Professora

Olá, tudo bem?
Me chamo Beatriz, tenho 21 anos, e sou de São Paulo, capital.
Estou aqui para contar como foi delicioso ter feito amor com a minha professora da faculdade, ela tem 42 anos.
Eu sou morena, cabelos lisos, seios médios, 1,7m, corpo sutilmente violão e bumbum durinho.
A minha teacher é morena, cabelos médios cacheados, também 1,7m, uma boca lindamente desenhada pela natureza, usa óculos, tem cara de intelectual e mãezona, mas sexy, sem ser vulgar, muito delicada e sensual, ela tem um corpo com tudo em dia e gosta de usar saias e salto alto. Muito linda!


Eu acho que nem que eu quisesse, conseguiria disfarçar a admiração e atração que eu sinto por essa mulher, toda vez que ela entra eu parece que fico meio hipnotizada. Sempre elegante e cheirosa.
Eu gosto de sentar na primeira cadeira da sala, perto dela.
Ela sempre foi muito simpática comigo e com todas, eu acho que ela percebe que eu tenho atração por ela, mas ela parece saber lidar com isso muito bem, eu acho que ela deve gostar, mas nunca deixou transparecer que pudesse me dar qualquer tipo de chance.
Certo dia, pedi uma orientação dela sobre um curso extracurricular que eu iria começar nas férias, e ela se mostrou bastante interessada no assunto e ficou admirada que mesmo entrando em férias, ao invés de estar pensando em descansar ou passear, me aplicava sempre aos estudos.
Ela disse que já havia estudado sobre o tema e que era um dos preferidos dela, inclusive que tinha muito material a respeito.
Eu perguntei se ela poderia me emprestar um livro que ela citou, que eu devolveria intacto em uma semana.
Para a minha felicidade, ela disse que se eu quisesse, poderia pegá-lo na casa dela, se eu não tivesse outro compromisso, seria um sábado a tarde.
Eu tentei disfarçar, mas tenho certeza que o brilho dos meus olhos devem ter me entregado.
Disse que poderia sim e que iria adorar. Ela então, muito doce, me ensinou como chegar lá e marcamos para sábado às 14hs. Era perto de minha casa.
Fiz questão de tomar o meu melhor banho no dia, e 14h em ponto estava tocando a sua campainha, era casa.
Então eu a vi, linda, bela e maravilhosa vindo até o portão para abri-lo a mim.
Comprimentei-a com toda a candura possível de aluna comportada e a fui acompanhando para dentro, e nesse meio tempo, é claro, disse que não demoraria, pois não queria atrapalhar o dia dela e da família.
Ela então, disse que morava e estava sozinha, havia se divorciado há dois anos.
Ela abriu a porta da sala, e eu entrei. Então ela entrou em seguida e fechou a porta.
Então quando ela se virou e olhou para mimcom o coração batendo muito forte pelo que eu ia fazer, quase na boca, mas o desejo era maior do que a minha razão, então eu disse a ela pausadamente:
– Professora, por favor, me perdoa se a senhora ficar brava comigo!
Então aproveitei que ela estava no curto espaço entre mim e a porta, então coloquei as minhas duas mãos na cintura dela e levemente a enconstei na porta, e o tempo em que ela olhou para baixo para ver o que eu ia fazer com as minhas mãos nela, quando o seu rosto voltou para cima, o meu já estava pertinho, pertinho do dela, nós duas nos olhando nos olhos, então eu fechei os meus olhos, e fiz aquilo que há tempos eu no meu quarto, deitada na minha cama imaginava muito, enconstei os meus lábios nos dela, onde fiquei assim, alguns segundos, sentindo o calor e a forma daquele corpo, daquela boca!…
Continua…

Deixe um comentário

CAPTCHA