Noite Maravilhosa

Nós somos um casal que praticava o swing com uma certa regularidade e frequentava a casa de swing que fica na beira da Lagoa da Pampulha. Não éramos clientes de carteirinha, mas, em média íamos 1 ou 2 vezes por mês. Já sabíamos algumas nuances de como conseguir descontos, de chegar cedo e estacionar lá no fundo, de qual era o perfil médio dos frequentadores em determinada data, qual dia estaria mais cheio ou mais vazio. Descobrimos que o dia do bi feminino era uma doce ilusão e era mais fácil conseguir uma mulher para menage observando os caras que largavam a amiga avulsa que eles levavam se fazendo de casais na entrada. Eles deixavam as mulheres soltas pra poderem comer as casadas a vontade. O clube era voltado para casais e as mulheres é que davam as cartas. Não vou

Ler maisNoite Maravilhosa