A primeira traição sendo bem fudida

Fazia anos que não via o Neto, foi ele o responsável por eu ter perdido a virgindade, temos 17 anos de diferença, mas sempre tive o maior tesão por ele, e por isto mesmo não estando namorando eu fui, pedi para ele me tirar a virgindade, foi uma delícia, na hora não sangrou, mas depois passei uma semana sangrando muito hehe. Ficamos longe 10 anos, eu namorei,casei, mas nunca esqueci o Neto, e durante estes 10 anos, eu não dei para ele,mas sempre que ele me ligava saíamos para tomar um mate, e eu deixava ele me arrepar gostoso, na maioria das vezes eu estava namorando, mas não deixa ele me comer, eu não dava, e íamos para lugares ermos, locais para que ele me pegasse,mas depois quando tava doida pedia para ele parar, e talvez por isso tenhamos ficado 10 anos sem se ver. Meu casamento em crise, sexo muito comum, sem emoções fortes, até que um dia depois de tempo entrei no “finado” MSN, e ele estava on-line, resolvi chamar para saber da vida, me disse que estava casado, mas que o casamento tinha poucas emoções, também falei que estava casada e que o casamento tbm não ia lá estas coisas, disse que estava com saudades, que

queria conversar, falei o mesmo, e minha xotinha já começou a molhar lembrando do pau que me tirou a virgindade. Começamos a pensar em um local que pudéssemos nos encontrar, falou em irmos à praia, mas achei bem arriscado, me convidou para nos encontrarmos em uma rua com pouco movimento, e foi ai que eu na minha real ingenuidade sugeri que fossemos tomar um mate( chimarrão) em um motel, claro que ele topou na hora. Eu realmente não tinha intenções de transar com ele, a minha intenção real era tomar um mate e conversar, visto que sempre nos demos muito bem. Marcamos em um dia a tarde, pois eu trabalhava apenas pela manhã, então combinamos que deixaria meu carro no Supermercado Big, e iríamos no carro dele, pois eu achava que o carro “dele” entrando em um motel seria mais tranquilo, imagina um conhecido passar bem na hora que estávamos entrando no motel, além do mais ele disse que tinha um gol branco, carro bem comum, e com insulfilme. No dia marcado acordei diferente, não sei explicar,era um mistura de emoção,tesão e muito muito medo, pois até este dia eu não havia traído meu marido, era uma “guria comportada”( rsrs), meu marido sairia cedo para trabalhar e eu iria trabalhar e depois como de costume quando ele não estava na cidade iria almoçar com minha mãe. A manhã demorou a passar, eu não conseguia me concentrar, só pensava em como seria, em como ele estaria passados anos sem vê-lo. No horário marcado entrei no estacionamento do Big, e logo vi o gol branco e o Neto, estacionei ao lado, e passei para o carro dele, e já veio me dando um beijo no rosto, estremeci, respondi dando-lhe um beijo e pedi um abraço, e logo depois pedi que saísse dali, que eu estava nervosa. Pegou a estrada em direção a praia, disse que se fossemos no motel “Corpus”,pois teríamos menos risco de sermos vistos, e fomos conversando amenidades, eu reparando no cabelo que já estava ficando grisalho, acho um tesão, nos lindo olhos verdes que ficam mais lindos ainda em contraste com a camisa branca, a cala justa…nossa, estava um tesão, parecia mais gostoso que antes, e eu já estava louca para dar um beijo naquela boca grande e carnuda, na verdade eu queria muito mais, mas não podia, estávamos os dois casados. Entramos no motel, ele pegou a matera (bolsa de couro onde transportamos o mate) e uma sacola de supermercado, assim que entramos no quarto ele disse que trouxera o mate para mim, mas que iria tomar cerveja. Alcançou o mate e abriu uma cerva, me sentei na cama e ele em uma cadeira, e assim que terminei o mate ele me pediu um abraço, me abraçou gostoso de pé, e logo procurou minha boca, disse que não, que não era certo, que havíamos ido até lá apenas para conversar, mas não resisti e deixei a boca invadir a minha, logo depois trocávamos beijos apaixonados, um beijo gostoso me deixa louca, com ele encostado-se à parede eu o beijava muito, e foi quando me virou, começou a beijar meu pescoço e passou a mão na minha bucetinha, disse que eu estava mais linda, que estava um tesão e que me queria muito, virei para ele e disse que não era certo, e me sentei na cadeira, chegou perto de mim que servia um mate, me ofereceu uma cerva e quando fui pegar me puxou pela mão, me colocou de frente para a parede e começou a me encoxar, senti a pica dura na minha bundinha, tentei me virar mas não deixava, e começou a me bolinar, e eu comecei a mexer, me virou abriu minha blusa, baixou um lado do sutiã e começou a chupar meu seio, eu dizia que não que não podia, mas me dizia que não ia meter em mim, só me sentir, beijar, e eu de frente para ele, encostada na parede passava a mão nos cabelos, até que me tirou o sutiã jogando-o no chão, e começou a abrir o botão da minha calça, abriu o zíper, baixou minha calça e foi tirar minha calcinha, não deixei, mas tirei a camisa dele, beijei o peito, pedi para que tirasse a calça,tirou e me colocou de novo de frente para a parede, e me encoxou, o que separada nossos corpos era minha pequena calcinha e a cueca, senti a pica dura encostada na minha bunda, e com os olhos fechados comecei a mexer gostoso, e foi quando senti a pica entre minhas pernas, eu sai daquela posição, fugi,disse que não podíamos, perguntou se eu não queria, disse novamente que “não podia”, e me empurrou para a cama, deitando em cima de mim, eu já sem forças para evitar, e começou a me beijar toda, até que beijou minha bucetinha por cima da calcinha, abaixou e deu uma lambidinha na bucetinha, abriu chupou meu grelo e deitou ao meu lado, nossa . . . comecei a beijá-lo na boca de forma frenética, até que me puxou para cima dele, e continuamos nos beijando, só que agora eu sentia o cassete duro como pedra de encontro a minha xotinha coberta pela pequena calcinha,não me contive, fui abaixando, beijando o peito e baixei a cueca, fiquei de 4 em cima da cama, e passei a língua no pau,nossa que cheirinho gostoso, gostei tanto que não me contive,esqueci do casamento e chupei a pica dele com vontade, mamei gostoso, não conseguia enfiar todo na boca, mas tentei, mordi de levinho a cabeça, lambi da base até a cabeça, ele me puxou e fiquei em cima, começando a roçar a minha xaninha contra a piça, a calcinha já ensopada, foi quando pediu para eu colocar a calcinha para o lado e roçar a bucetinha na pica, acho que hipnotizada eu fiz, e rocei…rocei…até que avisei que ia gozar, comecei a gemer e me contorcer, me puxou,me beijou e senti a cabeça da pica fazendo pressão nos meus lábios vaginais, em um ato de bravura e tomada pelo medo, tentei sair e acabei virada de costas em cima dele, me pegou forte, eu achava que assim não entraria,e apertei com as pernas o pau, e o safado se livrou,conseguiu apontar para a minha buceta e quando dei conta a cabeça já estava dentro,e eu mexia alucinada,foi quando ele levantou o tronco e me fez sentar …nossa a piça entrou no fundo tocando meu útero,rebolei até que me dei conta, e sai, me segurou pelos cabelos,ficou de pé na cama comigo de 4 na cama e disse que queria gozar, nunca ninguém havia gozado na minha boca, mas cai de língua, de boca e mamei gostoso e quando senti que ele ia gozar,tirei a boca e bati uma punheta, a porra saltou nos meus cabelos, nos meus seios e ele fez questão de esfregar dizendo: – volta assim para o teu corninho minha puta. Pedi para ir embora, já era tarde, disse que não havíamos nos comportado e que não teria outra vez. Peguei o carro sem me despedir,tonta,alucinada de tesão e mal andei a terceira quadra entrou uma sms dizendo que queria me ver de novo, eu extasiada de tesão apenas respondi : Eu também, podes amanhã? Cheguei em casa, corri para o banho, e quando o sabonete deslizava no meu corpo me masturbei, gozei gemendo muito, e foi quando ouvi meu marido dizendo: – Cheguei meu amor. Sai do banho me sentindo puta,suja,imunda, mas abri uma cerveja e quando meu marido foi para o banho, mandei uma sms dizendo: TO LOUCA PARA TE DAR, QUERO VC NO FUNDO DA MINHA BUCETA…DA MINHA ALMA

Deixe um comentário

CAPTCHA