Dando carona para mãe e filha

Estava viajando pelas estradas de Minas e num lugar ermo de uma estrada bem secundária avisto duas mulheres de aparência simples e uma delas muito jovem e estava gravida, como bom samaritano parei e ofereci carona para elas até a cidade próxima que fica a 58 quilômetros do ponto onde estavam caminhando. (A mãe tem corpo normal aparentando seus 39 anos, com cabelos alisados e feios, bunda normal, rosto normal e seios médios. A gravidinha, tem aquele corpinho pequeno, com peitinhos pequenos e apetitosos, bundinha pequena e bem gulosa, rosto feinho e cabelos alisados, como os da sua mãe, mulheres bem normais, nada sofisticadas e pelo contrario, bem rusticas, mas muito, muito putas).

Seria uma carona simples, se não fosse as duas muito folgadas, espaçosas mesmo. No caminho a gravida já ficava dando indiretas do tipo: – Nossa, vou ter que caminhar do trevo até minha casa com essa barrigona. (Quem mandou dar a buceta e encher se está achando ruim). Segui viagem e do meu lado a mais velha que aparentava ter uns 39 anos e a gravida uns 18 ou 19 anos e depois vim saber que eram mãe e filha. A mãe que estava do meu lado começou a lamuriar que também teria que caminhar uma longa distancia do trevo até sua casa. Já estava ficando irritado com aquilo tudo, indiretas que incomodam, acabo de fazer uma boa ação e as folgadas querendo o Cú limpinho e raspado. A filha que estava no banco de trás do meu carro, do nada solta aquele pedido descabido: -Você não poderia levar na porta?
Fiquei muito puto com essa e de bate pronto respondi:
-Claro. O que ganho com isso?
-Porque estou dando carona, não sou Uber. Isso não é uma corrida de taxi.
A mãe soltou um sorrisinho sacana e sem deixar que eu acabasse de falar disse que se eu levasse as duas em casa, sendo uma na primeira cidade e a outra na cidade próxima, daria um presentinho para mim. Ai entendi onde chegaria e logo sem economizar nas palavras, disse que se elas me dessem, eu levaria sim. Elas toparam de imediato, duas safadas e folgadas.
A mãe que estava ao meu lado no banco do passageiro queria fazer um boquete enquanto eu dirigia, mas eu não deixei, porque estava em viagem e fiz xixi nas estradas e o meu pau estava sujo, mesmo sendo elas duas que nunca mais veria. Chegando na cidade onde ficaria a gravida há um motel e cheguei entrando e já partimos os três para o banho, o perfume delas é do tipo barato e com certeza chegaria em casa fedendo aquilo. Entrei no chuveiro e elas entraram na sequencia. A mãe já chegou ajoelhando e lavando meu pau e após já meteu na boca e sua filha gravida começou chupando meu peito e alisando meu corpo. Estava até gostoso. Saímos do banho e fomos para a cama e a mãe colocou a gravidinha deitada de frango assado e colocou uma camisinha no meu pau que estava duro igual pedra, deu uma chupada para lubrificar a camisinha e me puxando pelo pau, conduziu até aquela bucetinha com pelos um pouco longos, deve ser por estar gravida e não alcançar para aparar, com jeitinho foi direcionando a foda e meti meu pau bem devagar na mocinha e a mãe dela assistindo bem de pertinho e pedindo para meter bem suave na sua neném. Meti bem suave e a safadinha estava de olhinhos fechados gemendo com meu pau pela metade.
A mãe: – Esta gostando filhinha? Seu namorido não está te comendo.
Filha: -Nossa mãezinha, está uma delicia. Que pau delicioso esse moço tem. Meu maridinho não quer comer, tenho mais que dar para quem gosta.
Filha: -Moço coloca o resto de vagar, quero sentir esse pauzão todo dentro de minha buceta.
Meti bem levemente até encostar em sua virilha enquanto sua mãe segurava suas pernas, a mocinha gemeu deliciosamente com o pau bem no fundo de sua buceta. Comecei bombando com vigor, porém suave e ela não demorou muito para gozar gostoso no meu pau deixando a camisinha bem lubrificada. Tirei meu pau de sua bucetinha peluda e fui ao encontro de sua mãe que disse que não poderia dar a buceta, porque chegando em casa seu marido iria perceber, porque ela estava a uma semana fora de casa e sabia que o marido estava tarado por ela e ela teria que meter com ele até ele ficar satisfeito e me ofereceu o cú. Ficando de quatro ao lado de sua filha preguiçosa.
Mãe: -Vem, come meu cú, mas mete bem devagar igual fez com minha filha, tá bom.
Encostei meu pau naquele cú e forcei a entrada. A cabeça passou fácil e assim que entrou, esperei um pouco para acostumar e assim que acostumou ela pediu para que eu metesse tudo de uma vez e parasse. Assim o fiz. Quando meti tudo a mãe deu uma gemida forte e começou a gemer parecendo que estava chorando. Achei estranho mas mandei bala assim mesmo. A safada gritava: _Mete seu pauzudo, come esse cú, me arromba seu puto, come o cú dessa puta, come, mete gostoso.
Peguei na bucetinha da gravidinha e estava molhadinha ainda, enfiei dois dedos e massageei seu grelinho enquanto preenchia o cú de sua mãe, ela gemia baixinho e ficou mais molhada ainda, meti três dedos e a safada recebeu gostoso. Ela gemia enquanto sua mãe gritava com o meu pau em seu cuzinho. A danadinha gozou nos meus dedos e eu meti mais forte no cú da mãe dela. Fiquei cansado da posição. Sentei numa poltrona e a mãe veio de costa para mim e sentou encaixando aquele cú no meu pau descendo até encaixar tudo e ficou quicando na minha pica enquanto sua gravidinha olhava. A filha veio até nos dois e molhando sua mão com saliva começou massageando meu saco enquanto a mãe subia e descia no meu pau. A mãe começou a tocar uma siririca enquanto quicava e acabou gozando bambeando as pernas. Ela se levantou e deitou na cama. A filha tirou minha camisinha e chupou meu pau bem gostoso ajoelhada em minha frente, colocou uma camisinha nova no meu pau e passando as pernas sobre meu colo, ajeitou meu pau em sua bucetinha e sentou fazendo sumir tudo naquela buceta molhadinha. A safadinha cavalgava bem gostoso e assim que ela gozou, levantou seu corpo um pouco e colocou meu pau na entrada do cuzinho e foi forçando para entrar, assim que passou a cabeça, ela abraçou-me e me apertou em seu peito, mamei aqueles peitinhos durinhos e ela deixou seu corpo descer bem levemente até encostar sua bundinha no meu colo e passou a quicar bem devagar, claro que o cuzinho da filha é bem mais apertadinho. A safada gozou e na sequencia não aguentei mais segurar e gozei no cuzinho dela.
A mãe veio e tirando minha camisinha e chupou o restinho de porra que escorria do meu pau, mamava e batia o pau em seu rosto.
Tomamos mais um banho e partimos do motel sentido a cidade. Quando chegou na parada da filha que desceria antes da mãe, decidi fazer uma coisa melhor, peguei duzentos reais e dei para elas se virarem, melhor que ser visto por vizinhos delas e vincular a elas de alguma forma e assim, pedi que as duas descessem e de lá elas se virassem comesse dinheiro.

Deixe um comentário

CAPTCHA