Com meu esposo e amigo na praia

Sinceramente não esperava que o que escrevi fizesse tanto sucesso,e creio que este deve-se por ser verídico o relacionamento, devido a isto decidi contar aos amigos outra aventura que passou-se com nosso amigo, pois como escrevi anteriormente este único relacionamento durou dois anos e só terminou por circunstancias alheias a vontade de todos nós, não que existisse amor ou qualquer outro tipo de envolvimento,havendo somente amizade, cumplicidade e muito companheirismo. Numa quinta feira fora de temporada de praia meu esposo achou que deveríamos descansar em nossa residência na praia de Pinhal no R.S., estava lá em casa nosso amigo, que perguntou a ele se poderia ir junto, e se levaríamos mais alguém, respondeu-lhe que daria um jeito de irmos somente nós três,

saímos de Porto Alegre na sexta-feira, meu esposo gosta sempre de voltar somente segunda após o meio dia, em torno de 19 horas,pegamos nosso amigo na saída de seu serviço ,meu esposo e amigo adora carros grandes de forma que há bastante espaço, quando pegamos a estrada que leva a praia ele logo parou e disse que ia tirar a água do joelho,então convidou-me a sentar com nosso amigo no banco traseiro e namorar um pouco pois a viagem não seria muito rápida, pois ele íria dirigir na média de 80 km,ao sentar-me ao seu lado logo começou a beijar-me como um namorado, ele tirou minha blusa e chupou meus seios, beijava meu pescoço e sua mão atrevida ja procurava minha bucetinha, apertou meu grelo, passava a mão em meu cuzinho, meu marido a tudo assistia pelo retrovisor, imagino quanto tesão estava sentindo, vendo-me ser arretada, estrategicamente ele empurrou o encosto do caroneiro para frente, fez-me devagar sentar em seu pau extremamente duro, imaginem com balanço do carro o pau deslizou inteirinho pra dentro de mim, ele levantava com suas mãos meu corpo pra poder fazer o vai e vem, que sensação de prazer, derreti-me em gozo, tampamo-nos com um lençol que estava por cima da bagagem,deitou-me no banco traseiro vindo por cima enfiando todo seu caralho até o útero, pois sentia lá no fundo sua verga, bombeou por uns quarenta minutos pois acredito que pelo ineditismo ele não conseguia gozar, eu me acabava toda, quando ele gozou aquele mar de esperma dentro de mim já estávamos próximos a praia. Quando lá chegamos uma chuva anunciava como seria o final de semana, pois bem havíamos ido descansar e nada melhor que um tempinho destes, tiraram as coisas do carro e arrumaram tudo com uma pequena ajuda minha, pois eu estava ali como rainha para os dois, tinha que ir ao banho, pois sentia-me inundada por dentro, meus gozos junto ao dele se misturavam, não me sentia satisfeita só com aquela relação, já estava acostumada a levar pica de meu garanhão por horas seguidas, nos intervalos era meu esposo que me satisfazia, hora comendo meu cuzinho hora dando-me prazer pela bucetinha, como já esperava nosso amigo veio tomar banho junto comigo,não sei porque mas no banheiro ele sempre me fodia por mais tempo que na cama, nossas trepadas eram quase sempre deste jeito: ele faz-me apoiar na pia vira-me de costas e enterra seu pau por traz, dá golpes certeiros no útero, com uma violência carinhosa, mas enfiava com força e sem diminuir a velocidade, parece que quer entrar todo dentro de mim, outras vezes encosta-me na parede que já

estava morna com a água, até nisto ele tem cuidado de não encostar-me na parede fria, eu de frente para ele, chupa meu pescoço , minha bucetinha e enterra-me seu caralho da golpes violentos dentro de mim,a parede serve de encosto, minha bunda bate com força na parede, eu adoro sentir-me partida ao meio, aquela sensação inexplicável de preenchimento gostoso ,quando ele goza eu já fui ao paraíso umas quantas vezes, como não tínhamos pressa para nada, ele comeu-me das duas formas, deitou-me no chão e veio por cima com aquele corpanzil, já estávamos no chuveiro mais ou menos por uma hora e meia, cravava seu caralho sem dó em minha bucetinha, enchendo-me com seu leite quente, sempre aos urros ao gozar e eu deliciando-me ao ver o macho plenamente derrotado depois de uma peleia de duas horas na qual fui a vencedora, conseguindo derrubá-lo, briga na qual a mais satisfeita era eu, não pela derrota infringida mas sim pelo prazer a mim proporcionado. Ao sairmos meu querido nos esperava com uma leve

jantinha pronta e a cama já arrumada, imaginem saboreando uma gostosa comidinha e sendo acariciada por quatro mãos, logo deitamos; meu amor de cacete duro, como deixar de dar prazer aquele homem que proporcionava-me delicias, dizia-me que egoísmo de nada serve,minha bucetinha estava cheia, sei que molhadinha como estava era mais gostoso que ele botasse em meu cuzinho virei de ladinho e deixei meu querido arrombar-me, seu pau é do tamanho ideal para meu cuzinho, enterrou-me tudo e eu gemendo de prazer,tava na cara que o garanhão não ficaria somente como espectador, de ladinho cravou novamente em minha bucetinha, e os dois bombearam-me, eu só gozava esperando dar o máximo de prazer aqueles homens, quando os dois inundaram-me com sua seiva, delirei de prazer, cheguei a gemer muito alto, perdi a noção de tudo, como é gostoso gozar assim. Passei aquela primeira noite levando pica por todos os buracos, esfregavam os caralhos em meus peitos, na barriga, um botava um pouco não gozava e cedia o lugar para o outro. Eu me sinto a mais amada das mulheres.Nós ficamos três dias na praia, de vez em quando saindo para dar uma voltinha, pois o tempo chuvoso nada mais permitia, mas eu poderia querer coisa melhor ser bem comida por dois machos fogosos, na parte da manhã meu esposo ia a padaria deixava o garanhão a vontade para dar a primeira do dia, ele demorava acho que de propósito para buscar o pão, sempre chegava e estávamos no embate sexual, varias vezes entrou dentro de casa e viu meu cu sendo arrombado por aquela pica potente, outras vezes ele acordava-me levantando minhas pernas e colocando em seus ombros, minha buceta fica completamente exposta então num golpe certeiro ele me enterra toda sua vara que chega a cutucar o útero, sinto uma pequena dorzinha de satisfação, pois a penetração é profunda, meu esposo senta as vezes ao lado e fica me acariciando, noutras fica olhando a surra de pau que nosso amigo me dá, eu estava dormindo quando saia, mas via que ele acordava nosso amigo, pois sabia que ele não perderia a oportunidade de comer-me estando a sós, como disse os dois entendiam-se muito bem, eram cúmplices na sacanagem, durante o dia a temperatura não era fria , como tenho um corpo bonito andava somente de biquíni dentro de casa tamanho zero a pedido deles, volta e meia nosso amigo pegava-me de pé cravava a pica por traz até me ver gozar, outras deitava-me em algum lugar qualquer e passava-me o pau, fazia-me ficar de quatro e a seu bel prazer cravava seu caralho por meia hora, quarenta minutos, eu em todas as vezes gozava, outras vezes era meu esposo que me comia com ardor e muito amor, a sacanagem corria solta, meu esposo assistia de perto nosso amigo cravar seu pau ora em minha buceta ora em meu cuzinho, via eu gemer ao gozar, volta e meia um vinha e me enterrava o pau, as vezes tinha que ser enérgica para poder fazer-lhes uma comida, seguidamente o tesão falava mais alto e eu me abria toda para aquele que estivesse me comendo, comiam-me de quatro, de pé, faziam levantar a perna em uma cadeira e cravavam-me seus caralhos, largava tudo por conta do que estava de pau duro esperando sua vez, outras vezes desligávamos o fogão e os dois me penetravam ao mesmo tempo se revezando ora meu amante na frente e meu esposo no cuzinho, invertiam as posições já em outra foda. Fui muito bem comida neste final de semana, levei pau de tudo que foi jeito, adorei e adorei muito, nunca havia gozado tanto. Nunca esqueciam de banhar-me com muito carinho, no banheiro lá vinha nova foda e eu simplesmente gostando e gozando muito, disto tudo ficou o prazer e a amizade, fico no aguardo de um novo e único amigo, por questões de saúde é melhor evitar a troca constante de parceiro, entre em contato nosso e-mail [email protected] não gostaria e nem quero alguém que seja profissional e sim um simples amigo, que seja cúmplice e goste de transar, não nos envolveremos em sua vida particular, no momento que arrumar alguém é só avisar que a amizade, somente a amizade vai continuar. É obvio que será meu amigo e amante. Eu procurarei dar-lhe muito carinho, sem esquecer sexo é sexo, e sexo com amizade e carinho é muito melhor, amor é amor e por sinal tenho um grande e querido amor.

1 comentário sobre “Com meu esposo e amigo na praia

Deixe um comentário

CAPTCHA