Doce Ana

Eu queria que ela entendesse os sinais. Queria que lesse o meu corpo, os meus suspiros baixos na madrugada fria. Ana me excitava de formas mais absurdas. Seu olhar profundo fazia minha alma gozar. Eu tentava esconder ao máximo cada gota que escorria dos meus lábios. Fingir que não a via e nem sentia, era o meu remédio. E ela se fingia de louca, colava seu corpo quente no meu, me mostrava seu pescoço doce, me fazia suspirar e depois fugia. Passei a ignorar qualquer sentimento por Ana. Até ela insistir que queria dormir em minha casa, no meu quarto, minha cama, embaixo dos meus lençois que tantas vezes foram confidentes dos meus gritos por Ana. Eu aceitei a idéia de passarmos a noite juntas, afinal éramos amigas. Mas quando a vi, pequena e raivosa plantada em minha porta, senti que havia acabado de torturar ainda mais cada pedaço meu. Naquele momento a primeira ideia que me veio a cabeça foi segura-la forte, prender seus braços e sugar cada parte do seu corpo. A força…A força…Que ideia torpe…Louca…Excitante..Suja.

Ler maisDoce Ana

Nosso Anal

Zanza é minha namorada e minha parceira de trabalho e, quando conseguimos estar juntas aproveitamos o máximo do tempo. Estamos juntas a 16 meses e nesse tempo nos conhecemos tanto que eles parecem 16 anos.
Nesse dia de folga eu planejei muita coisa para nós duas, em especial uma lingerie preta até com fitinha na perna e um acessório para a cabeça que lembra uma índia chic. Acho que ela curtiu. Naquela tarde fomos a um sexy shop, ela nunca tinha ido, nos divertimos até certo ponto, a Zanza é muito tímida, não ficou tão à vontade, mas me ajudou a escolher o plug que tanto eu quanto ela queríamos comprar.

Ler maisNosso Anal