Perdi a virgindade no banheiro

Olá tudo bem, vou narrar esse delicioso conto erótico que aconteceu comigo, meu nome é Allana, 20 anos morena clara, cabelo preto e liso.
Na minha adolescência sempre fui muito tímida, fazendo com que chegasse aos 20 anos virgem. Nessa idade todo mundo sabe que perdemos nossas amizades, algumas por se mudarem outras por que a cabeça mudou muito e as ideias já não batem.

Meu caso foi um pouco de cada, primeiro a cabeça já não batia com a maioria dos amigos e depois me mudei pra uma cidade vizinha em busca de emprego.


Cidade nova, vida nova, sem amigos. Enfim comecei a trabalhar, e evitava um pouco os colegas de trabalho pois como só encontrei emprego numa área que não me agradava, a mentalidade minha e dos colegas também não batiam.

Decidi baixar o tinder, match pra cá, desliza pra lá. Dei match com Vitor, ele parecia meu número branquinho, cabelo preto, sem barba, alto. Mas vida que segue, no dia seguinte ele mandou mensagem ”Oi, bom match” ”Quer fazer algo mais tarde?”

Nesse dia, por acaso era minha folga, e eu pensei: Porque não? Não tenho nada pra fazer mesmo e a ideia é conhecer pessoas. Respondi então que sim, poderíamos ir até um barzinho ou café. Marcamos então pras 19h num barzinho no centro.

Me depilei, passei creme, maquiagem de leve, perfume, tudo. Se fosse acontecer algo eu estaria preparada.
Por acaso, o onibus atrasou aquele dia, e ele me ligou a perguntar onde eu estava. Eu gostei da voz dele.
Como boa geminiana que sou, fantasiei um pouco a situação mesmo no ônibus mas até chegar lá já tinha passado a ideia da cabeça.

Cheguei no encontro, conversamos sobre gosto musical, carreira, família, planos pro futuro, nos adicionamos em redes sociais, etc enquanto bebíamos uma cerveja. Depois chamei ele pra ir dar uma volta, e ele perguntou se não me importava de ir até o escritório dele buscar uma coisa que tinha esquecido.

Fomos até lá, ele entrou e eu fiquei na porta. (Mal sabia de como ia me arrepender disso futuramente.)
Ele tinha trabalhado o dia inteiro então sentamos num parque que tinha praticamente a frente do escritório e ficamos lá quietos. Eu falo pra ele dizer alguma coisa, e ele diz que não sabe o que dizer mas que gostou da minha companhia… eu também meio sem jeito digo que isso é importante.

Puxamos um assunto nada a ver sobre o parque ser entre duas ruas movimentadas e silencio de novo.
Começo a ficar nervosa com aquele silencio e penso que aquele parque seria um bom lugar pra um primeiro beijo. Ele começa a me olhar e olhar pra frente.

Eu pergunto o que foi e ele só ri e diz ”Nada, não posso olhar?”
Não sei o que me deu aquele impulso mas chego um pouco mais perto e ele volta a olhar pra mim, e roubo um beijo. Lento, molhado, e demorado. Ele retribui.

Após o beijo ele pergunta se não quero ir pra um lugar mais reservado, me chama pra ir pra casa dele. Eu digo que não, que tenho que trabalhar no outro dia cedo. Mas na verdade estava preocupada, primeiro por que eu não conhecia ele, era a primeira vez que estávamos saindo, se ele me matasse ou sei lá.

Em segundo por que
era virgem e não tinha dito nada sobre isso. Ainda em meio aos meus pensamentos quando vejo ele levantou e me estendeu a mão, eu levantei e ele disse

”Vamos até aquele centro comercial beber um café então”.

Fomos, assim que entramos no elevador eu abaixei amarrar meu cadarço, quando levantei ele colocou a mão na minha cintura por baixo da blusa e me beijou encostando na parede.
O elevador abriu, paramos imediatamente, uma mulher entrou eu sai do elevador. Ele veio comigo, e fomos pelas escadas. Ah, aquelas escadas…

Cada lance de escada que subiamos tinha um bom espaço entre outro, nesse espaço sempre paravamos de subir e nos pegavamos loucamente. Eu ainda timida e insegura, mas adorando tudo.
Subimos uns 3 lances apenas nos beijando com vontade.

continua depois da publicidade

No quarto, minha mão estava apoiada na cintura dele e ele abaixou pra cueca, eu continuei beijando e dei uma apertadinha. Fui subir os primeiros degraus e ele atrás de mim passou a mão na minha bunda, retribui colocando minah mão em seu pau por cima da roupa.

No quinto lance, foi onde fiquei super exitada. Ele me beijou e me virou contra a parede, estava bem perto beijando meu pescoço enquanto eu sentia seu pau duro encostando na minha bunda. Ele colocou a mão por dentro da minha calça, senti dois dedos me penetrando enquanto ele beijava minha orelha, soltei um gemido baixinho.

Ele parou. Por que parou???

Me recompus e ele me pegou pela mão, subimos aquele lance e foi em direção ao banheiro masculino. Eu parei e ele olhou pra trás, fiz que não com a cabeça.

”No feminino então?” ”Sim”.

Era um banheiro individual, então entramos e ele fechou a porta.
Nos pegamos com vontade, ele passou a mão na minha buceta por cima da calcinha, já estava molhadinha. Ele abaixou a calça e a cueca, e tinha o pau duro. Ele disse ”chupa?”, e eu não pensei duas vezes, tava com tanto tesão que mesmo sem nunca ter feito isso antes, parecia algo super natural pra mim.

Me abaixei e comecei a chupar com o cuidado de não esfregar os dentes no pau, chupei ele até onde consegui pois não era pequeno. Chupei só a cabeça. Esfreguei nos meus seios fartos, ele disse

”coloca no meio deles”.

Eu já tinha ideia em o que era uma espanhola, então tirei os peitos de dentro do sutiã e apertei eles com o pau no meio. Ele fez um movimento de vai e vem, e a cabeça entrava na minha boca. Estava satisfeita com o que tinha feito, então me levantei e beijei ele com vontade, ele abriu o fecho da minha calça e me virou, abaixou a calça e a calcinha.

Eu não senti mais nada, então olhei pra trás e ele estava colocando a camisinha.
Ainda bem que alguém tinha lembrado da camisinha. Me apoiei na parede, e ele colocou dentro de mim. Diferente do que dizem sobre a dor, eu não senti dor nenhuma só um pequeno incomodo. O normal sendo que tinha algo grosso e duro entrando lá dentro pela primeira vez.

Ele tirou e colocou de novo, soltei um gemidinho. Ele começou a meter com certa velocidade, eu empinei a bunda e curti, já que não vi muito mais coisa pra fazer naquele momento. O pau escapou em uma das estocadas, e eu me virei, ele colocou de frente, o icomo inicial já tinha passado, estava muito gostoso.

Beijei o pescoço dele, pois não podíamos fazer muito barulho já que estávamos num centro comercial e lá tem seguranças. Passei a mão pelo cabelo dele e ele começou a meter mais rápido, gemi baixinho no ouvido dele. Não demorou muito e ele gozou.

Eu não cheguei lá, mas foi muito gostoso enquanto durou. Amarrou a camisinha e jogou fora, e nós nos arrumamos. Saímos do centro comercial juntos, sem mãos dadas e nos despedimos com um beijo molhado.

Até hoje ainda tentamos marcar um segundo encontro, mas a vida não tem colaborado, sempre que um pode o outro esta ocupado

Deixe um comentário

CAPTCHA