Desejo, medo e paixão!

Eu me achava hétero, pegador e mulherengo… Até que certa vez, percebi que uma esquina próximo de casa havia um ponto de prostituição de travestis, que faziam gracejos, mas nem ligue, mas não pude deixar de notar uma negra, de aproximadamente 1,80m, toda encorpada, mas muito delicada, tímida e um olhar penetrante.
Vai e vem, várias vezes eu passei naquela esquina e nossos olhares sempre se cruzavam. Embora eu tentasse disfarçar, sempre me sentia atraído pelo seu olhar impactante. Durante quase um mês, eu passei ali naquela esquina, várias vezes, até quando não deveria, só pra tentar ver aquela morena linda, de olhar misteriosamente sedutor e corpo maravilhosamente lindo.
Até que eu resolvi não passar mais ali, pois percebi que estava apaixonado pela travesti. Dias sem ver aquela musa, eu não resisti por muito tempo.
Em uma certa noite, resolvi refazer o percurso, nada da musa.
Dois dias se passaram, eu não estava tendo sorte.
No terceiro dia sem vê-la, fui devagar e gritei do outro lado da rua:
– Ei, meninas! Cadê aquela negra linda?
Uma delas respondeu: Mudou de ponto, querido! Se apaixonou? Hahahahaha
Então, rindo, ela me disse que estava a duas quadras dali, na rua de trás. Agradeci e acelerei o passo, cheguei quase correndo ao local. Até que avistei a minha musa, debruçada na janela de um carro, negociando um pg.
De repente, o carro vai embora. Ao me ver, veio até mim e disse bravamente:
– Seu moleque, está pensando que é quem?
– Fica me encarando, mas finge que eu não existo. Tem medo de mim???
– Seu frouxo, medroso!
Eu, então, impus a voz, segurei a mão dela e pedi desculpas, que não era minha intenção, só era algo que eu não sabia conduzir.
Mas, também, criei coragem e revelei:
– Estou apaixonado por ti, não sei como aconteceu, mas estou!
– Então, a verdade é que estou aqui, um medroso, mas apaixonado. Quero você!
Ela riu, timidamente e ficou sem graça… De repente, as duas amigas aparecem e ela então me surpreende: “Se está apaixonado mesmo e me quer, então assume e me beija aqui no meio da rua, agora!”
Nossa, eu tremi todo, de tesão, desejo por aquela boca maravilhosa, mas também de muito medo. Mas, me entreguei, segurei as mãos dela e a puxei, beijando-a de maneira loucamente apaixonado.
Nossa, nem acreditei que fiz aquilo, mas o beijo foi tão bom que eu queria mais.
Ela. então, me disse que queria me conhecer melhor e que se eu quisesse, poderíamos namorar, de verdade. E se eu realmente a quisesse, ela encerraria a noite de programa ali e me levaria pra casa dela.
Topei na hora, pegamos um táxi e fomos. No caminho nos apresentamos e, finalmente, soube seu nome: Bruna!
Chegando ao local, um quitinete bem simples, mas bem limpo e cuidado.
Ela foi para o banho, enquanto aguardei ali, numa cadeira ao lado da cama. Doido pra espiar pela porta entreaberta, fui caminhando, lentamente até o banheiro. Da porta, a observei banhar e conheci visualmente aquela escultura de mulher com algo a mais.
Ela acabou, botou um vestidinho e veio pra cama. Sentou, pediu pra eu sentar de frente e começamos a conversar. Um papo gostoso, quebrando o gelo e nos conhecendo melhor. Rimos bastante.
Então ela perguntou se eu já tinha alguma experiência com travesti. Eu disse que não e que nem sabia como poderia ser isso.
Ela, timidamente, disse:
– A diferença pra uma mulher é que tenho isso (mostrou o pau). Quer experimentar? Eu sou menina, mas gosto de homens passivos, gosto de comer meus namoradinhos! (risos)
Eu assustei, mas não soube disfarçar. Nem queria mais!
Eu estiquei a mão, comecei a acariciar o pau dela e comecei a beijar seu lábios. Ela me puxou pra cama, segurou minha mão e começou a percorrer seu pau, me conduzindo.
Quando já estava bem duro aquele mastro, ela me disse pra chupar. Eu hesitei, mas… Cai de boca!
Nossaaaaaaa… Que gostoso aquilo!
Chupei muito. Eu lambia e chupava aquele pau como uma putinha.
Ela então disse:
– Agora vou conhecer teu rabinho, vira o cuzinho que eu vou te comer menino!
Eu já com tesão a mil, fiz o que mandou. E ela começou a dedilhar meu rabo, enquanto colocava um gelzinho e empurrava os dedos em mim. Até que ela lambuza o pauzão dela e coloca na portinha do meu cu.
Começou a forçar, mas viu que eu estava travado de medo.
Ela então riu e disse:
– Relaxa, eu sei que tu quer virar minha puta nesse pirocão. Então, te solta, vadia!
Me deu um tapa na bunda, segurou o meu cabelo e começou a sussurrar no meu ouvido:
– Toma! Toma pica, meu amor!
– Relaxa, minha putinha. Sou tua namorada e vou devorar teu rabinho bem gostoso.
Eu fui me abrindo, relaxando e o pau entrando. Nossa, doía, mas eu queria mais. Ela tirava e colocava mais um pouco e forçava contra meu corpo… Até que entrou tudo e ela mandou eu começar a me movimentar pra eu aprender a dar o cu pra minha dona.
Que dor, nossa, mas era gostoso também. De repente, só era gostoso. Ela me comia delicadamente, eu estava entregue e louco de tesão. Ela socava devagar, mas intensamente, até iniciar uma pressão mais forte, bombeando meu rabo com aquela pirocona preta.
Gozei sem tocar no meu pau, como uma mulher, e ela enlouqueceu. Socou mais intensamente, me chamando de putinha, dizia que uma puta goza várias vezes no pau da sua dona. E socou, socou, socou muito na minha bunda… Gozei mais uma vez, nossa, já estava sem forças, fraco e consumido de tesão.
Ela, então, avisa que quer gozar. Pergunta se quero experimentar o leitinho da pica:
– Pra tirar um 10 de puta, tem que chupar e beber o leite da minha piroca, amor!
Tirou o pau da bunda, me colocou de joelhos no chão. Tirou a camisinha, colocou o pau na minha boca e mandou eu chupar, como putinha de verdade.
Chupei, chupei, chupei… Até que ela segura minha cabeça, manda botar a língua pra fora e abrir a boca.
Logo, vários jatos de uma porra quente e farta começam a encher a minha boca… Ela gozou muito e me deixou todo melado de leite. Me senti uma puta, mesmo. E adoreeeeeeei!
Nossa, foi uma sensação maravilhosa. Eu adorei a experiência de ser fêmea de uma fêmea com pau. Que pau gostoso, que tesão louco eu sentia…
Cai no chão de tesão, meio sem forças. Ela então se deitou sobre mim, e beijando minha orelha falou:
– Gostei de você, bebê. Agora tu tem que decidir, se quiser namorar comigo, quem vai ser a menininha vai ser você!
– Adorei essa putinha safada que tu mostrou ser. Se quiser, a minha rola é tua!!!
Então, eu meio tonto pelo impacto de tudo, olhei nos olhos dela e disse:
– Se tu aprovou a puta que tu me fez ser hoje, é porque essa puta é tua!
– Vou adorar ser teu namorado e ser fudido como uma putinha por essa musa negra pirocuda.
Nos beijamos e adormecemos ali mesmo, no carpete.
Até hoje nós namoramos.
E já faz quase 1ano que eu descobri quão gostoso é ser puta de uma travesti gostosa, que sabe fazer um macho virar menina no seu mastro!
Apaixonei de vez nessa garota, ela me faz uma putinha muito feliz no seu pau!

1 comentário sobre “Desejo, medo e paixão!

Deixe um comentário

CAPTCHA