Comendo o meu irmão mais novo

Tenho um irmão chamado Sandro, ele tem 18 anos e sempre foi meio gayzinho. Eu sempre fiquei puto com isso porque meus amigos zoavam por causa do jeito dele, e sempre tinha um pra comentar que se ele era, eu também, por isso passei um tempo sem falar com meu irmão.

Eu tenho 25 anos, sou malhado, tenho 1,80 e pareço fisicamente com meu irmão, só que ele é mais baixo e magrinho. Ele tem cabelos lisos cortados arrepiados e é branquinho. Eu confesso que sempre fui um pouco preconceituoso, mas como dizem que os preconceituosos são os que curtem a parada…

Bom, eu voltei a falar com meu irmão depois de um tempo e passamos a nos dar muito bem. Ele traz os amigos gays dele aqui em casa, meus pais aceitam numa boa e uma vez ouvi um dos amigos dele comentando:
– Sandro, seu irmão é tão gato! Queria tanto um boy desse me pegando de jeito, ai ai!

Eu fingia que não ouvia nada mas em uma dessas vezes ouvi o Sandro comentar com o melhor amigo que se eu não fosse irmão dele, ele me pegaria, porque me acha uma delícia. Fiquei puto com meu irmão falando aquilo, mas depois fui entender que no fundo eu também tinha tesão por ele.

Eu nunca tinha comido um cara, nem em sonho. Tinha namorada a uns 3 anos e eu sempre fui viciado em comer o cuzinho dela, pra mim sexo anal é a modalidade que eu mais gosto, apesar da minha namorada negar na maioria das vezes.

Bom, um dia eu tava relaxando vendo pornô e tocando uma punheta e ouvi meu irmão chegar com um amigo dele de uma balada. Ele sempre chegava meio bêbado e como nossos pais dormiam no quarto de cima, eles nem acordavam com barulho aí o Sandro aproveitava pra trazer seus peguetes aqui pra casa.

Eu comecei a ouvir um ruído baixo e curioso fui olhar pela fechadura da porta do quarto dele. O meu irmão tava de quatro e o seu amigo estava metendo no cuzinho dele. O cara segurava ele pela cintura e comia o rabo dele com tanta força que sem querer ele não segurava os gemidos.

Ver isso me deu tesão pela primeira vez, eu fiquei de pau duro de novo, deitei no meu quarto e voltei a me masturbar, dessa vez com a visão da bunda do meu irmão empinadinha. Me sentia culpado com aquilo mas o tesão falou mais alto e gozei gostoso imaginando como seria bom comer o cu do meu irmão mais novo.

Nos outros dias tentei esquecer isso, fiquei meio envergonhado, era dia de jogo, comprei umas cervejas e fui relaxar vendo futebol sozinho aqui em casa. Meus pais tinham ido para o sítio passar a semana como sempre faziam e eu e o Sandro ficamos sozinhos, até que ele chegou da faculdade, perguntou o que eu tava fazendo e sentou comigo pra tomar umas.

A gente ficou conversando e eu resolvi comentar que tinha ouvido ele fodendo e reclamei, mas ele disse que era privacidade dele e que já tinha cansado de me ouvir comendo minhas namoradas. Nessa hora começamos a discutir e eu falei um monte de merdas pra ele, então ele me provocou dizendo que eu tava tão incomodado é porque talvez eu tenha gostado.

Eu fiquei putaço, a discussão ficou feia e acabei dando um empurrão nele, assim que ele caiu ele levantou rápido e me deu outro, mas segurei ele pelos braços e disse:
– Tá achando que sou viado como você, agora você vai aprender a falar direito comigo.
Durante a discussão fiquei excitado

Nisso peguei ele por trás e no calor do momento acabei ficando de pau duro, ele sentiu e não fez mais nada, ficou parado ali enquanto eu segurava ele. Eu não aguentei, botei ele de quatro e comecei a acariciar sua bunda toda lisinha. Ele não falou nada, só deixou eu fazer o que eu quisesse bem tranquilo.

Abaixei o short dele e comecei a alisar sua bundinha toda lisa e botei minha pica pra fora e fiquei esfregando meu cacete no seu reguinho. Depois eu peguei ele e mandei chupar meu pau e o safado engoliu todo meu caralho sem pensar duas vezes. Ele chupou gostoso demais, deixou meu pau latejando dentro da sua boca gulosa.

Enquanto ele chupava eu comentei:
– Você tava é louco pra colocar meu pau na boca né? tá pensando que não ouvi você falando para o seu amigo que me pegaria se eu não fosse seu irmão? aproveita e mama bem gostoso o cacete do seu mano.

Ele sorriu e continuou chupando com vontade e mamava melhor que qualquer mulher que eu já peguei. A gente ficou ali, eu empurrando a cabeça dele contra meu pau pra ele engolir tudinho e o safado nem reclamava. Me senti meio mal de estar comendo meu próprio irmão mas tava gostoso demais para eu parar naquele momento.

Eu deixei ele todo lambuzado e depois de chupar gostoso, eu puxei ele pelos cabelos, coloquei de quatro na cama e comecei a lambuzar seu cuzinho com meu cuspe. O cu dele piscava de tanto tesão que o safado tava sentindo. Meu pau tava duro feito rocha e seria a primeira vez que eu comeria um cara.

Ele ficou com aquele cu piscando na minha frente, eu me abaixei, dei uma boa chupada que fez ele se arrepiar inteiro. Ele se movia e soltava uns gemidos gostosos que deixava meu pau cada vez mais duro. Enfiei minha língua no seu cuzinho gostoso e comecei a fazer movimentos circulares. Ele pedia pra eu não parar, falava que tava uma delícia.

Eu confesso que não tava aguentando mais, parei de chupar e sem camisinha mesmo enfiei meu cacete grosso no cu dele e quase fiz meu irmão chorar de dor. Ele me empurrou com as mãos e disse:
– Para, para, tá doendo! Vai mais devagar.
irmão
Eu comecei então a colocar devagar no cuzinho do safado e bombei bem levemente.
– Agora tá gostoso, come meu cuzinho vai, me faz ser sua putinha! – E quanto mais ele falava, mais eu metia gostoso no seu rabo. Foi um vai e vem bem gostoso, eu meti fundo naquele cu e ele gritava no meu pau e eu enchia aquela bunda branca e gostosa de tapa.

Meu irmão era um putinho na cama, nunca imaginei que ele fosse tão safado. Botei ele de frango assado e meti de novo no seu rabo. Ele tocou uma punheta enquanto eu comia ele e logo ele gozou gostoso. Algum tempo depois eu gozei também, esporrei bastante no cuzinho dele.

O cu dele tava todo lambuzado de porra e fiquei muito feliz de ter feito aquilo. Foi uma sacanagem deliciosa e eu gozei como nunca tinha feito antes. Depois disso percebi que todo meu preconceito era tesão reprimido e hoje posso dizer que sou o namorado do meu próprio irmão. Infelizmente por causa do tabu que é, nem para os nossos amigos mais próximos contamos isso, então resolvi relatar aqui como forma de desabafo.

Deixe um comentário