Cunhada safada dividindo rola

Namoro uma gata chamada Marcela.

Uma ruivinha (pintada) de 1,73 de altura, gostosa demais.

Seios grandes, cinturinha media e uma bunda deliciosa que quando rebola sentada no meu pau, quase me faz gosar.

Tinta sensual: Como escrever histórias eróticas criativas
Estamos juntos a quase 11 meses e toda a família se amarra em mim, mas sua irmã mais nova, Marcia, fica meio arredia quando estou com Marcela.

Marcia, tem 19 aninhos, mas parece que tem uns 26 (idade de Marcela), mas é muito mais gostosa do que Marcela.

Imaginem uma menina de cabeços castanhos claros naturais, na altura das orelhas, 1,69 de altura, mas totalmente deliciosa pra sua altura e idade.

Seios não tão grandes quanto os de sua irmã, mas com uma bunda deliciosamente maior, e que vive coberta ou por uma saia nos joelhos te pano fininho ou de short de lycra que deixa bem marcado a sua bucetinha inchada e pedindo para ser chupada.

Certa vez, fomos a uma festa e Marcela pediu que eu dormisse em sua casa por causa do avanço da hora.

Relutei, mas acabei aceitando.

Dormiria no quarto com Marcela, o que despertou uma ira em sua irmã por não ter autorização para levar namorados para casa e por conta disso, Marcela e Marcia acabaram discutindo e eu para defender Marcela alterei o tom de voz com Marcia que muito puta de raiva saiu batendo o pé para seu quarto.

Pois bem…

Marcela e eu ficamos conversando por uns 40 minutos até que Marcela anunciou que iria tomar um banho para começarmos irmos dormir…

Dormir?!

Isso me jogou um balde de agua fria…

Então ela pediu que eu fosse um pouquinho paciente pois demoraria um pouco.

Aceitei e comecei a mexer no celular quando veio em minha cabeça a discussão com Marcia, junto de um peso na consciência por ter gritado com ela.

Resolvi então ir até seu quarto pedir desculpas pelo ocorrido.

A porta estava encostada.

Bati mas não fui atendido e então resolvi entrar.

Ao entrar me deparei com Marcia dormindo de bruços com seu rosto virado para a porta, com um vibrador próximo das pernas e seu notebook ao lado da cama passando um pornozinho engrenado!.

Passava uma serenidade em seu rosto como se esgotasse todas as suas forças depois de se masturbar e apagou ali, assim mesmo.

Fui tomado por um tesão enorme, principalmente quando comecei a reparar em seu corpo na cama.

Estava com a tal saia que falei, mas pela brincadeira anterior, ela estava meio enrolada, mostrando uma bunda branquinha e grande, com uma calcinha pequenininha rosa e completamente enfiada em sua bunda e que também partia no meio sua bucetinha com poucos pelos, porem babada da brincadeira.

Pirei ao ver aquilo e comecei a mexer e a apertar meu pau que já estava duro e pulsando.

Pra minha surpresa, Marcia deu uma respirada funda e se manteve de boca meio aberta.

Aquilo mexeu mais ainda comigo me fazendo maldar inúmeras situações.

Não resisti e coloquei meu pau pra fora da calça e comecei a punhetá-lo olhando para minha cunhada deliciosa.

Me aproximei dela e ao ver que não esboçava nenhuma reação, passei a cabeça do meu pau em seus lábios melando eles com a baba do meu pau.

Coloquei a cabeça do meu pau em sua boca e senti sua língua como se chupasse dedo.

Que loucura aquela situação.

Comecei um vai e vem naquela boquinha de lábios rosados como se ela me chupasse.

Que tesão..

Aquilo já não se mostrava mais o suficiente e tive que toca-la.

Puxei sua saia para o alto e mexi no clique lateral de sua calcinha a fazendo abrir.

Joguei-a para o lado e acariciei levemente sua bunda, logo chegando para sua bucetinha que estava quente e encharcada.

Comecei a alisar sua bucetinha e encontrei o caminho da felicidade, ou melhor..

Sua raxinha me conduziu pra lá!

Passei o dedo no seu grelinho duro e senti mais uma pressão em meu pau.

Que delicia, mas ao voltar meu olhar para Marcia, ela olhava pra mim e apertava meu pau contra o ceu da boca com sua língua.

Tomei um susto e quando ameacei sair, ela começou um boteque frenético .

Voltei com minha mão para sua bucetinha quente e enfiei um dedo nela.

Ela soltou um gemidinho baixinho e continuou a chupar.

Ela passou a se balançar como se rebolasse no meu dedo.

Então ela parou de chupar e se sentou na cama, olhou para mim e disse:

– Que cunhado safado esse.

Só vou te falar uma coisa.

Ou você termina a brincadeira, ou conto tudo pra minha irmã.

Nem pensei duas vezes.

A deitei já beijando sua boca, e sendo muito correspondido.

Apontei meu pau na entrada de sua bucetinha que de tão molhada, escorregou meu pau fácil fácil, arrancando um “ai que delicia”.

Ela abriu ainda mais suas pernas e eu comecei a meter e ela gemendo baixo, mas aumentando o volume e o ritmo das gemidas.

Voltei a beija-la na intenção de abafar seu gemido.

Aumentei o ritmo das estocaras e ela se contorcia.

Tirei meu pau e como se lesse pensamentos, Marcia se posicionou de quatro e disse:

-Vai.

Meu come de quatro!

Mete na sua cunhadinha puta!

Apontei o pau novamente e ela fez questão de forçar pra tras, fazendo meu pau entrar todo e de uma vez.

Uma delicia ver aquela gostosa de quatro e eu socando naquela bucetinha.

Ela empinava e rebolava e eu metendo muito, cada vez mais rápido!

Agarrei a cintura dela e aumentei ainda mais o ritmo da metida.

E ela começando a se descontrolar.

Então ouvi um barulho no banheiro, pois deixei a porta do quarto dela encostada.

Nem pensei duas vezes.

Pulei e corri pro quarto da Marcela, mas ainda estava com o pau muito duro.

Tentei disfarçar e fui surpreendido por Marcia entrando no quarto e já abocanhando meu pau novamente.

Estava num misto de tesão desenfreado e tensão de Marcela entrar a qualquer momento.

Então ouvimos a tranca da porta do banheiro abrindo.

Marcia deu uma ultima lambida, veio e me deu um rápido e saboroso beijo e correu para seu quarto.

1 minuto depois, entra Marcela, com uma camisa comprida, mas que deixava a mostra seus mamilos .

Marcela olhou pra mim naquela situação, com o pau completamente duro e disse:

– O que significa isso?

Por que você está assim, duro desse jeito e suando?

Sem pensar, saí respondendo de estalo.

– Estava pensando na gente e fiquei excitado com isso.

Você me deixa louco de tesão.

Ela sorriu e veio se aproximando toda maliciosa, já passando a mão no meu pau e punhetando enquanto olhava pra mim.

Disse:

– Vc é uma delicia.

Pode deixar que vou resolver esse problema !

Abocanhou meu pau e chupou me arrancando urros de tesão.

Ao olhar para a porta, estava Marcia olhando com cara de raiva, mas tocando sua bucetinha.

Marcela chupava melhor que sua irmã e a chupada se intensificou ainda mais quando eu disse que queria comê-la de quatro.

Marcela se posicionou assim, enfiei com tudo e Marcela gemeu alto.

Comecei a bombar e ela a rebolar e a gemer alto.

Aquilo estava uma loucura.

Quando anunciei após algumas bombadas que ia gosar.

Marcela saiu, se ajoelhou e começou a chupar até eu derramar todo o meu leite em sua boca.

Marcela não só engoliu tudo como lambeu e limpou tudinho.

Nos deitamos agarradinhos e Marcela acabou adormecendo ao meu lado.

Olho para a porta e vejo Marcia me chamando, irada!!

Me levantei como quem fosse ao banheiro e Marcia me puxou pelo braço ao seu quarto.

Olha pra mim com cara de raiva e choro dizendo:

– Era pra ser eu ali!

Era pra você gosar comigo e não ela!

Não é justo !!

Olhei em seus olhos, limpei suas lagrimas e a beijei a abraçando forte em seguida, dizendo em seu ouvido.

Temos a vida inteira pela frente, namorando a sua irmã ou não.

Ela me beijou novamente e disse:

Vou cobrar..

Voce agora será nosso, mas quando eu quiser, será só meu !

Tomei banho e fui dormir ao lado de Marcela.

Essa brincadeira continuou mais uns 6 meses, até que Marcela descobriu..

Mas essas e outras , conto a vcs depois..

Enquanto isso, votem, comentem , me mandem fotos, vídeos..

Será um prazer ler, saber se gostaram e logico, gosar gostoso com vcs, suas fotos, vídeos e experiências.

Até mais!

1 comentário em “Cunhada safada dividindo rola”

  1. Sou doido pegar uma mulher dos olhos claro nunca transei com um mulher de olhos verdes, azul kkk besteira né mais tenho vontade uma japonesa 11954485050

    Responder

    Responder

Deixe um comentário