Meu vizinho me comeu gostoso a minha bucetinha

Olá a todos! Meu nome é Jaqueline, e vou contar mais uma aventura minha. Desta vez foi com um vizinho, o nome dele era Henrique, 34 anos, alto, gostoso, casado e tinha um filhinho. Eles moravam bem próximo da minha casa, e sua esposa conversava sempre com a minha mãe.

Numa tarde de domingo, ela estava na frente da minha casa conversando com minha mãe e o Henrique se juntou à conversa. Quando eu o vi, sem camisa, de short, fiquei louca, pois sempre o achei um tesão. E eu já havia percebido seus olhares para mim. Então eu sai e fiquei próxima, como quem não quer nada.

Como estava calor, eu estava de shortinho bem curto e um top. Enquanto eles conversavam, eu ficava olhando para ele e brincando com meu cachorrinho, e abaixava na frente dele, e olhava com um sorrisinho no rosto para ele. E vi que ele olhava para minha bunda. A esposa dele não percebia, pois estava conversando com minha mãe.

Foi então que eu passei a me insinuar ainda mais para ele. Quando eu percebia que só ele me olhava, eu olhava para ele e passava a língua nos lábios, e às vezes dava um tapinha na minha bunda e apontava pra ele. Percebi que ele sorria e logo vi um volume crescendo em seu short.

Foi aí que ele pediu licença e foi pra dentro de casa. Minha mãe e sua mulher ainda conversavam, e como ele não estava mais alí, eu resolvi entrar também. No dia seguinte estava tudo normal. Minha mãe foi trabalhar e eu fui para a escola. Quando voltei da escola, eu vi que ele estava no portão da casa dele conversando com o pedreiro que fazia a reforma da casa dele.

Eu acenei pra ele, ele acenou pra mim e eu entrei, almocei, tomei um banho, cheia de tesão por ter visto ele e imaginado coisas. Depois de um tempo eu coloquei um shortinho que chamava a atenção e fui pra varanda. Foi quando o vi passando em frente ao meu portão e me olhando.

– Oi, Henrique! – eu gritei.
Ele logo parou e se aproximou do meu portão.
– Oi, Jaqueline! Você tá boa? – ele perguntou.
– Isso é você que tem que dizer! – falei rindo e fui me aproximando do portão.

Ele começou a rir.

– Sim, Jaqueline! Você tá muito boa! Ontem você me deixou doido, sabia, garota?
– Huuuuum, sério? Pois eu queria te deixar doido hoje, já que estamos sozinhos! – eu falei, toda safadinha.
– Não precisa me deixar doido, Jaqueline!! Eu já estou, só de ver você nesse shortinho.

Eu abri o portão.
– Por que você não vem tirar o meu shortinho, seu tarado? – falei com um sorriso safado nos lábios.
Ele olhou pros lados e entrou, fechando o portão e me levando logo para dentro da minha casa e me beijando.

Foi um beijo de desejo, e a gente gemia e se lambia. Ele me apertava entre seu corpo e apertava minha bunda, passando seu pau, que estava duro, em minha pepeka.
– Jaqueline, você é uma tentação, garota! Eu sempre tive vontade de te comer, na verdade todos os homens da rua tem, você parece uma vadiazinha.

Ele falou isso e já foi tirando minha blusinha e chupando meus seios. Em seguida ele me jogou no sofá, caindo por cima de mim, e eu já doida pra ele meter logo em mim. Ele tirou meu short, e tirou o dele. Nossa!!! Que pau duro que ele tinha!! Ele ficou olhando pra mim nua.

– Que delícia, Jaqueline!! Nem sei por onde eu começo. – ele falou, cheio de tesão.
– Me come, Henrique!! Me come bem gostoso que eu estou morrendo de tesão! – falei com a buceta palpitando e molhadinha.
Então ele se deitou em cima de mim, me beijando, chupando meu pescoço, segurou minha perna, colocando meu joelho para cima, e começou a roçar seu pau na minha bucetinha.

Eu peguei seu pau com a mão e coloquei a cabecinha bem na portinha da minha xoxotinha. Então ele empurrou e entrou gostoso. Eu estava toda molhadinha e ele todo melado. Então a pica dele entrou e eu já gemia. Que tesão mais gostoso!!! Ele respirava ofegante e enfiava freneticamente, como se nunca tivesse comido uma garota antes.

– Jaqueline!! Sua gostosinhaaaa!! Que boceta mais gostossaaaaaaaa!! – ele falava e bombava e gemia, e eu gemia muito também. Eu já estava sem ar de tanto tesão que eu sentia. Aquele homem grande em cima de mim, me desejando muito.
– Meu deusssssss!! Vou gozarrrrrr!! Vou gozarrrrr!! – gemi bem gostoso quando me veio um orgasmo gigantesco que instintivamente eu gritei.

Foi quando ele soltou um grunido também e gozou. Senti aquele jato de esperma quentinho me enchendo por dentro e ele não parava de meter e gemer, e eu tremendo de prazer. Logo depois a coisa acalmou e ele ficou deitado em cima de mim, ainda com o pau dentro. Eu sentia ele latejando e diminuindo. Às vezes o pau dele dava uns espasmos e dava uma crescidinha.

Ficamos ali deitados, sem pressa, nos beijando e ele acariciando meu corpo, meus seios, minha bunda.
– Henrique, você sempre trai a sua mulher? – eu perguntei a ele depois de alguns minutos.
– É a primeira vez, Jaqueline!! Eu nunca a tinha traído, e nunca tinha ficado com uma menina tão mais nova que eu.

– Vamos tomar um banho juntos? Não precisa se preocupar, minha mãe só vai chegar depois das 18:00hs, temos muito tempo pra nos curtirmos ainda! – eu falei, me levantando e levando ele até o banheiro.
Tomamos banho juntinhos, um banho morninho, gostoso. Ficamos lá nos beijando e nos esfregando, e ele já estava doido pra me comer de novo.

Depois que nos secamos, ele me pegou no colo e foi me levando pra sala, então eu o interrompi.
– Não!!! Me leva pro meu quarto! – falei e indiquei a ele o caminho.
Chegando lá, ele me colocou na minha cama e se deitou junto a mim. Eu logo fui para o pau dele, que já estava quase no ponto, peguei nele e comecei a acariciar e, olhando pra ele, não resisti e cai de boca.

– Ohhhhhh!! Isso, meninaaa!!! Você é uma safadinha mesmo, Jaqueline!!! Que delícia de boca!! – ele gemeu quando eu chupei a piroca dele bem gostoso.
Enquanto eu chupava, eu coloquei a bunda em sua direção, e então ele começou a dedar minha pepeca. Que delícia!!! Ele enfiava o dedo, e logo senti que ele acariciava com o dedão o meu cu.

Não demorou e ele já estava enfiando o dedo na portinha do meu ânus. Então percebi o que ele queria.
– Você quer comer o meu cuzinho, não quer? – perguntei.
– Claro, Jaqueline!!! É o meu sonho, gatinha!!! – ele falou e se posicionou na beirada da minha cama.

Dei uma última chupada, lambuzando bem seu pau para entrar melhor. Em seguida fiquei de quatro, bem empinadinha e ele apontou logo seu pau na entrada do meu cuzinho, e foi forçando.
– Auuuuu!!! Devagar, Henrique!!! Por favorrrr!! – soltei um gemidinho de dor quando senti a cabeça da rôla dele forçando a entradinha do meu ânus, que estava muito apertadinho.

No início doeu um pouco e foi difícil de entrar, mas eu estava muito excitada.
– Vai, seu safadoooooo!! Mete esse pau gostoso no meu cú!! Bem fundoooo!!! – falei e ele forçou mais um pouco e entrou até a metade.
– Aaaaaaaiiiiiiiii!! Meu deussss!! Que delicia, Henrique!! – gemi como uma cachorrinha no cio.

Ele foi bombando de leve, só com a metadinha, e nisso eu comecei a não sentir mais dor e sim prazer, e aos poucos foi entrado mais, e logo estava todo dentro e eu sentia suas bolas batendo em minha xana. Logo ele já metia com mais força que dava até para ouvir o barulho de seu corpo batendo em minha bunda.
– Nossaaaaa, Jaquelineeeeee!!! Como você é gostosaaaaa!! Que bunda mais gostosaaaa!! – ele gemia e falava.

Meu corpo tremia todinho enquanto ele metia como um tarado, como um adolescente que nunca transou antes, e eu estava em êxtase, sabendo que eu tinha aquele homem aos meus pés, que ele me desejava, mais do que desejava sua mulher, e logo ele foi gemendo mais alto, quase gritado. Eu olhava para sua cara, e ele estava sem ar, gemendo e eu rebolava em seu pau, para o excitar mais ainda, e fazia força para apertar seu pau no meu cu.

– Ohhhhhh!!! Vou gozarrrr, Jaqueline!! Que delíciaaaaaa!! – ele falou e percebi que ele estava prestes a ter um orgasmo, mas, como estava apertado, ele não conseguia gozar, só gemia e gritava. Finalmente eu senti aquele leitinho quentinho, dentro de mim, e ele gritava de felicidade, e eu sentia o gozo escorrer pra fora da minha bunda e escorrendo pela minha buceta.

Então ele caiu pro lado, e me puxou junto, e ficamos de conchinha, ofegantes, e ele ainda bombava no meu cu, sorrindo e gemendo, me agarrando forte pela cintura, e apertando meu seios. Meu deussss!!! Que foda mais gostosa! O tempo passou, e nós cochilamos um pouco. Quando acordamos já eram quase 17:00hs, quase a hora de sua esposa chegar.

Ele então se apressou, vestiu seu short, me deu uns beijos na boca, como se estivesse apaixonado.
– Adoro você, Jaqueline!!! Espero poder repetir isso mais vezes. – ele falou, cheio de alegria.
– Sempre que eu quiser eu te chamo, Henrique!! – falei toda safadinha e então ele correu pra casa, para sua esposa.

1 comentário sobre “Meu vizinho me comeu gostoso a minha bucetinha

Deixe um comentário

CAPTCHA