Primeira vez com o primo

Esse é o meu primeiro conto erotico, não vou contar por ordem cronológica, mas por prazer de relato.
Sou moreno, tenho 35 anos, 1,78m e atualmente casado como uma polaka deliciosa.
Os primeiros contos não são nossos, mas vai chegar a hora de relatá-los com as delicias de um casal cúmplice e apaixonado.
Sou leitor assíduo dos contos e por isso decidi contar as experiências que me tornaram um cara louco por sexo, sem preconceitos e sempre em busca do prazer extremo.


O primeiro relato será da perda da minha virgindade, quando no auge dos meus 16 anos tive o prazer de comer e ser comido pelo meu primo.

Vamos ao que interessa!

Me mudei para Curitba com os meus 14 anos e nos primeiros anos tive dificuldade de arrumar boas amizades e por isso sempre que podia viajava para uma cidade pequena do interior do Paraná, onde estava a minha família e os meus amigos.

Em uma dessas viagens eu, meu primo Giovani e outro amigo de infância, fomos a uma festa no bairro. Passamos a noite bebendo e se divertindo. Conversamos muito e demos muitas risadas.
No meio da noite a cerveja acabou e decidimos ir para casa. Eu, meu primo e esse amigo dormiriamos na casa de uma tia que estava há umas 5 quadras dali.

Até esse dia jamais havia me imaginado com outro homem, isso era impensável para mim naquela época.
Assim que saímos o Giovani já colocou o pau pra fora para mijar no meio da rua, foram uns 30 metros mijando e gritando no meio da rua. Na hora não tive nenhuma atração, foram somente risadas típicas de adolescentes bêbados.

Quando chegamos fomos dormir em um dos quartos, porém só existiam dois colchões de solteiro e estávamos em três pessoas.

O Giovani já era um pouco mais velho, vivia na vagabundagem enquanto eu era um menino inocente, sem nunca ter nem beijado a boca de uma mulher ou visto uma boceta na minha frente.

Meu primo logo dividiu os colchões. Eu e ele dormiriamos lado a lado em um colchão enquanto o nosso amigo dormiria sozinho no outro. Na hora pensei “ sem problemas, afinal já havíamos dormido juntos em várias ocasiões”

Antes de se deitar Giovani tirou a roupa e ficou só de cueca, ele já estava de pau duro, pulsando. Percebi que o pau dele era bem maior que o meu,uns 18cm, mas ainda não tive nenhuma atração. Não sabia o que estava por vir e sem maldade nenhuma também me despi, ficando de cueca e camiseta e deitando ao seu lado no colchão de solteiro. Meu amigo logo se deitou no outro colchão, aos pés do nosso e adormeceu.

Estávamos lado a lado quase de conchinha, afastados apenas por alguns centímetros, dividindo o mesmo travesseiro. Estava quase dormindo quando senti a mão do meu primo passar sobre a minha perna e seguir até o meu pau em um movimento rápido.
No primeiro movimento não tive nenhuma reação, imaginei que seria algo involuntário.
Segundos depois senti sua mão novamente acariciando minha perna, subindo e apertando meu pau sobre a cueca. Meu coração foi a mil. Não sabia o que estava acontecendo.
Ele tirou meu pau da cueca e começou a me punhetar lentamente. Minha respiração foi a mil. Pela primeira vez tinha uma mão no meu pau que não fosse a minha.
Ficou batendo uma punheta gostosa, bem leve, com apenas dois dedos acariciando meu cacete e pressionando levemente a cabeça do meu pau. Ele já sabia como fazer!!!
Nós dois estávamos com a respiração ofegante, tentando fazer o mínimo de barulho possível com medo do nosso amigo acordar.
Fiquei curtindo aquela punheta gostosa até ele movimentar levemente o quadril em minha direção. Esse foi o sinal!
Molhei meu dedo na boca, abaixei a sua cueca e passei minha mão lambuzada na porta daquele cuzinho que estava clamando por uma pica.
Meu primo começou a gemer baixinho, como quem estivesse pedindo para sentir minha rola entrando dentro dele.
Fiquei assim por alguns minutos. Colocando meu dedo até o fundo e ouvindo sua respiração ofegante e seu leve gemido de prazer.
Sem dizer uma palavra, me aproximei ainda mais, abracei sua cintura e comecei a pressionar meu pau na entrada do seu cuzinho.
Provavelmente aquele cú já tinha visto rola, pois sem muita resistência meu cacete foi entrando lentamente dentro dele. Meu primo gemia bem baixinho, não só por conta do amigo que estava dormindo ao lado e pela falta de intimidade, mas pela desconstrução da figura de machão que ele apresentava.
Fiquei eufórico, comecei a bombar com mais força, queria gozar dentro dele ali mesmo, de ladinho, com aquele cuzinho apertando meu pau.
Provavelmente perdemos a noção do barulho e nosso amigo acordou. Resmungou algumas palavras
e paramos o que estávamos fazendo.
Eu ofereci água e meu amigo aceitou. Levantei de cueca e camiseta e fui até a cozinha para pegar. Quando percebi o Giovani estava atrás de mim, só de cueca, com o pau duro saltando pelas beradas.
Enquanto servia o copo com água ele me encochou e passou aquela pica gostosa na minha bunda.
Ele não queria ser somente comido, queria também provar o meu cuzinho virgem.
Colocou o pau pra fora, que era muito maior que o meu,

-Deixa eu te comer??

-Aqui não, o * pode chegar…..

– Ele já está dormindo.

Tentei resistir, mas o meu tesão era maior.

Apoiei meus braços na pia da cozinha enquanto ele abaixava a minha cueca. Ele passou saliva em um dos dedos e molhou a entrada do meu cuzinho. O pau dele era bem maior que o meu (aguardem novos contos) com um pouco de força foi entrando lentamente no meu rabo. Fui sentindo aquele pau delicioso me preenchendo. Forçou sua mão na minha cintura e cada vez mais seu pau me rasgava. Infelizmente não conseguiu meter até o fim. Ouvimos um barulho no quarto e o Giovani pegou o copo com água e foi rapidamente levar para o nosso amigo.
Seu pau não entrou completamente, talvez somente metade, mas foi o momento que eu percebi como era gostoso ser fodido. Ainda bem que eu casei com uma mulher que me come gostoso, pois não viveria sem isso.
Quando voltei para o quarto o Giovani tinha mudado o colchão de lugar, agora estava ao pés do nosso amigo, em uma posição que ele não poderia mais nos ver.
Eu estava louco de tesão, queria ser fodido por ele de qualquer forma. Logo que deitei peguei em seu pau e comecei a punhetar……hummmmm que delícia….Um cacete que sobra na mão, enorme!
Murmurando no seu ouvido pedi:
– Venha me comer!
Abaixei a minha cueca, me pus de ladinho, arrebitei minha bundinha e fiquei esperando ser comido pelo meu primo.
Ele forçou uma vez, duas vezes, três vezes, mas não conseguiu. Meu cuzinho estava muito apertado e qualquer descuido poderia fazer o nosso amigo acordar.
Nossa, parecia que eu tinha nascido pra isso, queria ser fodido a todo custo. Estava louco de vontade sentir seu pau dentro de mim. Queria ser dominado, sentir o penso de seu corpo em minhas costas tendo o cabelo puxado, xingado, submisso…Uma verdadeira putinha.
Sem conseguir me fuder com o pau, eu peguei a sua mão e comecei a socar no meu cuzinho. Molhei meu rabo com saliva e comecei a socar o seu dedo no meu cú, deliciosamente.
Ficou me fodendo por alguns minutos. Eu segurava a sua mão enquanto seu dedo preenchia totalmente dentro de mim…….eu, gemia baixinho como uma putinha….
Enquanto ele me fodia com os dedos, de ladinho e arrebitado bati uma punheta até gozar….Nossa, gozei muito. Me senti realizado…..
Depois de satisfeito, meu primo levou a minha mão até a sua rola……Queria ele se satisfazer. Comecei a punhetar por debaixo do lençol…. Seu pau preenchia toda a minha mão…..fiquei alguns minutos batendo uma punheta, passando os dendos sobre a glande e segurando todo o mastro…até sentir sua porra escorrendo sobre os meus dedos e um breve urro de prazer…..
Dormimos e acordamos como se nada tivesse acontecido…

Até o próximo encontro…

Deixe um comentário

CAPTCHA