Fazendo Sexo no escuro com desconhecida

Olá pessoal, venho falar um pouco de uma experiência que tive a um tempo atrás, em uma reunião de família, um jantar no sitio de meus sogros, fizemos um churrasco, sempre nos reunimos mais aquele dia foi demais.

Tenho uma cunhada, de corpo magro, alta, com seio medianos, ele é bonita e parece ser bem safada, nunca nos passamos, minha sogra, uma mulher normal, dona de casa, seios e bumbum grandes, também nunca tivemos intimidades, nunca nos passamos, a pesar de eu saber de várias safadezas dela, meus sogros sempre foram de aprontar uns para o outro, não é segredo pra ninguém.

Bem a anos a bebida tem agido muito rapidamente em meu organismo, por isso bebo devagar e com calma, para não ficar bêbado, mais as vezes isso acontece involuntariamente.

Sou muito controlado até para não fazer besteira, minha esposa é tranquila e já sabe com isso funciona, estávamos bebendo como sempre, porem esse foi um dia em que não foi bom a bebida com minha pessoa, rapidamente estava tonto “bêbado”, com isso falei em ir deitar, todos sabem com é isso comigo, ninguém deu muita bola, e seguiu a janta normalmente, eu fui para o quarto de minha cunhada, pois ela quase não fica por lá para dormir.

Deitei e apaguei, em um certo momento, não sei dizer quanto tempo se passou devido a minha condição, sinto alguém me tocando porem não está me acordando, somente me toca e não fala nada, o quarto é muito escuro, com cortina blackout, e a noite, é um breu mesmo, fiquei imóvel, sem saber o que fazer até porque estava ainda meio zonzo, aquela mão foi subindo pela minha perna bem devagar, chegando até minha cueca, pois durmo só de cueca, mais não era a mão de minha esposa, e começou a passar a mão em meu pau, e alisar, apertar mais era com muito carinho, senti sua respiração acelerar, e meu pau começou a dar sinal de vida, de repente sinto que puxa minha cueca para libertar já que estava duro, não sou o mais “pauzudo” como vejo nos contos que leio, sou normal acho que uns 17 ou 18, e os movimentos continuam, até começar uma leve punheta, aquela mão quente num sobe e desce, de repente a boca começa levemente um boquete quente e vagaroso, nossa que boca maravilhosa, ali soube que não era minha esposa, entre chupada e punhetas, sinto que a respiração está cada vez mais ofegante e seus movimentos aumentam de ritmo, juntamente com movimentos de seu corpo, sinto que ela sobe na cama, acredito que já não se preocupa se estou ou não acordado, com isso noto que começa a passar seus seios no meu pau e chupa e bate punheta, estava louca de tesão, geme baixinho, quando ela coloca minha mão em um seio, eu claro retribui dando leves apertões, nisso nota que ela para os movimentos, como se não esperasse minha reação, mais logo continua, tomada pelo tesão, quando sinto elas esta se arrumando para sentar no meu pau, nossa que sensação louca, sinto aquele buceta escorrendo de tesão, meu pau todo melado daquele boquete incrível e inesperado, assim vai forçando e empurrando cada vez mais pra dentro até que chega no fundo e sinto que ela geme, começando uns sobe e desce muito gostoso, nesse momento me parece ser minha cunhada, sua buceta é meio apertada, acredito ser diferente da minha sogra que teve filhas e minha esposa também sei que não era conheceria, o ritmo aumenta e ela se contorce e geme baixinho até que sinto aquele gozo e seus movimentos quase pararem então eu gozo loucamente com o tesão que estava daquele momento, sinto mais alguns movimentos e noto sua retirada, quando penso acabou, sinto sua boca novamente e usa língua limpando o nosso gozo, parecia fazer com gosto, deus mais algumas punhetadas, puxou minha cueca para cima e saiu a passos lentos, que loucura, nunca pensei em fazer algo assim, sentir aquele tesão da forma que senti. Foi incrível, e até agora não sei quem foi, só tenho minhas suspeitas, algum tempo depois levantei fui para o banheiro tomei um banho e voltei para o jantar, todos já tinha comido e estão ali bebendo e conversando, fiquei a observar as mulheres e nada, nenhum sinal, nenhum olhar nada.

Deixe um comentário

CAPTCHA