Pegada caipira

Certa vez, durante minhas férias do trabalho optei por passar com a família no interior pois precisava cuidar da minha saúde, algo me deixava inquieta mas poderia ser só estresse acumulado né? Mal sabia eu que aquilo era falta de uma transa, e das boas! RS
Após alguns dias, percebi que estava longe de qualquer contatinho que pudesse me tirar daquela terrível seca, então pra me distrair fui tirar algumas fotos em uma árvore muito bonita que ficava após a plantação atrás da casa, eu estava usando um vestidinho azul bem cinturado, mal me dei conta que depois da cerca trabalhava o filho do dono do outro sítio, que parou ao me ver chegar, visto que só via meus parentes de mais idade e raramente por ali na divisa dos sítios.
Pegando de jeito:
Me abaixei pra ajustar a câmera no chão, nem notei que minha calcinha estava mostrando minha b*cetinha toda marcada, quando me levanto percebo aquele rapaz parado na cerca me olhando com seus olhos sedentos… Tão sexy com suas costas largas e braços fortes! Ali vi minha chance! Fui até lá fingindo a inocente e me debrucei sobre a madeira, exibindo meus seios pelo decote, ele estava vidrado e se contendo pelo que pude notar.

“Você num é daqui, né?” “Não, estou apenas visitando…” Seu olhar penetrante me deixou molhada e não consegui dizer mais nada. Ele olhou em volta e entrou pro meu lado da cerca “e posso saber o que uma moça tão gostosa tá fazendo aqui sozinha? É perigoso, não sabia que tem uns cafajestes por aqui?” “Pois é exatamente isso que tô procurando” e mordi os lábios enquanto passava minha mão do pescoço descendo até contornar os seios bem sensualmente.

Ele me puxou pela cintura com força e me beijou, era um beijo cheio de tesão com suas mãos grossas passeando pelo meu corpo, ele apertava meu peito tão gostoso, sabia muito bem o que estava fazendo! A outra mão apertava minha bunda e minha coxa em seguida, eu estava delirando, então ele usa as duas mãos na minha bunda, vai abaixando até o interno das minhas coxas, com tanta pegada que meu deus! Eu estava tão molhada que fiquei envergonhada mas ao mesmo tempo queria que ele chegasse logo até a ‘cereja do bolo’, sussurrei em seu ouvido “você me deixa molhadinha…” E ele com mais tesão ainda começou a me masturbar por cima da calcinha.

Eu podia sentir seu membro duro, pulsando mesmo com aquela calça grossa por cima! De repente ele me virou de maneira brusca e puxou minha calcinha para o lado, começou a lamber com tanto gosto, do cu até a buceta… tudo! Eu estava indo a loucura, minhas pernas estavam bambeando então me apoiei na madeira da cerca, empinando ainda mais meu rabo.
Eu estava toda melada, sedenta por aquela rola dentro de mim! Então ele se levantou e abriu a calça, eu estava tão ansiosa pra ele meter com força! Mas ele não fez isso de uma vez… Ele começou a passar aquele pau cheio de veias nela toda e no cuzinho (que piscava de tanta excitação que eu estava!) Ele sorriu e disse sádico “piscando assim…. Ah mulher!” E colocou a rola bem devagar pra me ver gemer, tremer de prazer e implorar por mais! “Vai com força….” Disse gemendo e parece que isso o enlouqueceu!

Ele me segurou pela cintura e começou a meter tão forte e com tanta pressão, eu estava quase gozando e então ele puxou meu cabelo para que olhasse pra ele, minha face não negava que jajá iria dar meu doce mel pra ele, então ele passou suas mãos grossas na pele macia da minha boca e me pediu para cuspir, morta de tesão eu o fiz, então ele enfiou o dedo molhado de saliva no meu cu. Me assustei porém foi ótimo, ele mexia tão gostoso, mas tão gostoso enquanto metia que não pude me segurar e gozei, me tremi inteira e ele obviamente notou, porém não parou, e disse se podia botar no cuzinho já que eu estava tão relaxada, disse que gostaria porém que estava com medo e ele disse “não se preocupe, não tenho frescura não” e foi passando a cabecinha em volta do meu botão, ele fez uma força pra entrar a cabeça, ardeu mas aos poucos passou, então rebolei como sinal de que já se podia avançar, quando me dei conta, aquela rola enorme já estava toda dentro, ele me segurou pelos braços me dominando e começou a meter tão bem mas tão bem, meu deus será que eu iria gozar de novo? Já estava toda lambuzada! Ele me puxou para perto dele e começou a gemer no meu ouvido junto de uma respiração pesada e me dizia putarias no pé do ouvido, aquilo me arrepiava inteira, eu gemia tanto! Nunca ninguém tinha me pegado daquele jeito! Eu estava no meu limite, iria gozar de novo, dessa vez, louca de tesão falei enquanto gemia q iria gozar, ele se atiçou mais ainda e começou a meter com mais ritmo e força, então nós dois gozamos. Senti aquela porra toda no meu cu e me senti nas nuvens.

Ele me soltou ofegante e me virou para um beijo, eu estava mole, porém correspondi e foi incrível, um beijo ardente de pós foda. Disse envergonhada que logo voltaria para a cidade, e ele todo safado me disse “mas enquanto não volta… Posso te mostrar umas coisas por aqui…” Eu aceitei e passei meus dias naquele sítio descobrindo muitas coisas novas se é que vocês me entendem….RS

1 comentário sobre “Pegada caipira

Deixe um comentário

CAPTCHA