu tio que dava tapa na bunda dela, quando ela tentava dar um nele, ele a prensava contra a parede, a segurava pelo cabelo e ficavam naquela sarração inocente de tio e namorada do sobrinho que ele tanto ama.

Era lindo vê-los brincar.

Tião avistou nós três assim que entramos no bar e ele já saiu logo de onde estava e veio nos abraçar (coisa tal que ele nunca havia feito).

-Você deve ser a Rúbia, disse Tião apertando minha namoradinha em seus braços.

Tião era um negão de 1,80 de altura, uma barriga um pouco saliente por conta do chopp, beirando os 38 anos.

– ai que abraço forte Moço.

Tião a levantou do chão enquanto a abraçava e meu tio começou a estapeá-la na bunda, isso tudo na minha frente, eu preferi não fazer nada pois a Rúbia estressava comigo quando tinha meus ataques de ciumes. Tião na tentativa de proteger minha namoradinha dos tapas do meu tio, desceu as enormes mãos dele até a bunda dela e a segurou para troteger. Rúbia este dia estava com um vestindinho que normalmente já mostrava a polpinha da bunda, e naquela posição, todos no bar estavam vendo a calcinha de renda rosinha dela, enfiada naquele bundão branco que ela tem.

Tião a segurava praticamente na pele, o vestido havia subido totalmente. Pensei até ter visto Tião abrindo a bunda dela com as mãos, mas foi muito rápido, acho que foi coisa da adrenalina.

Após esse longo abraço, Tião colocou ela no chão e Rubia foi em direção a uma mesa, seguida por meu tio e eu em seguida.

Ao passar pelo Tião ouvi ele dizendo.

-Putinha gostosa do caralho, já me deixou durão.

Ele falou baixinho e chamou meu tio em um canto.

Enquanto isso eu segui com Rúbia para a mesa que ela escolheu e ficamos esperando o atendimento de Tião.

Beijei minha namoradinha e percebi que varios homens das mesas ao lado olhavam para nós dois e riam, alguns faziam sinal de chifres com as mãos.

Rúbia nem ligava, ela ria de volta para eles e sinalizava também. Eu acabei ficando sem graça e abaixei a cabeça enquanto aqueles homens ficavam zoando.

Olhei rapidamente ao redor e vi que só tinha minha namorada de mulher naquele bar.

Aguardeeeem que tem muita coisa por vir.

Mulheres que queiram se relacionar com um corninho, me mandem e-mail e lá trocaremos maiores informações para nos conhecermos melhor. Aguardo o contato de vocês.

[email protected]

passei por diversas coisas esses dias, inclusive eu e Rubia terminamos.

Continuarei contando as histórias que criamos no nosso tempo de relacionamento.

Se alguma mulher estiver afim de um corno bem mansinho para cuidar dela enquanto se diverte com machos alfas, me mandem e-mail.

[email protected]

Sou bonito, moreno e beem mansinho como todos aqui sabem.

Agora vamos voltar ao caso Rúbia.

Deixe um comentário

CAPTCHA