Ajudei amigo com dor na escola

Me chamo michel, 18 anos, cursando terceiro ano do ensino médio.
Sou uma pessoa bem timida
Um dia normal como todos os outros, todos desceram pro patio e eu como de costume fiquei na sala, mas para minha surpresa um amigo meu tinha ficado na sala pois dizia estar cansado: era daniel ( hetero, 17 anos magro, sarado, e os meninos diziam que ele era dotado) fiquei surpreso pois nunca ficava ninguem junto cmg, e daniel deita e tenta dormir na cadeira msm


Mas logo percebo que algo o incomodava, estava virando mt de posição e em seu rosto fazia uma expressão de dor, logo decido tentar ajudar e pergunto se ele esta bem…
Eu: daniel esta tudo bem?
Daniel: estou com um pouco de dor cara mas estou bem sim
Eu: ok, então. Se precisar de alguma coisa é so falar.

Passam 15 minutos e daniel me chama com uma voz parecendo estar desesperado

Daniel: michel vem aqui
Eu: estou indo
Daniel: ta bom, eu menti pra vc, não estou bem não e preciso de sua ajuda
Eu: tudo bem, o que posso fazer?
Daniel: estou com uma dor muito forte no corpo
Eu: ok, vc quer eu faça uma massagem ou ligue pra alguem pra trazer algum remédio?

Daniel: não, não.
Daniel: essa dor é em um lugar que não tem como fazer massagem nem remedio dá jeito, só tem um jeito de fazer a dor passar…
Eu: ok, mas a onde é essa dor e como faço pra ela passar?
Daniel: ta bom, vou falar mas vc não pode falar com ninguém, ok?
Eu: sim, tudo certo

Daniel: lembra da minha namorada?
Eu: lembro sim
Daniel: então, ela teve lá em casa ontem e a gente ficou se esfregando mas ela não deixou eu meter, pois diz que não esta pronta ainda.
Daniel: estou cheio de tesão, não consegui nem bater uma punheta pra aliviar
Daniel: a dor que estou sentindo é no saco, meu saco esta gigante de tanta porra acumulada e esta pulsando mt de dor por estar cheio
Eu: nossa cara, que merda heim, deve estar doendo pra kct mas o que vc quer que eu faça?

Daniel: bem vou falar logo de uma vez, quero que vc faça um boquete em mim.
Eu: como assim um boquete?!! Sou hetero cara
Daniel: calma, calma, eu sei que vc é hetero mas é que to precisando mt de ajuda msm, quebra essa pra mim aí
Eu: bate uma punheta cara
Daniel: eu ja tentei mas não adianta, meu pau não aceita mais mão não, ele quer buceta ou boca pra se aliviar

Sai meio puto da conversa por causa do pedido de daniel e deitei do outro lado da sala, mas passado um tempo comecei a sentir pena da situação dele, o cara tava se contorcendo de dor

e assim não deu outra e resolvi ajudar ele

Eu: daniel, tudo bem, vamos lá
Daniel: sério?
Eu: sim, anda antes que eu mude de ideia

E assim fomos pra o banheiro masculino que naquele horário estava vazio, entramos em uma cabine, sentei na privada e daniel veio devagar (o cara não estava nem andando direito) e se posicionou na minha frente, começou a tirar o cinto e a calça
Eu não nem acreditando que realmente ia fazer isso, mas como era pra ajudar um amigo topei

Assim com as calças abaixadas, so o que separava o pau de daniel da minha boca era sua cueca, e ele pergunta se pode tirar ou se eu quero tirar, resolvi tirar eu mesmo.

Abaixei a cueca e vejo um pau meia bomba já mt grande, de cor bronzeada, e um saco imenso de tanta porra acumulada, realmente não tinha noção do que daniel estava passando, devia estar doendo horrores mesmo
Confesso que fiquei impressionado com aquele pau, nunca tinha visto um pau de outro cara pessoalmente e nem tão perto do meu rosto
e então daniel assume o controle e pede pra eu abrir a boca

Abro a boca e vejo um pau gigante ( agora já todo duro, com uma cabeça grande e vermelha pra fora igual a um cogumelo, cheio de veias e bem grosso) em direção a minha garganta, e pra minha surpresa entrou até o fundo, fazendo daniel soltar um gemido e assim com seu pau ja dentro começa a fuder minha boca tão forte e rapido igual como se fudesse uma buceta
Daniel parecia ter esquecido que eu era um pessoa e me tratava como o buraco que engolia seu pau

Não demora muito e assim avisa que vai gozar e falo pra ele tirar o pau de mim, o que não fez e assim segurou minha cabeça com força com as 2 mãos, atola seu pau na minha garganta e prende minha cabeça com suas pernas musculosas de futebol me deixando preso com a boca chupando seu pau, meu naris em seus pentelhos e com suas bolas, saco grudados no meu queixo

O odor de macho de seus pentelhos era impressionante, dava pra sentir a testoterona

Logo com meu rosto preso em sua virilha tento de tudo pra fugir, pois não queria engolir sua porra: tento gritar, dar socos nele, tentei tirar minha boca do pau dele com toda a força que tinha mas não adiantou e infelizmente tive que aceitar que beberia seu esperma contra a minha vontade, sinto seu pau crescer em minha garganta e pulsar junto com seu saco e assim veio uma cachoeira de goza pra dentro de mim e sem escolha tive que engolir pois se não ficaria sufocado
E bebia e bebia ate não aguentar mais (parecia interminável a quantidade de leite que daniel soltava) e daniel com uma cara de satisfação e felicidade no rosto por ter conseguido o que queria
Após uns minutos ele Tira o pau de dentro de mim e se desculpa dizendo que se gozasse fora ia sujar a mim e o lugar todo.
O sinal bate e voltamos pra sala de aula daniel super bem agora e eu com o que parecia ser 1 litro de porra no estomago. Daniel me agradece e diz que vai me recompensar um dia…

Deixe um comentário

CAPTCHA