A puta que virou minha namorada.

Desde pequeno li contos eróticos nas revistas pornos do meu pai, porém nunca acreditei nas histórias, mas isso mudou em 2009 quando tiver a melhor fase da minha vida até 2013.
Relatarei algumas coisas que acontecerem nesse período, para o prazer de vocês e como uma forma de eternizar minhas histórias.

Tentarei seguir uma ordem cronológica, mas algumas histórias serão mais recentes.

Hoje, contarei sobre Tati a puta que virou minha namorada.
Em 2009 eu costumava andar com meus amigos do tempo do ensino médio, nesse dia fui na Rua Augusta com uns amigos, lá resolvemos entrar no puteiro chamado Casarão,lá conversamos com algumas garotas de programa, bebemos e só pois era muito caro.
Voltando para casa, passo pelo metrô carrão e vejo anúncios de puteiros de 20 reais. Eu com o pau latejando depois de ver aquelas mulheres a noite toda resolve ir lá descarregar.
Já no primeiro puteiro do caminho, na porta vejo uma moça, com seus 20 anos conversando com o entregador só de toalha, abrindo para ele ver, morena, peitos pequenos, boceta raspadinha, porém não muito bonita… Aquilo já me deixou, e não ia exigir muito por 20 reais.
Ela se apresenta depois que o rapaz vai embora e diz que vai chamar as outras meninas. Enquanto espero eu vejo uma moça onde era a cozinha delas que me chama a atenção… Vem outras duas moças, se apresentam… E então sai da cozinha ela, vestindo apenas uma camisola preta transparente e uma calcinha preta, linda, aproximadamente 1,65, cabelos pretos, pele branca, seios volumosos, pernas grossas, bunda maravilhosa e cheia de tatuagens, Tati. Eu não tinha a minima ideia do que aquela garota fazia ali com aquelas outras garotas de programa de baixo nível.
O sonho de consumo dos meus 25 anos.
Conversamos um pouco e já fomos para o quarto mas não vou contar pois foi apenas aquela foda por dinheiro… E assim foi por mais 3 ou 4 visitas.

Porém nessas visitas rolou um clima real, convidei ela para sair, e aqui começa realmente a histórias.
Combinei de encontrar com ela no shopping, e ela chega com uma calça jean detalhando seu maravilhoso corpo estilo cavala e um decote provocador, resolvi brincar de namoradinho, levei ao MC, conversamos e fomos ao cinema, a sala vazia era um convite a putaria, antes de acabar os trailer já estávamos nos amassos… Eu coloco seus peitos para fora e começa a passar a língua em volta do biquinho, ela dá um gemidinho diferente do que deu nos encontros pagos, percebo que a algumas cadeiras de distancia tem um homem sentado, aviso para Tati e ela diz não se importar, resolvo então dar um belo show, coloco o outro peito para fora, mamando e acariciando o outro, com aquele gemido não mais tão baixo dando para ser ouvido na sala, percebo que chamamos a atenção do outro homem ou ele já havia nos visto e percebeu que demos a permissão. Começo a chupar aquele seios deliciosos e tatuados com mais força e ao mesmo tempo começa a descer minha mão, abrindo sua calça, enfio a mão dentro da sua calcinha, sinto molhadinha como nunca tinha visto, não resisto, abaixo sua calça junto da sua calcinha, peço ela abrir as pernas pondo nas cadeiras da frente começo a chupar aquela boceta ali mesmo no escuro do cinema, ela gemia e se contorcia como eu nunca tinha visto, eu ali lambendo aquele grelinho, apertando o bico do peito, começo a descer minha mão pelas suas pernas, passo o dedinho pelo seu cuzinho, ela se arruma e diz, enfia três dedos, apenas obedeço, começo a foder seu rabo com meus dedos enquanto chupo ela, sentindo suas mão apertando minha cabeça na sua xotinha, quanto mais fundo os dedos mais força, até ouvir ela dizer: GOZEI. AGORA É SUA VEZ.
Levanto e olho para o lado, o homem esta assistindo agora a umas 2/3 cadeiras de distância com o pau para fora batendo punheta. Sento deixando a boa visão para o rapaz ver aquela delicia com o rabo e o peitos de fora, coloco meu caralho para fora, que nesse momento estava mais duro que diamante. E ela sem cerimonia começa a chupar, ela lambia, descia engolindo tudo, enfiava meu pau inteiro em sua boca, era uma boquete maravilhoso, as vezes ela parava na cabecinha, mamando apenas essa parte como se quisesse apenas mamar o leite do meu cacete. E nessa chupada fenomenal sendo assistido acabo não resistindo muito tempo, encho a boca da Tati de porra.
Ela se arruma e diz: O RESTO FICA PARA MAIS TARDE.
Deixando assim o rapaz com apenas essa lembrança.
Saindo dali fomos ao motel, chegando lá, começamos a tomar o banho, outra vez sexo oral, até que ela não aquenta e diz: VEM ME FODER.
Ela segurou minha rola, começou rebolar descendo e gemendo, não era o sexo sem vontade de antes, ela gemia de tesão, eu sentia seu boceta encharcada escorrendo, ela gritava de prazer enterrando meu cacete dentro dela.
Então ela fica de bruços com o cuzinho para cima e diz: É TODO SEU.
Começo a brincar com um dedo e logo sou repreendido novamente com seu pedido, enfia três dedos… Cuspo no dedo e vou sem pena, apenas alargando para meu pau, levanto suas pernas, passo a pica na entradinha daquele rabo maravilhoso e enfio de uma vez, Tati gemia e gritava a cada estocada, rebolando no meu pinto alucinadamente, então ela diz como uma mocinha comportada: PÕE NA FRENTE.
Enfio em sua boceta outra vez, apenas para a ver se contorcer gozando outra vez, começo a bombar com toda força, falo que vou gozar se ajoelha e começa chupar até eu gozar em seus peitos, boca e rosto, deixando ela acabada…

Depois ainda nos encontramos muitas outras vezes, até recentemente houve um outro encontro. Mas isso, fica para outro conto.

Deixe um comentário

CAPTCHA