Eu, a mulher muito feia e o travesti

Resolvi atacar uma diarista que frequentava o meu prédio. Mulher realmente muito feia, a verdadeira tribufu. É claro que até falar com ela pela primeira vez (algumas vezes nos cruzamos no elevador) a adrenalina estava a mil, com medo de ela espalhar para as demais empregadas domésticas que estava sendo assediada, o que me colocaria numa situação insustentável perante minha família. Mas, quando a cabeça de baixo quer, a cabeça de cima se entrega. Consegui me aproximar dela num dia de chuva, quando lhe ofereci carona no meu guarda-chuva. Fui direto ao assunto e disse que estava interessado nela (aparentava ter uns 50 anos, e, durante a conversa, até a estação do trem, descobri que já tinha 5 filhos e era viúva). Naquele momento, senti que ia levar um belo pontapé no traseiro, mas

Ler maisEu, a mulher muito feia e o travesti