A primeira vez com outro homem

Olá pessoal, resolvi contar pra vocês como tudo começou, como dei pra outro homem pela primeira vez.
Meu nome é Maria Eduarda e moro em um condomínio em Jacarepaguá no Rio de Janeiro, sou casada e tenho dois filhos, estou entre os trinta e os quarenta anos mas estou em boa forma (aparento ter menos), no condomínio onde moro, tem uma guarita na entrada e nela ficam dois seguranças por turnos e tem mais outros que ficam nos fundos do condomínio.

Sexo Por Telefone

Bom sempre procurei ser simpática com todo mundo é o meu jeito mesmo e sempre que passava pela guarita um deles ficava me olhando muito mas como costumo usar roupas, digamos, um pouco ousadas e os homens olham mesmo achei que não ia passar disso, na verdade os dois olhavam sempre e eu via que ficavam comentando entre eles; Sempre falava com eles e um deles que se chama Jorge me contou que faz bico durante o dia, de pedreiro já que ele trabalha no turno da noite, Jorge é um negro alto, e deve ter um metro e noventa ou mais, bem grandão por isso todos chamam ele de Jorjão.
Acontece que o cano do chuveiro do nosso apartamento deu vazamento dentro da parede e precisaria quebrar a parede do banheiro, falei com meu marido sobre o Jorjão, ele tinha me dado um cartãozinho e meu marido foi ligar pra ele, pra ver se ele podia pegar esse serviço,
No dia seguinte, Jorjão estava saindo do plantão e ficou de passar no nosso apartamento, por volta de nove horas da manhã tocou a campainha,era ele já sem o uniforme , só de bermudas e camiseta, parecia ainda maior, quando apertou minha mão, pude sentir sua mão áspera e cheia de calos, mão de trabalhador.
meu marido já havia saído pro trabalho e meus filhos estavam na escola, levei ele até o banheiro onde estava o vazamento e a primeira coisa que Jorjão viu foi minha calcinha pendurada no registro do chuveiro, só uso calcinha grande quando estou menstruada e essa era minúscula, ele pegou minha calcinha e me entregou com cara de tarado, eu peguei minha calcinha da mão dele toda sem graça e ele com a maior cara de pau ainda falou: a senhora usa umas calcinhas bem pequenas né ? respondi meio constrangida : sim é, eu gosto.
Na verdade também fiquei muito exitada vendo aquele negão com minha calcinha na mão.
Daquele dia em diante, sempre que eu passava em frente a guarita, Jorjão puxava conversa e sempre tentava levar pro lado mais íntimo eu ficava sem graça mas estava gostando daquilo, eu chegava em casa com a boceta toda melada, mas escondia o tesão que eu estava sentindo.
Eu estava gostando daquela brincadeira e passei a levar lanchinho pra eles na guarita, Jorjão sabia que eu estava gostando daquela conversa e a intimidade aos poucos ia aumentando, até que um dia ele falou de sopetão : a gente podia sair pra conversar em outro lugar, o que acha ? a essa altura já estava até me chamando de Duda, falei que não, que era casada, mãe de filhos , eu estava morrendo de medo, ele então propôs que fossemos aos poucos, pra perder o medo, ficar mais íntimos ainda, foi aí que eu comecei a imaginar aquele negão em cima de mim.
uma vez que eu passei pela guarita ele me propôs um beijinho, um selinho e eu aceitei e o safado disse que era pra eu começar a sentir o gosto de outro homem, passei a noite pensando naquele beijinho e claro que eu voltei pra levar outro lanchinho pra eles.
Da outra vez que fui na guarita ele estava sozinho e como sempre nossa conversa foi bem picante sobre sexo mas dessa vez ele pediu pra eu sentar no colo dele, fiquei trêmula.
-vem, não precisa tirar a roupa, eu fui tremendo e sentei no joelho do Jorjão, eu estava com um vestido fininho e com uma calcinha toda enfiada na bunda, ele sentado numa cadeira e eu no seu colo; até que ele me pegou pela cintura e me puxou, sentei direto em cima do pau dele, eu de vestido e ele de uniforme mas mesmo assim deu pra sentir o pau dele duro na minha bunda, levantei rápido e fui pro meu apartamento, quando cheguei, meu marido estava sentado na sala vendo televisão, eu estava com as pernas bambas e a boceta encharcada e ainda assustada com a aventura, a calcinha toda molhada.
quando voltei na guarita deles da outra vez, tivemos que esperar o outro sair pra fazer ronda, eu estava de calça legging, foi aí que o Jorjão falou : hoje você vai sentar no meu colo só de calcinha, fiz um docinho no começo, perguntei pelo outro, falei que era casada, mas ele falou que o outro iria demorar e que meu marido nunca saberia, acabei cedendo e abaixei minha calça , eu estava com uma calcinha vermelha fio dental, foi a primeira vez que o Jorjão me viu só de calcinha, praticamente nua né, quando ele sentou na cadeira eu fui assustada e sentei no colo dele, dessa vez, senti muito bem o pau dele, e só de sentir deu pra perceber que era grande ele me levantou um pouco e abaixou a calça do uniforme, fiquei com medo de alguém ver, mas a guarita só da pra ver de dentro pra fora e já era um pouco tarde, ficou só de sunga e eu só de calcinha sentada no colo do segurança do condomínio .
Jorjão muito safado perguntou: tá gostando ?
-estou, mas estou com medo.
nessa noite fui embora e não rolou mais do que isso.
quando voltei pra levar lanchinho pro Jorge e conversar, a essa altura já falava todo tipo de putaria pra mim e eu estava gostando muito daquilo.
Foi quando ele falou : hoje você vai sentar no meu colo sem calcinha, completamente nua e eu vou ficar completamente nú também.
Falei que não , lembrei do meu marido mas no fundo estava doidinha pra sentir um homem diferente me tocando.
Estava de vestido e ele mesmo se encarregou de levantar,quando ele viu minha calcinha que mal cobria minha boceta ficou eufórico, foi abaixando minha calcinha devagar e quando ele viu meus pelinhos que nesse dia estavam bem aparadinhos, só uma tirinha em cima da minha rachinha, ficou louco, tirou minha calcinha toda e cheirou aquele pedacinho de pano enquanto alisava minha bunda, eu também já louca sentido a mão calejada do Jorjão, passando pela minha bunda, entre minhas pernas, ele abaixou a calça e depois a sunga, foi quando vi seu pau, era uma piroca enorme, grande grossa e cheia de veias,com a cabeça toda pra fora, maior e muito diferente da do meu marido.
Escutei o barulho da cadeira e vi quando ele sentou com aquela pica enorme pra cima. ele falou sussurrando :
-vem senta.
Jorjão me puxou pela cintura e quando o pau dele encostou na minha bunda eu soltei um gemidinho que deixou ele mais exitado ainda.
Jorjão foi me ajeitando até seu pau encaixar no meio da minha bunda entre minhas pernas, minha boceta deixou o pau do Jorge todo melado, eu estava sentindo aquela pica bem maior do que a do meu marido encostando ora no meu cú, ora na binha bucetinha e eu dava reboladinhas em cima do pau do jorjão.
– você está sentindo meu pau encostando na sua boceta ?
– estou, respondi quase sem voz.
eu estava me sentindo uma verdadeira piranha naquele momento, mas louca de tesão.
jorge não quis nem saber me levantou e mandou eu encostar a mão no assento da cadeira , eu fiquei com a bunda toda exposta e o cuzinho piscando de tesão, ele então começou a passar a cabeça da pica na entrada da minha boceta,e de vez em quando pincelava meu cú, que já estava todo melado do pau do Jorge.
ai ele mandou eu ficar de cócoras e ele me pegou pelos cabelos e fez eu colocar o pau dele na boca.
-Chupa a minha pica , eu sei que você quer,ele forçando aquele pau grande na minha boca, eu de vez em quando até engasgava, de vez em quando Jorjão deva tapas no meu rosto com a pica e eu sentia o peso daquele pau, já estava com o rosto todo melado.
Jorjão disse: encosta na parede que agora você
vai botar um chifre no seu marido de verdade.
ele abriu minha bunda e encostou a pica na entrada da minha boceta, eu gemendo de prazer, de repente jorjão empurrou tudo de uma vez, minha boceta estava melada mas mesmo assim eu soltei um grito, aí ele começou a socar com força aquele pau enorme dentro de mim, ele nem ligava pros meus gritos, estava louco, conseguiu o que queria, estava me comendo e eu uma mulher casada dando a boceta pra outro homem, eu sentia aquela mão áspera apertando e acariciando meus seios e ia a loucura.
jorjão falava um monte de putaria no meu ouvido.
– puta safada era isso que você queria né, agora tá com uma piroca toda enterrada na boceta, isso puta depois vai voltar pro marido toda aberta.
e eu ali gostando daquilo,
quanto mais eu gemia mais o Jorjão socava na minha boceta, depois ele deitou no chão e pediu pra eu sentar no pau dele.
vem putinha , senta na pica do negão, eu sei que você gosta, eu fui e sentei bem devagar, sentindo cada pedaço daquela pica entrar em mim, preencher minha boceta todinha, estava me sentindo arrombada.
Jorjão me colocou de quatro abriu minha bunda e forçou a entrada do meu cuzinho, eu falei pra ele não meter ali.
-não, para Jorge eu não dou o cú nem pro meu marido.
– mas hoje vc vai dar e empurrou
soltei um grito e tentei tirar mas jorjão me segurou, metade do pau dele já estava dentro do meu cú quando gozei pela primeira vez com Jorjão.
eu rebolando feito uma cadela com o pau dele dentro do meu rabo.
tá vendo puta, agora vc ta gostando né ?
estou, quero que vc bote tudinho dentro de mim.
quando jorjão ia gozar, tirou o pau da minha bunda e direcionou pro meu rosto, recebi muita porra na cara.
depois de gozar,Jorjão perguntou se eu gostei.
– gostei muito.
então ele disse :
de agora em diante você vai ser minha putinha.
e virei mesmo a puta dele, depois disso fomos em vários moteis, ele comprava calcinhas pra eu usar quando saia com ele, e uma vez chamou o colega dele pra me ver com a calcinha que ele havia comprado, mas isso é uma outra história.
a primeira vez que virei mulher do Jorjão, ele ainda ficou com minha calcinha e mostrou pros colegas dele, fui pra casa sem calcinha, toda melada de porra, com medo do meu marido mas realizada.

Deixe um comentário

CAPTCHA