Encoxada no ônibus

Então pessoal, esse é o meu primeiro conto em toda minha vida, então já vou logo pedindo desculpas se ele ficar chato. Enfim, eu sou um jovem de 22 anos, que me separei semana passada, após 3 anos de relacionamento. Minha namorada nunca quis fazer sexo e eu nunca forcei a barra sobre isso, então até hoje sou virgem.
Como eu já disse, tenho 22 anos, 1.72 de altura, olhos castanhos e meus amigos dizem que tenho cara de empresário ou de nerd. Sou residente de Fortaleza, então ja estou acostumado a ônibus lotados. Atualmente eu estudo na UFC, e é devido a ela que esse conto começou.


Hoje, como de costume eu fui pra aula, e desde que eu tinha 14 anos, sempre gostei de pegar ônibus lotado porque vez ou outra eu encoxava alguma garota, porém desde que isso virou crime, e também pelo fato de que não são todas as mulheres que gostam disso, eu comecei a tomar mais cuidado e esses eventos se tornaram cada vez mais raros. Hoje, porém, minha aula na UFC terminou as 21:30, mais tarde que o horário convencional, e eu fui pegar o ônibus correndo, já que moro quase na divisa da cidade, então se eu demorar muito, fico sem ter como voltar pra casa. Nisso eu subi no primeiro ônibus que apareceu, que inclusive estava já cheio, porém não muito lotado. Logo no meio do ônibus existe um espaço reservado pra cadeirante, e como não havia nenhum cadeirante no ônibus, o local estava

sendo ocupado por garotas, e eu vendo isso, fui direto tentar ficar atrás de alguma, pra ver se tirava a sorte, já que agora estou solteiro. Nisso nenhuma delas parecia querer muito, então não forcei, porém cerca de 2 paradas após a que eu havia embarcado, subiu uma mulher, tinha cara de quem tinha 22 a 23 anos, estava de blusa social feminina e calça bem colada. Como o ônibus já estava lotado a essa altura, eu resolvi tirar minha bolsa das costas e segura-la na mão. Feito isso, aproveitei pra passar minha mão na calça da garota, sem que ninguém percebesse. No começo ela parecia resistir, mas com pouco tempo, ela mesma começou a “rebolar” na minha mão.

A medida em que a viagem prosseguia o ônibus ia ficando mais lotado e nisso eu tentei, sem sucesso, me colocar atrás da garota, já que eu percebi que ela estava gostando. Ela ao perceber que eu não chegaria, fingiu quase cair em uma curva, conseguindo se posicionar bem na minha frente. Nessa hora, pela primeira vez, eu senti uma mistura de medo e tesão, ainda mais pelo fato de ela ter me olhado nos olhos com uma cara bem maliciosa, porém por outro lado, pareciam ter 2 pessoas observando o que eu iria fazer.
Nisso, movimento vai, movimento vem, eu me encaixo bem no meio da bundinha da garota e ela corresponde, se jogando em cima do meu corpo, até que sinto ela se tremer, e creio que ela chegou ao orgasmo. Desci do ônibus no terminal ainda com a barraca armada, e ela novamente olhou pra mim, dessa vez como se me convidasse pra algo a mais, porém devido ao horário tive que pegar o outro ônibus que me leva pra casa. Então eu cheguei em casa já com o pré orgasmo nas alturas e fui correndo pro banheiro, fingindo que estava apertado pra urinar, e desde essa hora, toda vida que lembro daquela garota, o mastro sobe. Eu espero reencontra-la outras vezes é espero também que tenham gostado da história. Grande abraço e boa leitura a todos.

Deixe um comentário

CAPTCHA