Liberando a buceta molhadinha para o meu patrão safado

Vou contar uma história que aconteceu a uns anos atrás, quando eu era mais nova e tive que trabalhar numa casa de família quando vim morar no Rio de Janeiro para poder estudar. Eu me chamo Renata, tenho 32 anos hoje, sou morena, cabelos lisos até a cintura, olhos meio puxadinhos, seios grandes e uma bunda bem feita.

Quando eu tinha 19 anos minha família era bem fodida de grana, por isso quando resolvi me mudar para a cidade, uma tia minha me indicou para trabalhar na casa de uma família que ela conhecia para eu cuidar dos filhos de um casal. O trabalho era tranquilo, eu dormia lá em um dos quartos que ficava na dependência e minha patroa me tratava muito bem.

O marido dela era um coroa com uns 40 anos, cabelos meio grisalhos, olhos claro e um corpo até bonito para a idade. Ele sempre me olhava com uma cara de safado mas nunca tinha feito nada, só que com o tempo, depois de uns meses eu trabalhando lá, ele foi ficando mais saídinho. Ele era atencioso comigo, quando sua mulher saia ele me trazia uns mimos, me ajudava na cozinha, parecia que era meu namorado.

Eu tava completamente envolvida por ele mas eu não queria perder meu emprego. Com o tempo ele ia ficando mais ousado, me pegava pela cintura, beijava minhas costas, meu pescoço e eu me saia sempre, mas confesso que era bem difícil não ceder, ele parecia ter uma pegada maravilhosa.

Eu não tinha muito experiência no sexo, só tinha dado 3 vezes para um ex namorado e ainda ficava meio nervosa só de pensar em dar pra ele. Um dia minha patroa foi dar plantão no hospital e eu iria passar a noite com ele pela primeira vez sozinha. Coloquei os filhos deles na cama e fui tomar meu banho pra tentar relaxar.
Meu patrão entrou no banheiro e mostrou o pau

Quando eu tava no banho ouvi a porta se abrir e era o doutor Marcos, meu patrão. Ele tava só de short, sem camisa, mostrando os pelos do seu peito e com a maior cara de safado me olhando. Eu me tremi inteira e senti um calor no meio das minhas pernas.

Ele me olhava sem parar até que falou: – Hoje você não tem como escapar! Tem um tempão que tô louco pra te comer e não aguento esperar mais. – Eu fiquei bem nervosa e com tesão ao mesmo tempo e sem que eu pudesse falar qualquer coisa ele tirou o short e seu cacete que já tava bem duro e era grosso, acabou saltando pra fora e me deixando chocada com o tamanho.

Ele tinha as mãos enormes, já veio me pegando pela cintura e me puxou pra beijar minha boca. Ele enfiava sua língua na minha boca e me deixava mais molhadinha ainda. Parece que ele adivinhou certinho, porque já foi colocando a mão na minha bucetinha pra ver como tava e sorriu se achando o gostosão quando percebeu rs.

Ele me beijou inteira, desceu até meus seios e começou a chupar cada um. Ele enfiava a boca mesmo, deixava marcas e não parava de sugar os biquinhos. Eu a essa altura gemia toda safada cheia de tesão e fiquei bem afim de dar logo para esse macho gostoso e maduro.

Ele me levantou no colo, me encostou na parede do chuveiro, e começou a me beijar gostoso enquanto abria minhas pernas e ia tentando encaixar seu pau duro na minha buceta molhada. Eu soltei um gemido alto quando ele enfiou a pica inteirinha em mim, nem consigo descrever o misto de dor e prazer e o arrepio que senti.

Enquanto metia ele beijava meu pescoço, me chamava de cachorra e dizia que eu ia virar a putinha dele e com a minha buceta apertadinha daquele jeito, ele ia querer me foder todo dia até não aguentar mais. Foi muito gostoso, sentir aquele macho bombando em mim, seu saco batia na beirada da minha bucetinha e eu gemia feito uma puta de filme pornô.

Ele socava, minhas costas batiam na parede até que ele perguntou:
– Quero te levar pra cama e comer você todinha, você quer?
Eu disse que sim e fomos pra cama, ele todo gentil me levando no colo. Meu patrão me jogou na cama, deitou por cima de mim, senti o peso do seu corpo em cima do meu e seu pau encaixado em mim novamente.

Ele metia, urrava em cima de mim e levantou de repente, me botou de quatro e me puxou até a beirada da cama pra meter nessa posição. Ele segurava minha cintura e metia com força na minha bucetinha. Eu já tava toda assada mas queria mais pica e como a piroca daquele homem era gostosa. Me preenchia inteira e me deixava louca.
patrão
Ele perguntou se podia comer meu cuzinho mas eu nunca tinha dado, então neguei mas quando disse que meu cu era virgem, o homem enlouqueceu. Ele insistiu tanto, mas tanto, que acabei deixando mesmo morrendo de medo. Quando ele meteu o pau, não queria entrar de jeito nenhum, ele levantou, pegou um lubrificante e mesmo assim ficou difícil. Ele teve que enfiar um dedo no meu cuzinho e ir abrindo caminho.

Confesso que fiquei louca, comecei a sentir dor mas junto veio um prazer gostosinho com aquela novidade na cama. Depois de um tempo metendo o dedo ele disse que não tava aguentando mais, o pau latejando de vontade de me sentir e foi encaixando aos poucos a sua pica.

Meu patrão gostoso enfiou aquele caralho grosso no meu rabo e eu sentia como se tivesse rasgando meu cuzinho inteiro, a pica dele era muito grossa mesmo. Ele pedia pra eu rebolar e comecei a mexer meu corpo meio tímida, por conta da dor, mas logo eu tava anestesiada e deixei ele me comer com mais força e comecei a rebolar minha bunda enquanto tocava uma siririca gostosa.

O suor do meu patrão pingava no meu corpo, eu achei isso tão tesão, ficava louca, até que gozei me masturbando e fiquei toda relaxadinha levando pirocada. Ele não parava, o homem parecia uma máquina de fuder e não demorou muito pra gozar não, ele gozou e encheu meu cuzinho de porra. Hoje sei que foi uma doideira transar sem camisinha, mas na época nem pensei muito nisso. Só sei que no tempo que trabalhei lá, esse homem me ensinou muita putaria e hoje sou completamente louca por sexo com homens mais velhos.

Deixe um comentário