Fodendo a Mãe Safadona do meu melhor amigo

Confira o conto erótico com a narrativa no qual relato como fodi bem gostoso a buceta da mãe safadona do meu melhor amigo, Como todo mundo faz, eu também vou me apresentar. Me chamo Samuel, tenho 22 anos e to no quarto período de direito. Tenho um amigo chamado Tiago que eu conheço a uns 10 anos, crescemos juntos e estudamos juntos. Nos fins de semana a gente bate uma bolinha em um clube perto de onde a gente mora. O Tiago mora no mesmo bairro que eu, só que a algumas ruas de distância.
A mãe dele se chama Melissa, é uma morena alta, meio gordinha e que tem uns peitos enormes. Quando falo que os peitos dela são enormes não é exagero, ela é peituda mesmo. A dona Melissa tem uns 44 anos mas aparenta ter bem menos já que ela é vaidosa, se cuida, tá sempre arrumada e cheirosa.
Alguns amigos nossos não acham ela grandes coisas porque preferem mulheres mais magrinhas, mas como eu sempre gostei de uma gordinha, ficava doido por ela, mas era tudo só na imaginação. Ela era sempre gentil e eu ficava imaginando uma mulher educada daquela como deveria ser na cama. Ela tinha cara daquelas quietinhas que se soltvam.

Ela era separada mas tinha um namorado coroa feio pra caralho, eu tinha um certo ciúme da mãe do meu amigo e costumava ir na casa dele a vontade, mesmo quando ele não tava lá. Um dia o Tiago tava na casa da namorada e fui pra casa dele esperar e filar a bóia. Chegando lá vi a dona Melissa chorando porque o namorado terminou com ela.
Fiquei feliz confesso e dei um abraço nela e tentei consolar. Na hora que abracei essa mulher senti aqueles seios gigantes encostando em mim e por mais que a situação fosse complicada, eu fiquei excitado e de pau duro. Acho que ela percebeu na hora porque cortou o abraço, agradeceu e disse que ia pegar algo para eu comer.
Eu fui ao banheiro com a desculpa que ia lavar as mãos mas toquei uma bronha porque senão meu amigo, meu pau não ia baixar. Começamos a comer e conversar e ela tava mais animadinha. Conforme os dias foram passando ela foi se apegando mais a mim e eu consolando, claro que gostava muito dela, mas tava louco pra comer a coroa.
No cinema a coisa esquentou
Um dia convidei ela pra ir ao cinema comigo já que a coitada passada boa parte do dia sozinha em casa. Ela aceitou e fomos ver um filme de terror. Durante a sessão ela apertou minha mão com medo, fechava os olhos e eu tava adorando sentir ela pertinho de mim, até que comecei a acariciar a mão dela e ela deixou, aproveitei e fui descendo até chegar nas coxas dela e comecei a acariciar. Ela tava de vestido e senti a pele macia das coxas dela e meu pau ficou duro.
Ela olhou para os lados desconfiada, mas como tava muito escuro acho que era difícil alguém ver a gente, então continuei acariciando ela e senti a Melissa se arrepiar. De repente na maior cara de pau segurei a mão dela e coloquei pra sentir meu cacete duro. Ela começou a me acariciar meio tímida e logo pediu pra parar.
Respeitei, assistimos o resto do filme em silêncio e na volta fomos para o carro e chegando lá não resisti e dei um beijo nela. Enfie a língua na boca daquela gostosa e senti ela suspirar de leve. Aproveitei e meti a mão por debaixo do vestido e ela tava toda molhadinha.
A buceta dela era toda peludinha, bem gostosa e gordinha, enchi a mão com aquele bucetão gostoso. Comecei a tocar uma siririca pra ela e ela começou a gemer baixinho, mas era um gemido tão delicioso que eu tava explodindo de tesão.
De repente ela ficou com medo da gente ali no estacionamento do shopping e pediu pra gente ir para outro lugar. Levei ela para um motel e lá já fui apressado tirando a roupa dela. Eu comecei a chupar os peitos dela, mão cabiam na minha mão, imagina na minha boca. Lambi, suguei aqueles biquinhos gostosos e ela ficava passando as unhas nas minhas costas, me arranhando inteiro.
Eu fiz ela deitar na cama e avisei que ela ia ter muito prazer, então tirei a calcinha dela e vi sua xota toda molhada, escorrendo pelas pernas e comecei a brincar com minha língua no seu grelinho. Essa mulher ficou doida, não controlou mais o gemido que saiu bem alto, parecendo uma atriz pornô.

a mãe
Ela tava de frango assado com a buceta gorda bem arreganhada na minha boca e toda hora pedia pra eu não parar. Ela falou que minha língua era gostosa, que eu chupava muito e que desse jeito ela ia gozar bem gostoso. Fiquei um tempo chupando ela, fui ajoelhado até ela e enfiei a rola na boca da safada, fiz ela abocanhar meu pau inteirinho, uma coisa que eu sonhei por tanto tempo.
Depois de me chupar deitei em cima dela e enfiei até o talo nessa buceta macia, uma delícia sentir a bucetinha dela como almofada amortecendo meu corpo a cada metida que eu dava nessa puta gostosa. A gente ficou assim trepando gostoso, pedi pra ela ficar de quatro e soquei sem dó. Achei que a mulher ia desmaiar de tanto que ela tava gemendo e sem fôlego.
Ela começou a pedir com mais força, meti enquanto ela me chamava de safado e logo ela avisou que ia gozar, me arranhou, prendeu meu pau e começou a gemer e respirar mais alto até que gozou gostoso. Foi um tesão e depois que ela gozou ela mamou minha pica até eu jorrar meu leitinho na boca dela. Ela não teve frescura e engoliu tudo.
Depois dessa foda no motel nós dois estávamos suados, cansados e bem satisfeitos. Posso dizer que essa trepada com a mãe do meu amigo foi a melhor que eu já tive na minha vida.

Deixe um comentário