No Motel com dois Amigos de Facul

Olá tudo bem, me chamo Michelly, e já sou frequentadora aqui do site postando minhas aventuras. Dessa vez vou largar a zoofilia e narrar uma aventura com meus colegas da faculdade. Sou morena, magra e com cabelos longos e seios grandes. Faço faculdade e sou bastante popular entre os meus colegas. Estudamos a noite e como não tenho carro, volta e meia pego uma carona com o Marcio. Em algumas dessas coronas já acabamos dando uma parada no motel antes dele me deixar em casa.

As vezes o Marcio dá carona para mais gente além de mim e nesse dia quem estava no carro com a gente foi o Paulo. Saímos da faculdade conversando sobre as aulas e as provas que se aproximavam mais a diante no trajeto tinha uma pequena interdição na rua e nos vimos em um pequeno engarrafamento. O Marcio xingou um pouco e eu o Paulo continuamos a conversar. O Marcio então mudou de assunto e disse.

– Michelly lembra daquele dia que passamos ali? Ele me perguntou apontando para a placa do motel que estava piscando um pouco mais a frente.
Fiquei totalmente vermelha de vergonha não sabia onde enfiar a minha cara, o Paulo me olhou com cara de espanto eu sorri para ele sem graça e respondi pro Marcio.
– Não sei do que você tá falando…
– Há… deixa disso Michelly. Você acha que o Paulo e metade da faculdade não sabe que a gente já trepou algumas vezes.
– Filho da Puta! Precisa espalhar isso assim no meio da conversa.
– Gente deixa dessa conversa, vamos voltar ao assunta da faculdade – Disse o Paulo para tentar arrumar situação.
– Só disse isso porque acho melhor irmos para lá do que ficar aqui nesse engarrafamento, O que você acha Michelly? – O Marcio perguntou olhando pra mim.
O Paulo também me olhou esperando a minha resposta. E mais uma vez não sabia onde enfiar a minha cara de vergonha
– Vai responde – Disse o Marcio – E ai, não gostaria de provar dois ao mesmo tempo? Um branquinho como eu o outro escurinho como o Paulo? Olha vai ser difícil ter outra chance dessa hein.
Os dois continuavam olhando pra mim, nessa ora já devia estar vermelha como uma pimenta. E pimenta era realmente a palavra correta. Não só pela vergonha mais pelo calor que estava sentindo depois daquelas perguntas picantes do Marcio. Lembrei das vezes que estive com ele em motéis, sempre foram prazerosas e colocar mais alguma pessoa no meio não era uma má ideia. Sorri para os dois e respondi.
– Ok tá bom vamos lá. Mais sem muita demora não quero chegar muito tarde em casa.
– Pode deixar eu gozo rápido – Disse o Paulo com um sorriso no rosto.
Entramos no motel e o Marcio pediu uma suíte com hidro e tudo.
– Hum… Hidro que chique hein – Brinquei com ele.
– Hoje tem como dividir a conta né.
O Paulo deu uma boa gargalhada e eu dei um bom tapa no dois.
Estacionamos o carro e logo fomos para o quarto. Entrei de mãos dadas com o Paulo e o Marcio foi fechando a porta. Me virei para o Paulo e disse.
– Já que você é o novato por aqui vou começar por você – E fui logo beijando ele.
Ele por sua vez, agarrou minha bunda e retribuiu o meu beijo. O Marcio veio por trás de mim, deu alguns tapas da minha bunda e disse.
– Isso cara aproveita ela ai. Você vai ver como ela é demais – E foi logo tirando a sua camisa.
O Paulo então me empurrou em direção a cama, eu deitei nela e vi ele tirando a sua camisa fiquei olhando os dois, um na minha frente o outro ao meu lado e os dois estavam se despindo rápido, parecia uma competição. Para minha surpresa o Paulo conseguiu terminar primeiro, subiu na cama e deitou em cima de mim e voltou a me beijar.
– Vamos tirar tudo dela logo Paulo, vamos parar de beijinho – Disse o Marcio já totalmente nu e começando a tocar punheta ao lado da cama.
O Paulo saiu de cima de mim e começou a desabotoar a minha calça. O Marcio veio ao meu lado e puxou a minha blusa para cima da minha cabeça.
– Tira logo isso porra! – ele disse.
– Calma, não precisa xingar – respondi para ele.
Ao mesmo tempo que a minha blusa passava pela minha cabeça saindo o Paulo puxou a minha calça pelas minhas pernas. Fiquei só de sutiã e calcinha. O Marcio colocou as suas mãos nos meus peitos já por baixo do sutiã e o Paulo foi tirando a minha calcinha e logo em seguida caiu de boca na minha buceta.
Ele começou a chupa-la e eu dei um belo gemido. O Marcio ficou do meu lado e colocou o seu pau na direção da minha boca e eu não perdi tempo, cai de boca nele. Ficava chupando o Marcio enquanto recebia uma chupada do Paulo.
– Porra! Tu é foda Michelly continua – Disse o Marcio.
O Paulo então deixou de me chupar e levantou. O Marcio olhou para ele e disse.
– Os peitos dela também são deliciosos, ou você que a buceta dela primeiro?
– Quero a buceta primeiro.
– Então deixa eu preparar ela para você – O Marcio então tirou o seu pau da minha boca sentou na cabeceira da cama e me puxou para junto dele. Fiquei com as minhas costas no peitoral dele e com os braços então ele abriu as minhas pernas deixando a minha buceta bem aberta para o Paulo. Então eu disse com um sorriso no rosto.
– Poder vir. Enfia esse pau gostoso em mim.
Ele colocou devagar mais o pau foi entrando. Ele era maior do que o do Marcio mais a minha buceta foi aceitando ele numa boa. Dei um grito de prazer e logo depois ele começou a me fuder. Indo e vindo, dessa vez mais rápido. Voltei a gritar enquanto o Marcio apertava os meus seios e mamilos ainda por baixo do sutiã. foi então que o Paulo disse.
– Marcio você não disse que tinha uma coisa pra calar a boca dela?
– Há é espera ai que eu vou pegar – Respondeu o Marcio.
– Calma ai! Quer dizer que vocês estavam de caso pensado para me trazer aqui desde o início? – perguntei com raiva
– Claro! – respondeu o Marcio saindo de trás de mim – vai dizer que não tá gostando?
– Não foi isso que eu quis dizer porra! Era só avisar não precisava fazer joguinhos e me deixar vermelha de vergonha.
– Ai não ia ter graça – disse o Marcio procurando alguma coisa na mochila. Antes que pudesse responder o Paulo voltou a me beijar e a meter com força na minha buceta.
– Ainda tô aqui porra! – Ele disse depois de parar de me beijar.
– Tô vendo gostoso. Me te mais que eu tô adorando – Respondi para ele.
– Essa vai ser as suas ultimas palavras daqui pra frente, olha o que vou te dar de presente. – Disse o Marcio me mostrando um mordaça que ele tinha na mão.
A mordaça era com tiras de couro e com uma bola vermelha no centro para entrar na boca. Já tinha visto em filmes e na internet mais nunca tinha usado uma.
– Eu não vou deixar você… – Antes de eu completar a frase o Paulo voltou a em beijar e a me fuder com mais força.
O Marcio subiu na cama e colocou a mordaça em direção a minha boca, o Paulo deixou de me beijar e antes que pudesse falar alguma coisa, a bolinha já estava tapando a minha boca, tentei empurrar ela com a língua mais o Marcio foi mais rápido e consegui passar as alças da mordaça pela minha nuca e abotoar ela por trás. E assim fiquei sem conseguir falar direito, só saia grunhidos da minha boca.
– Paulo bota essa putinha para cavalgar em você que eu vou por trás.
– É para já cara – Respondeu o Paulo que me pegou pela cintura e ainda com o pau dentro de mim se virou e deitou na cama, fiquei por cima dele e comecei a cavalgar em cima do pau dele.
– Agora pode tirar o sutiã, porque quero provar esses peitões. – disse o Paulo.
Desprendi o meu sutiã pelas costas e então senti as mãos do Marcio vindas de trás de mim apertar os meus mamilos novamente e aponta-los em direção ao rosto do Paulo
– Chupa Paulo, como eu disse eles são tão deliciosos como a buceta dela.
O Paulo então caiu de boca neles. Eu dei um novo gemido enquanto continuava a cavalgar no pau do Paulo e a língua dele passear de um mamilo a outro.
O Marcio largou os meu peitos e disse.
– Abre esse cuzinho pra mim vai.
O Paulo então largou a minha cintura e colocou as mãos na minha bunda a abrindo para deixar a porta totalmente aberta para o Marcio. Mais eu dei um tapa nas mãos dele. Ele me olhou espantado. Eu então sorri para ele, desci o meu corpo deitando nele e com as minhas próprias mãos abri o meu cuzinho para o Marcio entrar com tudo.
– Não disse que você tava gostando? Tá até me convidando para entrar. Nem imaginei que voltaria nesse cuzinho tão cedo – Disse o Marcio.
O meu cu já não era virgem, o próprio Marcio já tinha comido ele. Mais nunca tinha estado com dois homens ao mesmo tempo e naquele momento respirei fundo e só esperei o prazer que viria em seguida.
O Marcio logo de cara colocou toda a cabeça do pau dele e foi empurrando até onde dava, assim que parou, tirou tudo e voltou a empurrar com força. O pau dele entrou mais e ele foi aumentando o ritmo. Indo e vindo empurrando o seu pau mais pra dentro do meu cu. O Paulo também não ficou parado e começou a empurrar o seu pau na minha buceta. Eu também fiz a minha parte. Rebolei na esperança de que aqueles dois belos paus entrassem ainda mais. Eu gemi e gritei alto. Queria que todo o motel me ouvisse mais aquela mordaça desgraçada me tirava esse prazer. Os dois gemiam junto comigo e me fudiam em um ritmo bem alucinante.
O Paulo pegou a minha cabeça e colocou em direção a dele ele começou a me beijar com mordaça e tudo. As mãos dele passaram para a minha nuca e desabotoaram a mordaça, ele tirou ela da minha boca e voltou a me beijar enfiando a sua língua quase na minha garganta. Quando finalmente consegui me livrar dos beijos do Paulo respirei fundo e gemi gritando.
– Isso seus filhos da puta! Me fodam gostoso que quero mais! Podem enfiava até onde não poderem mais – Acredito que todo o motel deve ter me escutado.
Antes que pudesse voltar a gritar o Marcio tapou a minha boca com as mãos.
– Porra Paulo era para deixar essa puta calada! Coloca essa porra dinovo na boca dela.
– Foi mal, queria ver o quanto ela podia gritar – disse o Paulo colocando a mordaça novamente na minha boca.
– Eu sei que você quer mais Michellynha – disse o Marcio empurrando com mais força no meu cu.
Estava tão gostoso nós três ali, com as mãos deles passando pelo meu corpo, os beijos no meu pescoço, as chupadas nos meus mamilos, os tapas na minha bunda, as fortes puxadas de cabelos, estava totalmente dominada pelos dois. Gemia alto e rebolava. Os dois não perdiam o folego, e continuavam enfiando seus paus gostosos em mim.
– Deixa eu fuder esse cu também – Disse o Paulo.
– Deixa só eu aproveitar mais um pouco – Respondeu o Marcio. Que tirou o seu pau de lá e depois enfiou tudo de uma vez de volta, rápido e forte. Fez isso três vezes, tirou o seu pau e falou – Agora terminei esse cuzinho é todo seu agora.
O Marcio foi para o nosso lado na cama, o Paulo saiu de baixo de mim e foi para trás. O Marcio pegou a minha cabeça, tirou a mordaça, me deu um beijo e direcionou o meu corpo para o pau dele. E voltei a ficar com a boca ocupada e estava de quatro com a bunda em direção ao Paulo. Fui chupando bem devagar o pau do Marcio e atrás o Paulo começou a enfiar a cabeça do seu pau no meu cu, como ele já tinha sido bem comido pelo Marcio, entrou com uma facilidade incrível. Ele foi metendo e chamando de putinha.
– Esse cu é gostoso ou não é? – Perguntou o Marcio
– Não só o cu. Tudo nela é delicioso – Respondeu o Paulo.
Eu não conseguia falar nada porque estava com a boca ocupada.
– Essa língua divina esta me fazendo gozar! – Disse o Marcio já gemendo Segura ai que vou encher a tua boca de goza.
Senti a boca cheia de goza, fui cuspindo tudo enquanto ia chupando o pau do Marcio. O Paulo tirou ao pau dele do meu cu, deitou na cama. Eu deixei de ficar de quatro e deitei de lado. Ele levantou a minha perna, fiquei toda aberta e ele voltou a colocar o seu pau no meu cu. E Voltou a ir e vir.
– Você vai gozar não Paulo? – Preguntei para ele
– Só mais um pouco. E vou encher teu cu de goza quentinha.
Enquanto esperava o Paulo voltei a chupar o Marcio que segurava bem devagar a minha cabeça e fazia um cafuné na minha nuca. O Paulo colocou as mãos nos meus seios e empurrava o meu corpo para o pau dele. Gemíamos baixinho agora.
– Tô chegando lá… – disse o Paulo.
Então senti o meu cu se enchendo de goza. Eu gemi, o Paulo também. As mãos dele soltaram os meus seios. Ele tirou o seu pau do meu cu, foi para atrás de mim e começou a beijar a minha nuca, larguei o pau do Marcio e ele também veio me beijar. As mãos deles passeavam pelo meu corpo e as minhas nos corpos deles também. Era eu no meio dos dois que me acariciavam.
Fomos para a hidro e continuamos a nos beijar e a nos acariciar. O Paulo voltou a comer o meu cu. O Marcio estava cansado e ficamos só nos beijando.
– Tá com saúde hein Paulo! – Brinquei com ele.
– Claro! não é todo dia que como um cu gostoso desse.
Ele nem chegou a gozar e acabou cansando também. Aproveitamos bastante a hidro. Nos beijamos e nos acariciamos bastante e por fim fomos embora. Por fim, combinamos de fazer isso mais vezes após a faculdade.

Deixe um comentário

CAPTCHA