Proposta indecente cunhada real

Não sou experiênte em contos, vou contar um fato real, talvez você goste. Me chamo João, moreno alto sou casado 7 anos, sem filhos, minha mulher tem uma irmã mais velha, Marta branca alta cabelos longos e preto, bonita de corpo e rosto, falsa magra, casada com Erick branco baixo, eles teem dois filhos, um casal.

Tinha uma dúvida que estava cobrando a um tempão ao meu cunhado Erick, e ele sempre me dava desculpas, que iria acertar a dívida, que estava apertado pois bateu o carro e estava com prejuízos, combinava sempre uma data e chegava na hora nada.

Então eu chateado pois meu nome já estava sujo por causa dele, fui conversar com sua mulher, minha cunhada Marta sobre o assunto, na boa, ela trabalhava em um escritório e ganhava até mais do que ele.

Ela ficou surpresa pois não sabia que ele não tinha pago:

– Nossa João o Erick ainda não te pagou aquela dívida?!

– Eu: Não Marta, chato isso por que sujou meu nome.

– Ela: Vou dar um jeito, pode deixar…

– Respondi, tá bom.

Passado um tempo, de novo recebo várias ligações de cobrança. Novamente fui falar com minha cunhada, pois já tinha cobrado muitas vezes o meu cunhado, sem sucesso.

– Marta ainda não conseguiram quitar a dívida né?

– Ela: Aí João desculpa, não conseguimos mesmo, sabe o que é, estamos com umas dúvidas atrasadas também por isso deixamos de pagar o acordo, de novo, mas eu vou resolver, mil disculpas estou muito envergonhada!

– Eu: Entendi, então vou ver se eu pago, pois preciso do nome limpo para financiar minha obra e terminar minha casa.

– Ela: Aí cunhado desculpa mesmo!, se eu pudesse te ajudar em alguma coisa. Eu respondi, por instinto mesmo, vendo minha cunhada na minha frente, com uma carinha de manho e com um shortinho curtindo desse de casa.

– Respondi: Vou fazer uma proposta indecente pra você rss.

– Ela: Está louco menino, olha só!

– Eu: Calma cunhada brincadeira, brincadeira.

– Minha cunhada: hum, sei. Respondeu meio desconfiada.

– Respondi: Mas se quiser conversar sobre o assunto pode me chamar no telefone, fica somente entre nós esse assunto.

Pensei pronto, agora levo um tapa na cara, ou ela vai contar tudo para minha mulher, não passava nem agulha!, mas por incrível que pareça foi diferente, ela respondeu:

– João você é muito safado, mas eu não tenho coragem de fazer nada disso, vai embora vai, Erick vai chegar com as crianças.

Fiquei bem aliviado, fui embora.

Passou uns 1 mês e meio mais ou menos, um belo dia minha cunhada me manda mensagem:

– você está em casa João?, Eu respondi – – sim.

Eu trabalho a noite por isso fico o dia inteiro em casa.

Ela mandou outra: – – Vou passar ai com a Elaine, pegar um pote. Elaine é minha sobrinha, 11 anos, a cara dela.

– Eu respondi, tudo bem, deixa só eu tomar um banho, já te ligo.

– Ela: Ok.

Tomei um banho, coloco um samba canção somente, sem camisa, costumo ficar assim mesmo de boa em casa, e atendo elas.

Minha cunhada estava com cabelo rabo de cavalo, fica mol gata assim, e usava uma calça legging colada de matar, ela tem um corpão gostoso, sem muita perfeição pois tem filhos, mas que bunda ela tem!, toda empinada. Minha sobrinha usava sainha.

– Oi João, vim pegar um tapewere aqui que ficou com minha irmã.

– Minha sobrinha: Oi tio! Meu deu beijo no rosto, posso usar o banheiro?

– Eu: Pode, tá bom Marta, acho que é este aqui.

– Minha cunhada: Nossa, tem roupa não?! Dando uma risadinha.

– Eu: mol calor cara.

Isso era umas 15:00h

Senti ela olhando para o lado e para o outro e vendo onde minha sobrinha estava, e falou baixinho:

– Lembra aquele assunto?

– Eu: Qual?! Pois fazia um tempo.

– Ela: Aquela proposta, era sério?! Falando baixo.

Eu: – sim.

Marta: – Eu quero, mas com uma condição, fica em segredo total entre a gente! Nunca fiz isso antes.

– Eu tremi um pouco na hora, segurei na mesa, pensei: caraca vou comer minha cunhada gostosa!! Logo respondi sério, – Tá bom, claro, fica só entre a gente, sigilo total, falando baixo.

Ela olhando nos meus olhos disse:

– Tá bom, depois te mando mensagem, estou com a Elaine hoje, amanhã estou livre a tarde, a gente conversa tá. E saiu batendo o cabelo e rebolando um pouco. Oooo cunhada gostosa.

No outro dia… Minha cunhada me mandou uma mensagem: Oi cunhado, tudo bem? Eu: Tudo.

Ela: Aquele acordo ainda está de pé?

Eu: Sim, claro, com uma condição!

Ela: Condição? Que condição menino?!

Eu: Gostaria que vinhece aquí em casa, com cabelo amarrado tipo rabo de cavalo que você usa, de saia solta, curta e sem nada por baixo e, de salto alto, tudo bem?

Ela: Humm, tudo, deixa eu ver…

Ela: Eu tenho uma saia assim João de quando eu ia para igreja, mas está curta em mim, se eu abaixar um pouco da para ver quase tudo!

Eu: Não tem problema, é essa mesmo!

Ela: Olha que safado! Tá bom, vou colocar, daqui a pouco estou aí… morávamos próximo.

Eu estava ansioso esperando ela, já fazia meia hora e nada da minha cunhada, quando campainha toca…

E abro a porta…

– Oi João, tudo bem? Assim está bom?

E vejo a visão do paraíso, aquela mulher deliciosa na minha frente, cabelos preto cumprido amarrado, blusinha preta com decotão, sainha curta tecido fino meio vermelha meio florida, sandália salto alto.

Eu: Dá uma volta pra eu ver…

Ela virou… e desvirou rápido, segurando a sainha na parte das pernas, mostrando aquele volume de bunda, marcando todo o bumbum, estava sem calcinha mesmo, que visão…

Fechei a porta e não aguentei, fui logo agarrando ela tascando lhe o maior beijão de língua, empurrando ela contra a pia, apertando os seios gostoso dela, ela: – Calma, clama cunhado,vai rasgar minha roupa! Eu: Deuculpa, é que você me deixa doido, depois apertei gostoso aquela bundona dela sem calcinha e continuei a beijando e chupando os seios dela.

Ela:-Ai cunhado, ai.

Eu afastei um pouco e disse a ela, agora me chupa!

Ela ficou olhando pra mim, depois ajoelhou na cozinha e disse: Eu nunca coloquei a boca em outro homem e pegou no meu pau.

Começou um boquete maravilhoso, que boquinha gostosa!, eu segurando o cabelo dela rabo de cavalo e ela me chupando bem lento, meio envergonhada.

Depois de um tempo falei pra ela: – Levanta agora, fica de costas, se apoia na pia e empina a bunda, vou te comer todinha agora! Ela ficou olhando pra mim, depois levantou, se apoiou na pia da cozinha e perguntou: – Assim?! Eu: -Isso!

Levantei aquela sainha fina, encoxei com quelas coxas e rabão branco gostoso, me encaixei e penetrei naquela boceta linda da minha cunhada e empurrei devagar, ela já gemeu: Aí João

Fui bombando e bombando atrás dela e olhando pra ela com aquela carinha de prazer e manha com olhinho fechado… Ela só gemia:

– Aí, aí, aí, aí cunhado

– Ai, aí, aí

– Eu falava no ouvido: Vou te fuder todinha bem gostoso cunhadinha.

Ela: Aí, aí, ai, me come cunhado, ai, ai, aí, aí, me come igual uma cadela, aí, aí cunhado, ai, aí.

Eu já estava louco de tesão: Vou te comer cachorra, você é minha fêmea, é minha mulher agora! e socava fundo cada vez mais.

Ela: – Aí, ai, sou, sou, ai, ai, aí cunhado, que pau duro, ai, aí, ai…vou gozar, aí, aí…

Eu: vou te encher todinha, vou gozar dentro de você!

Ela: -Ai, não, aí, aí, aí, aí.

Eu segurei ela pelos braços empinada pra mim com aquele bundão gostoso com marquinha leve de sol e soquei bem fundo rugindo igual a um urso: Toma cachorra, toma!!! E gozei muito dentro dela, bem gostoso, até o final…

Que mulher gostosa.

Ela deu um suspiro e se afastou um pouco subindo a saia.

Depois me disse: – Foi só dessa vez tá João, eu estava precisando.

Após isso nos olhamos, e nos beijamos.

Ela foi no banheiro, depois voltou e disse: -Se você contar para alguém eu te mato viu!

Eu disse: Fica só entre nós, dando um tapa naquela bunda gostosa.

Ela: Aí!! Safado.

E foia embora, dando só um discreto tchau com um sorrisinho e rebolando a bunda.

Fim

Em breve conto mais…

Deixe um comentário

CAPTCHA