Ganhando experiência com a sogra

Olá pessoal me chamo Ricardo Júnior porém sempre me chamaram de Juninho esse caso que quero contar eu tinha apenas 18 anos justamente no ano em que perdi a virgindade mas eu ainda era muito inexperiente e estava namorando a minha segunda namoradinha que tinha 15 anos e por sinal era muito gostosinha, pretinha magrinha usava um aplique nos cabelos que a deixava linda, mas não é dela que quero falar eu sou moreno mais pra mulato1,73 de altura e na época era bem magro mas com as pernas grossas por jogar muito futebol, minha namorada era afilhada da minha vó e eu morava com essa vó eu lembro que era época de carnaval e minha vó convidou minha namorada e sua mãe pra passar o carnaval lá em casa pôs tinha um coreto muito bom no meu bairro e elas aceitaram, como tinha elas mais duas amigas e dois amigos da minha vó ela dividiu o pessoal homens dormiam na

sala e mulheres no quarto e como eu dormia de cueca quando acordei dobrei um lençol e enrolei na minha cintura como se fosse uma mini saia e fui ao banheiro quando passei pela cozinha lá estava minha sogra uma preta linda, 33 anos, seios médios e firmes e uma bunda tamanho médio mas dura de fazer inveja a muitas garotinhas, tinha +ou- 1,60m de altura pernas grossas e não tinha barriga gente que gata,
Quando ela me viu na cozinha de mini saia improvisada ela olhou e disse:

– Juninho é isso tudo mesmo?
-eu: isso tudo oque Paula para de bobeira
Ela: – você tá muito gostosinho
Eu: deixa a Aninha saber que a mãe dela tá dizendo isso pra mim
Eu pensei que era brincadeira mais, não ficou só nisso, na hora do almoço todo mundo a mesa eu sentir um pé na minha perna dei uma olhada e percebi que era o pé da minha sogrinha que olhou pra mim é mordeu os lábios, anoite fomos todos para o coreto resolvi deixar o pessoal lá e fui na casa do meu primo vestir uma causa que eu tinha deixado lá quando voltei procurei a galera mas só achei minha sogra ela disse que sabia onde tava o resto do povo porém se eu quisesse poderia dá uma saída com ela eu larguei falta de grana mas ela disse:
– você não tem dinheiro mas tem a chave de casa e se todos estão aqui em casa não tem ninguém eu fiquei nervoso pela falta de experiência mas mesmo tremendo e com frio na barriga aceitei a proposta, fomos pra casa eu pensei em chegar e logo pegar uma lata de cerveja pra me acalmar, abri a porta e fui na direção da geladeira quando abri a geladeira sentir minha sogra me abraçar por traz de forma que suas mãos passaram por baixo dos meus braços e arranhavam meu peito e disse que me queria de cara limpa, me levou para o quarto me jogou na cama arrancava minha roupa como uma tarada deitou por cima de mim me beijando a boca ardentemente e descendo beijava meu pescoço, peito é barriga e aí ela começou tira a blusa me deixando louco com aqueles lindos seios, tirou a bermuda e fez questão de me mostrar aquela bunda linda e firme quando eu ia elogiar ela disse cala a boca garoto tira a minha a minha langerry um fio dental preto que só tinha o triângulo da frente eu tirei e então ela me empurrou na cama novamente e caiu de boca na minha Piva de 18 cm ela mamava de um jeito que eu não tinha visto mamava e cuspia na cabeça e manuseiava a caceta de um jeito que sua saliva fazia um espuma no meu pau, depois começou a mamar minhas bolas e aquilo me deixou louco, levantava minhas pernas e chupava meu saco eu gemia de mais totalmente entregue e gritei mais ainda porque ela chupando o saco desceu e começou a chupar também meu cu passando a língua quente e molhada no meu cu e dando umas estocadas com a língua eu gritava igual um louco
Tive que empurrar ela pra tentar um pouco de domínio dessa vez ela permitiu caí de boca naquela buceta linda ,negra e muito bem depilada, chupei com muito gosto porque era uma cota muito cheirosa aí ela começou a gritar porque gozou na minha boca duas vezes aí eu pratiquei a mesma covardia dela comecei a chupar aquele cu sugar e enfiar a língua e um dedo inteiro no cu dela e cuspia e meti a o dedo depois aumentei pra dois dedos ela gritava igual uma louca, pedindo me come porta no calor daquele tesão puxei ela pelo cabelo dei um tapa na cara dela e mande ficar de quatro aquela cota toda melada foi muito fácil empurre o de uma vez só fiquei com bastante violência puxando pelo cabelo e com a outra mão dando tapas na bunda bem forte cada palmada ela ia a loucura gozou de novo no meu pau dessa vez quando senti ela gozando meti dois dedos no cu ela começou pedir pra eu tirar o dedo quando tirei ouvi ela pedindo bota essa pica no meu rabo, ela gritou quando passo a cabeça tirei é dei uma boa cuspida empurre de novo ela deu outro grito mas aí eu não tive paciência e empurre o tudo ela me pingava de filho da puta mas pedia pra socar a medida que eu cuspia o cisão dela foi perdendo a resistência aí eu pedi pra ela fazer a posição do frango assado porque eu tinha visto num filme e gostei ela ficou na posição eu parecia uma rã metendo naquele cu naquela posição ela gritava muito dizendo come esse cu filho da puta eu disse a ela vou encher esse cu de porta começei a gritar ela deu u pulo meteu a boca no meu saco um dedo no meu cu e ajoelhada pediu que eu jogasse a porta na cara dela, é quem sou eu pra desobedecer? Ela passava os dedos no rosto empurrando a porta pra boca.
É assim foi a minha vida com minha sogrinha no dia seguinte tudo foi descoberto perdi minha namoradinha mas ganhei muita experiência.
Um forte abraço.

Deixe um comentário

CAPTCHA