Sou a putinha do personal trainer

Olá tudo bem com vocês? esse conto erótico ocorreu também em 2022, lembrando que o Felipe tinha uma academia que ficava perto do meu apartamento, aliás eu tinha me mudado para o prédio dele e morava em frente ao apartamento da namorada dele, o que dificultou um pouquinho as coisas pra gente.

Eu fiquei algumas semanas fora devido a uma viagem que precisei fazer, tinha voltado naquela noite e estava um pouco cansada, mas morrendo de vontade de foder com o Felipe.

Mandei uma mensagem, pois vi que a sua namorada não estava em casa. Ele respondeu que ainda estava na academia e logo iria pra casa e também queria me ver. Combinamos de que assim que ele chegasse, subiria ao seu apartamento.

Em meia hora chegou uma mensagem dele “quer vir aqui na academia?” E eu pensei “por que não? Nunca transei numa academia.” Como era verão e minha cidade ficava quase no norte do Paraná, estava com um vestidinho solto e fui sem calcinha já pra provocar.

Cheguei lá, ele já me puxou me beijando muito e passando a mão pesada no meu corpo, minha buceta estava tão molhada que já escorria pra perna, sentia a língua dele invadindo minha boca e era delicioso.

Foi me puxando até a sala dele, me beijando muito, me colocou em cima da mesa dele e quando foi abaixar para me chupar foi que percebeu que tinha um rastro de melado na minha perna, abri bem minhas pernas e ele subiu o vestido. Quando ele me viu sem calcinha, me chamou de putinha safada, que eu era muito puta e ele adorava isso.

Com a língua, fez o percurso do mel que havia escorrido na minha perna até chegar na minha buceta, onde enterrou sua cara, esfregando bem a barba, eu adorava sentir a barba dele arranhando minha buceta, ele esfregava forte, com vontade, sugava meu mel pra fora da buceta enquanto eu gritava que queria mais até gozar lambuzando ele, ele fez menção em sair, mas eu estava possuída pelo tesão, prendi a cabeça dele com as mãos e minhas pernas em volta, ele continuou me chupando gostoso, passeava a língua até meu cuzinho e voltava pra minha xaninha, sempre esfregando muito a cara em mim, começou a inserir um dedo e depois mais um, me fodendo junto, eu lambuzada mais aqueles dedos, ele tirava, lambia seus dedos com meu gosto e enterrava de novo. Ficou horas assim, até que falei pra não tirar os dedos e ir mais forte e fundo que iria gozar, o que ele fez, quando estava gozando, puxei mais fundo a mão dele segurando pelo pulso dele e fechei as pernas rebolando. Meu gozo escorreu pela sua mão, quando soltei, ele trouxe pra que eu lambesse todo aquele mel, o que fiz com muito gosto, pois como já falei, adoro sentir meu gosto.

Eu joguei meu corpo pra trás na escrivaninha e minha cabeça ficou fora e permiti que ela caísse. Ele veio até mim, fiquei na altura perfeita, ele socou o pau na minha boca e começou a fuder bem fundo. Segurava nos meus maxilares e não tinha dó, enfiava aquele pauzão delicioso bem fundo na minha buceta, deixando ele tão babado, fez isso até esguichar porra direto na minha garganta e com um tapa forte na cara me mandando engolir tudo.

Colocou um colchonete no chão e mandou que eu deitasse, logo em seguida veio por cima no 69, assim ele controle de enfiar sua rola inteira na minha boca, o que fazia sem dó, me fazendo engasgar, e ele queria exatamente isso, que eu engasgasse com seu pau, enquanto ele enterrava aquela língua na minha buceta, começou lamber meu cuzinho e se demorou tanto lá, eu rebolava mais, ele percebeu como eu estava gostando e fazia pressão com o dedo na entrada, mas sem penetrar e isso era muito bom, relaxei bem e ele enfiou a ponta do dedo no meu cuzinho e lambeu, falou:

_ Que gostinho gostoso de cuzinho virgem.

E voltou a repetir e eu implorei pra ele socar seu dedo, o que ele fez bem devagar pra não me machucar. Começou a foder meu cuzinho com o dedo e voltou a chupar minha buceta, que ficou ainda mais gostoso, com sua dedada no meu cu, rebolando muito e engolindo seu pau, não demorou e gozei e ele lambeu tudo, retirou seu dedo e enfiou na minha boca falando:

_ Hora da putinha sentir o gosto do seu cuzinho.

Me mandou ficar de 4 e enterrou o pau de uma vez só na minha buceta, que por estar mega ensopada e seu pau babado, escorregou seu dó, segurava nos meus ombros e enterrava cada vez mais fundo e eu gritava muito, enquanto ele dava tapas e falava:

_ Grita mesmo, cadela, grita e implora pela rola do seu macho.

Eu ficava com mais tesão ainda, pois adorei ser uma putinha mandada, implorava mesmo pra me foder e sentia seu pau cada vez mais fundo, eu já tinha perdido a conta de quantas vezes gozei sendo fodida assim, até que ele enfiou mais fundo e jorrou seu leitinho em mim, eu amo sentir a porra quentinha na minha buceta então empurrava mais minha bunda contra ele. Ele tirou seu pau de mim, me mandou lamber para limpar ele, enquanto sentia sua porra escorrendo dentro de mim no colchonete. Quando terminei de lamber , ele me pegou pelos cabelos com força e esfregou minha cara no gozo escorrido no colchonete e completou:

_ Cadela não desperdiça nenhuma gota, lambe tudo agora!

Amei ser mandada daquele jeito, lambi muito enquanto ele socava 3 dedos no fundo da minha buceta e dava pra eu lamber, acabei gozando em seus dedos de novo, e de novo e de novo.

Amo ser fodida com os dedos.

Então ele tirou uma rola de borracha da gaveta e falou:

_ Olha o que eu comprei pra minha putinha.

Levou até uma bicicleta, prendeu no banco e falou:

_ Hora da putinha pedalar e enterrar esse pau até o talo na buceta, não quero ver nenhum cm fora de você.

Aquilo era enorme, não tinha como entrar inteiro, não era grosso, mas era bem grande. Comecei a sentar e coloquei o máximo possível na minha buceta, pelo meu quadril ele me puxou pra baixo e enterrou tudo, dei um grito fundo de dor e tesao misturado e comecei a pedalar devagar. Ele foi aumentando a velocidade e eu quicava naquela rola com vontade, já estava cheia de tesão e queria mesmo ela inteira atolada em mim, só parei quando gozei, estava mega cansada e não sentia minhas pernas. Mas ele estava duro de novo, então me deitou de pernas bem abertas e socou seu pau em mim, estava muito bom, eu já estava arrombada, do jeito que eu gosto de ficar. Até que comecei a sentir ele forçando junto o pau de borracha na minha buceta.

_ Você falou que queria dois paus na buceta, se aguentar, a próxima vai ser com um pau de verdade. Mas puta como você, aguenta fácil.

Eu não sei descrever a sensação, aquilo doía, mas era tão bom, me arregaçava mesmo. Eu implorava pra meter os cacetes na minha buceta e eu rebolava totalmente descontrolada.

Ele gritava:

_ Não goza agora, se você gozar, você vai apanhar e vai ser fodida mais forte.

O que ele não esperava, ou esperava, é que eu amo e sou uma putinha qie gosta de apanhar e ser fodida forte. Gozei gostoso naqueles paus.

Aí ele ficou louco, começou a dar tapas cada vez mais fortes na minha cara, cuspia em mim, me enforcava e gritava:

_ Sua puta arrombada, queria gozar com duas rolas na buceta, agora aproveita, despeja todo o mel que essa buceta tiver nessas picas.

Ele socava tão fundo e eu só queria mais, implorava pro Felipe me arrombar com mais força. Sentir ele me fodendo daquele jeito e me batendo, comecei a mastigar seu pau com a buceta, em sinal que ia gozar de novo, então ele enterrou fundo e gozou junto comigo, tirou seu pau mas socou novamente aquela pica de borracha até o talo e me falou:

_ Hoje vai voltar toda arrombada pra casa, quero você sem andar de tão arregaçada.

Me fodeu novamente com aquela pica de borracha.

Eu já estava arregaçada, mas queria aquilo mais fundo, ele percebeu e socou inteira. Ela devia medir uns 25 cm, eu não sei como, mas aguentei inteira e foi delicioso. Gozei mais uma vez naquele pauzão de borracha, me levou pra casa escorrendo porra da buceta.

Realmente fiquei 3 dias sem andar, estava toda arreganhada. No 4° dia, encontrei com ele no elevador e ouvi:

_ Já percebi que se recuperou, tá pronta pra outra?

E com a maior cara de puta respondi:

_ No meu apt ou no seu?

_ No meu.

E assim a noite fodemos novamente com muita força e ele comentou:

_ Te deixei toda laceada né, agora tem a buceta mais gostosa de foder.

Nunca chegamos a fazer a DP vaginal com outro homem, mas fizemos muito com nosso novo amiguinho de borracha.

Tenho mais histórias com o Felipe ainda.

Beijão e até a próxima.

1 comentário em “Sou a putinha do personal trainer”

  1. Sou doido pegar uma mulher dos olhos claro nunca transei com um mulher de olhos verdes, azul kkk besteira né mais tenho vontade uma japonesa
    11
    9
    5
    4
    4
    8
    5
    0
    5
    0

    Responder

Deixe um comentário