Onde menos se espera, há amor!

Sempre tive desejo por uma travesti que vi em um anúncio de acompanhantes na internet, mas tímido esse desejo virtual perdurou por mais de dois anos. Mas, numa bela tarde, me encorajei, liguei e agendei com minha paixão platônica.
As pernas trêmulas, boca seca, suando frio ao vê-la diante de mim…
Ela percebeu o nervosismo duradouro e perguntou se era a primeira vez com uma travesti. Eu respondi positivamente com a cabeça. Ela sorriu, se levantou, desligou as luzes e ligou um abajur. Segurou minhas mãos e me puxou para o sofá, começando a me beijar e a nos despir. Gostei tanto de ver aquela morena linda e feminina apenas de lingerie, que pedi pra vê-la de pé… Ela subiu no sofá e começou a se insinuar pra mim. Enlouqueci e ela também, pois o volume na calcinha dela havia aumentado.


Ela, então, pergunta: “tem desejo por rabo ou piroca?”. Eu fiquei sem jeito e ela riu, falando: “safadinho, quer meu pau, né?!”
Então, tirou a piroca da calcinha e colocou na direção do meu rosto e mandou eu chupá-la. Fiz o que mandou e mamei aquela piroca linda. Sem jeito, mas com muito tesão de engolir sua rola. Chupei por alguns minutos e o pau dela ficava cada vez mais duro e saboroso.
Ela então me beija e diz no meu ouvido que quer comer meu cuzinho. Eu crio coragem e revelo minha paixão por ela, que há tempos a desejava pelo site, me masturbava vendo suas fotos e desejando tê-la pra mim. Ela sorriu, mas disse que era mentira. Então, peguei o celular mostrei os arquivos que dela, uma pasta cheia de fotos suas.
Surpresa, disse: “nossa, realmente, essas fotos são antigas, menino. Sério que me deseja tanto assim? Estou até com medo de você, isso nunca aconteceu comigo.”
Eu digo pra ficar calma: “sou apenas seu admirador, me apaixonei e cultivei essa paixão virtual. Mas não vou te fazer mal, só quer ter você com eu sempre sonhei”.
Ela gargalhou espantada, até voltar a me beijar e parecer ter gostado de saber que eu a desejava tanto. Era um beijo gostoso, apaixonado. Disse que vai realizar meu sonho e que aquela tarde seria inesquecível pra nós dois, voltando a colocar o pau na minha boca.
Me coloca de quatro na cama e começa a chupar meu cu, cuspindo e dedando meu rabo. Aquilo me fez gozar pela primeira vez, em segundos. Ela se assustou e disse: “nossa, esse cu realmente tá desejando uma boa pirocada. Gozou com minha língua, vai se derreter todo no mau pau!”
Vestiu a camisinha e colocou bastante gel lubrificante, iniciando as tentativas de me penetrar. Eu tremia, mas era de tesão e ansiedade pra sentir aquela pica me devorando. Quanto mais eu gemia, mas o pau grande dela me rasgava, mas de uma maneira delicada e muito gostosa. Até que preencheu meu rabo todinho com seu pirocão.
Eu, então, começo a rebolar e bombar minha bunda contra o corpo dela. E ela a me comer cada vez mais intensamente. Algumas socadas mais fundas e lá eu gozo novamente, feito uma mulherzinha sendo devorada por um pau grande e grosso.
Ela me vendo gozar, passou a me fuder de vez. Me colocou de frango assado pra me comer e me beijar. Nossa, que foda incrível. Ela realmente parecia que era minha de verdade. Me fudia, beijava e mordia meus lábios, segurando meu corpo pra estocar cada vez mais fundo.
Até que ela diz queria mais, queria sentir meu cu na pele… Eu me assustei, mas não tive reação. Ela tirou a camisinha e voltou a me beijar, encaixando a piroca no meu rabo. Tentei dizer que não, mas ela me segurou e disse:
– Calma, não tenho doença, só quero sentir o rabo do meu puto até gozar!
E bombou freneticamente, suando de tanto esforço e tesão. Nossa, pouco tempo depois, eu gozei mais uma vez, era maravilhosa sua pica me fudendo no pelo e me fazendo delirar…
Até que ela, gemendo, disse que gozaria. Agora, eu que segurei ela e disse pra não tirar, me fuder e encher meu rabo de gozo. Passei pra cima dela e comecei a cavalgar naquela piroca maravilhosa, pulava feito uma menininha sapeca.
Nossa, que delícia sentir aquele jatinho quente no meu cuzinho, enquanto ela se contorcia e o pau pulsava dentro de mim. Me senti como nunca, uma verdadeira putinha. Era um tesão inexplicável, eu só deixei rolar e sentir… Gozei de novo, dessa vez me contorcia todo de tesão, foi um belo orgasmo prostático.
Nossa, foi uma foda maravilhosa e apaixonada. Rolou uma química boa, nos completamos como um casal de verdade.
Ela então me surpreende, dizendo que o aquilo não foi um programa, foi uma foda apaixonada e que não queria meu dinheiro. Completou dizendo que se eu quisesse, ela me comeria o resto do dia por paixão, pois só queria aproveitar a única foda que ela realmente se sentiu amada na vida.
Eu chorei, emocionado, surpreso e encantado com ela. Na emoção, então, lhe disse que adoraria ser dela o tempo que ela quisesse ser minha, pois eu havia descoberto que ela era a melhor das fodas que poderia existir no mundo. Entre lágrimas, completei:
– Eu te amo, Amanda! Obrigado por me fazer tão feliz nesse momento tão especial!
E fudemos por muitas horas daquele dia, de todas as formas possíveis.
E continuamos aquela história, por meses, virou namoro…
Hoje, estamos casados há 6 anos, ela largou a profissão e entrou para a faculdade de direto, ser forma agora em dezembro. Estamos planejando adorar uma criança e completar a nossa família, nos amamos de verdade e estamos muito felizes!

Deixe um comentário

CAPTCHA