Meu namorado pediu um tempo e levou chifre

Olá! Eu sou a Mariana, tenho 22 anos, 1,68 de altura, 60 kg, morena, cabelos castanhos iluminados e compridos. Todos dizem que pareço ter bem menos idade do que tenho.
Então, em 2015 eu e o meu namorado vivemos um período de muitas crises no relacionamento; brigávamos muito todos os dias e resolvemos dar um tempo, porque já estava insuportável.
Foi nesse tempo que eu conheci Thomas, um advogado, que, na época, tinha 30 anos de idade. Muito bonito, estatura mediana, frequentava academia e também lutava. Ele não sabia sobre o meu namorado; achava que eu estava solteira, então iniciamos um romance. Nos primeiros encontros ele me levou para jantar e, na volta, me deixava em uma rua próximo a casa da minha avó. Antes de sair do carro, ficávamos conversando, nos beijando e, certa vez, ele me pediu um boquete. Foi a primeira vez que vi seu pau; um enorme pau, branco e bem grossinho.
Depois de um longo beijo, passei a mão por cima da calça e senti o quanto estava duro; parecia pedra. Abri a calça e fui pegando nele, por cima da cueca. Senti o quanto estava quentinho e duro. Queria colocar na boca imediatamente, mas resisti e fui acariciando ele por completo, até as bolas. A cueca já estava ficando molhada… e a minha calcinha, nem se fala.

Finalmente tirei de dentro da cueca e fui massageando aquele pau grosso e depois coloquei na boca. Fui logo engolindo todo, até o talo, depois fui chupando do jeitinho que só eu sei fazer. Chupei só a cabecinha vermelha e desci para o corpo do pau. Era como uma massagem profissional feita com a boca. Quanto mais ele gemia, mais gostoso eu chupava, brincava com a língua, com o pau na minha boca, subia e descia como uma criança que chupa um pirulito de morango. O leite saiu bem quente, na minha boca. Me deu vontade de engolir tudo, mas dei um beijo bem gostoso na boca dele, depositando todo aquele leite quente. Em seguida, nos despedimos e eu fui embora.
Tive medo do meu namorado descobrir que fiz isso, mas já faziam semanas que não nos falávamos. Todas as minhas noites eram dedicadas às conversas com Thomas.

A semana foi se passando e o fds se aproximando. Thomas me convidou para dar uma volta na praia na sexta a noite.
Sexta de manhã tomei um banho muito demorado, depilei todo o meu corpo, lavei os meus cabelos, escovei, me preparei toda. 1h antes do horário marcado, comecei a me vestir, coloquei a lingerie mais bonita, uma calcinha de renda preta e um sutiã da mesma cor. Ele ficou me aguardando na quadra, próximo a minha casa.
Fomos à praia e, chegando lá, começamos os amassos e ele me chamou para ir para outro lugar, então fomos para um motel. Chegando lá, fiquei só de calcinha e sutiã e ele só de cueca.

Me sentei em cima do pau, que ainda estava mole e comecei a rebolar e esfregar a minha boceta naquela trouxa gostosa. Inclinei o meu corpo sobre o dele e comecei a chupar o bico do seu peito. Ia lambendo o biquinho e esfregando a boceta na trouxa, que já estava pegando fogo. Então tirei sua cueca e fiz um oral bem gostoso. Enquanto ainda chupava, fui para cima dele, deixando sua cabeça entre as minhas pernas, e, então, sentei no seu rosto. Ele começou a chupar a minha boceta e, assim que terminou, veio colocar o pauzão dentro dela. A pica era tão grossa que não entrou. Quando ele tentava, doía como se eu estivesse perdendo a virgindade. Nesse dia não conseguimos penetrar na boceta, então ele tentou o cuzinho, porque eu já tenho costume de fazer anal. E no cuzinho deu certo. Arrombou o meu cu, mas foi uma delícia.

Na próxima vez que nos encontramos, foi em outro motel, mais próximo da minha casa. Não sei se consigo descrever as sensações que tive com esse homem. Mas foram muito intensas. Eu fiquei deitada no meio da cama e ele colocou o pau na entradinha da boceta e foi socando devagar, depois parava e fazia um oral delicioso, enfiava os dedos enquanto chupava. Era maravilhoso. Depois ele voltava com o pau na entradinha e ia socando… já estava bem molhado e escorregadio; a cabecinha já entrava com facilidade. A minha mão ficava segurando o pau dele, então ele disse “Tire a mão e confie em mim. Você confia?” Foi quando eu tirei a mão e ele foi cada vez mais fundo, até que enfiou até o talo.
Que sensação do caralho. Eu gemia igual a uma cadelinha e ele suava como se estivesse em uma das suas lutas. Foi maravilhoso. O meu namorado nunca me comeu assim, com tanto desejo.
Ele foi socando o pau todo e eu ia gemendo e pedindo pra ele enfiar gostoso… Então ele tirou e eu fui pra cima e me sentei em cima do pau. Nunca rebolei tanto. Voltamos para a mesma posição e ele, por cima, me comeu até gozar. Tirou a pica e gozou em cima de mim.
Trair o meu namorado foi a melhor decisão que eu tomei nesse ano. Até hoje ele não sabe de nada do que aconteceu.

Deixe um comentário

CAPTCHA