Meu noivo queria ser corno

Meu nome é Patrícia, tenho 26 anos, e recentemente, realizei a fantasia do meu noivo de ser um corninho, estamos juntos a cinco anos, e no último ano, ele vem perguntado sobre minha vida sexual antes dele, quantos foram, como foi, sobre a pica dos outros homens pra quem eu dei, e percebi que toda vez que falávamos disso, ele ficava com seu pau estourando e me comia loucamente , como é um assunto delicado fui enrolando, até que um dia depois de umas taças de vinho, ele veio falando sobre as picas que já sentei eu disse – a amorzinho você tem tanta curiosidade, quer ver eu sentando em uma pica diferente? Na hora ele ficou acanhado, mas seu pau vibrou na minha mão.


– Ah querido, você não me engana, quer saber como eram as picas que sentei, se eram grossas, grandes, pretas, eu sei que você tá doido pra ver outra pica nessa bucetinha que você não consegue arrombar.
Cada minuto que eu falava sentia seu pau mais duro na minha mão, botei ele pra fora e comecei a punhetar, ele babava, na minha mão. – Poxa Rodrigo, me fala, quer ou não outra piroca na sua mulherzinha?
– Quero Patrícia, não vou mais enrolar, tô doido pra ver essa buceta sendo arrombada por outro, de preferência por um negão, que te foda todinha.
– então você vai ter. Dito isso, nos beijamos e fodemos gostoso a noite toda. Na semana seguinte estava tudo armado, chamei um amigo do serviço que era doido por mim, um negro, alto, charmoso, vivia dando em cima, o chamei para jantarmos lá em casa, ele de prontidão aceito, sai do serviço na sexta dia marcado, comprei uma lingerie bem pequena e transparente na entrada da bucetinha tinha pérolas, e o sutiã era só a linha, os peitos ficavam todos a mostra, botei um vestidinho bem apertado, fiz o jantar e quando meu noivo chegou do serviço eu falei – hoje você vai ser meu corninho.
Ele ficou envergonhado, e disse que estava desistindo.
– você não tem mais essa opção, agora quem quer sentar em outra pica sou eu, já pro banho. Obediente ele foi, fiquei esperando ele no quarto e quando ele saiu do toalha o mamei gostoso para deixa lo entusiasmado.
Quando Felipe chegou eu o chamei pra beber um vinho na sala e apresentei ele ao Rodrigo na hora ele murchou, achando que era uma noite perdida, mal sabia meus planos. Depois de umas taças de vinho quando estávamos todos mais altos conversando fingi que ia me abaixar e empinei bem a nunca na direção de Felipe, os olhos do Rodrigo arregalaram, eu sorri para o Felipe, pedi pro meu noivo buscar outra garrafa de vinho na cozinha e quando ele saiu, não perdi tempo, passei a mão no pau do Felipe por cima da calça e o beijei, na hora ele ficou assustado, depois retribuiu, me beijava com ardor esfregando a mãos nas minhas pernas, abri um pouco os olhos e pude ver meu noivo meio escondido na porta da cozinha nos olhando, ele estava com os olhos arregalados e pude ver que seu pau estava duro pelo jeans.
– Sabe Felipe, hoje estou querendo experimentar um pau novo, sentar em outra pica, alguém que me coma igual a putinha que sou m Felipe não perdeu tempo, botou o cacete pra fora e me botou pra mamar, seu pau era grosso, minha mão mal fechava em volta, além de ser cheio de veias e com a cabeça bem grande, me acabei, quando achei que ele gozaria, ele me deu um tapa na cara.
– fica de pé cachorra, que hoje vou te ensinar como um homem de verdade fode. De prontidão fiquei em pé e tirei o vestido, ele foi logo tirando a roupa, passou as mãos nos meus peitos e foi descendo até a minha bucetinha, enfiou dois dedos lá dentro.
– que delícia, apertadinha, aquele corno do seu noivo não tem pica pra te arrombar não cachorra?
– não Felipe, me arromba vc vai, me fode gostoso, como ele não sabe fazer. Durante isso eu olhava meu corninho debruçado na porta olhando tudo com atenção e acariciando seu pau por cima da calça. Quando Felipe viu pra onde eu olhava riu e o chamou.
– vem Rodrigo, vem aprender a foder uma mulher. Rodrigo meio acanhado veio e dentro no sofa
Felipe me botou de quatro e começou a esfregar o pau na minha bunda e disse pro Rodrigo.
– vem abrir essa bundinha pra mim meter vem, ver eu arregaçando essa piranha. Ainda envergonhado Rodrigo levantou e segurou dos dois lados da minha bunda e arreganhou no mesmo instante senti a piroca do Felipe me abrindo, gemi igual uma cachorra, e Felipe começou a bombar.
– Vai Rodrigo chupa os peitos dela, empinei bem os peitos e Rodrigo os botou na boca, mamava com vontade e com uma das mãos batia uma punheta com só o pau pra fora. Felipe me deitou e continuou metendo na minha buceta enquanto Rodrigo chupava meu grelinho, via sua boca pertinho do pau do Felipe e ficava mais excitada apesar de saber que Rodrigo nunca toparia, imaginei sua boca naquele pau gostoso, quando gozei pela segunda vez Felipe me mandou levantar e sentou no sofa comigo sentando pra ele, eu cavalgava igual uma puta profissional e gemia gostoso, meu corninho batia uma punheta lenta sentado assistindo tudo e Felipe o incentivava – isso Rodrigo olha bem, bate uma pra essa piranha gostosa, goza pra minha pica arrombando sua mulherzinha. Rodrigo chega gemia baixo de tanto tesão. Depois de mais umas sentadas Felipe me mandou sentar pro Rodrigo eu fui toda obediente, sentei e empinei bem, quando sinto Felipe esfregando sua pica no meu cuzinho me assustei mais continuei, só tinha dado o cu poucas vezes mas não desisti, Felipe enfiou tudo no meu rabo e foi bombando enquanto em sentava pro meu noivo, depois de alguns minutos, me botaram de joelhos e gozaram na minha cara, Felipe foi embora prometendo voltar, depois ainda fodi com meu noivo, e vivemos muitas aventuras depois

1 comentário sobre “Meu noivo queria ser corno

Deixe um comentário

CAPTCHA