Minha esposa doida pra dar…

Minha esposa, tem 38 anos, Negra, 1,80m, pernas longas e torneadas, seios médios, bunda redondinha, cabelo ondulado na abaixo dos ombros, ou seja, uma negra de respeito.
Estava um calor danado, no dia, fato esse que deixa ela cheia de vontades e também deixa ela mais à vontade, pois ela adora usar decotes, roupas curtas, sandálias de salto alto, enfim tudo que ponha ideias sexys nas cabeças alheias.
Saímos, era noite, estávamos em um barzinho no interior de São Paulo, ela estava muito gostosa, onde estávamos duas mesas ao lado estavam marido e mulher, ambos estavam também bem vestidos, curtindo um sertanejo cantado ao vivo, até que o cantor era bom.


Então voltando ao fato, esse casal não tirava os olhos de nós, quando olhávamos eles sorriam como que um convite, e de fato nos convidaram para sentarmos junto a eles, conversa vai conversa vem, em dado momento as mulheres se entrosaram de tal forma que pareciam amigas de infância, o mesmo comigo e o marido chamarei de Carmem (Loira, 1,70m, mais ou menos, corpão) e Fausto (cabelo preto, 1,85m, aproximadamente, bem definido e os nomes fictícios), como estávamos altos devido a caipirinhas, cervejas e afins os assuntos foram ficando mais picantes até que

Carmem, falou que iria ao toalete, (kkkkk), toda educada e chamou minha esposa para ir junto, levaram 20 minutos para voltar estávamos quase indo atrás para saber se não haviam sido sequestradas. Minha esposa cochichou no meu ouvido o porquê da demora, assim que chegaram no banheiro, a Carmem disse ter achado ela muito gostosa, minha esposa ficou sem graça e riu da situação, a então Carmem a encostou na parede e a beijou daqueles beijos que fazem perder o ar, no começo ela assustou mais depois curtiu e retribuiu, Carmem e Fausto são bissexuais e nos acharam um casal lindo, e adorariam nos levar para o sitio deles, que ficava nos arredores da cidade, minha esposa olhou com cara de pidona e insistiu para aceitarmos, pois estava doidinha para continuar o que aconteceu no banheiro.
Pagamos a conta e seguimos o casal até o sitio, que lugar lindo, o calor ainda imperava mesmo tarde da noite, Carmem correu na frente levando minha esposa pelas mãos, como se quisesse mostrar tudo em poucos minutos, nos dirigimos aos fundos do sítio que tinha uma enorme piscina com direito a cascata e tudo mais, Carmem propôs entrarmos na piscina mais como não tínhamos planejado piscina para aquele dia minha esposa não tinha trazido seu biquíni, então Carmem a puxou dizendo que não tinha problema pois ela tinha algo que poderia dar pra ela usar, Fausto por sua vez me chamou para irmos juntos pois deveria ter uma sunga para mim, no quarto ele procurou e achou uma sunga vermelha pra mim e pra ele uma azul, e que logo as mulheres estariam conosco, e comecei a tirar a roupa ficando nu assim como Fausto também, nos olhamos, e ele disse nossa agora entendo a fama que os negros tem, e confesso o pau dele também era razoavelmente grande, ele perguntou se podia tocar, concordei e deixei, levemente ele me punhetou me deixando bem excitado agachou na minha frente e chupou com maestria meu pau, nossa que delicia de chupada, depois ele perguntou se eu chuparia ele, não vi problema e fiz o mesmo, que sensação estranha mais muito boa, vestimos as sungas e descemos para a piscina, ele me ofereceu mais uma cerveja e enquanto tomávamos as duas apareceram, por um momento ficamos estáticos sem ação, Carmem estava de biquíni preto fio dental linda piercing no umbigo e tudo, e de salto alto também preto, minha esposa de biquíni branco que destacava ainda mais pela sua pele negra e de sandálias as mesmas que ela já estava usando, que cena linda de se ver, duas gostosas desfilando para nos dois, então acontece algo bem excitante, as duas assim que chegam perto, começaram a se beijar e se tocar. Isso foi a gota para cada um de nós agarrarmos nossas companheiras por trás encoxando cada qual a sua.
Então ouço a Carmem pedir para trocarmos ele agarraria minha esposa e eu a Carmem, que bunda aquela mulher tem, meu pau encaixou entre as bandas, ele deu um UUUUI que delícia, minha esposa sorriu e mordeu o canto da boca quando Fausto a encoxou e beijou seu pescoço. Não demorou muito Carmem virou de frente pra mim, abaixou ao mesmo tempo que abaixava minha sunga fazendo meu pau pular para fora estava duro como pedra, Fausto por sua vez, puxava a calcinha do biquíni da minha esposa e alisava sua bucetinha deixando ela doida de vontade, Carmem me chupava com sofreguidão meu pau, deixando ele todo babado, quando olhei para Fausto ele tinha deitado minha esposa na espreguiçadeira, ela de pernas abertas sendo chupada por ele, fui para a espreguiçadeira do lado que me dava uma visão privilegiada da chupada que minha esposa estava levando, Carmem nesse momento punhetava e chupava meu pau, me deixando muito excitado, até que ela perguntou se poderia brincar um pouquinho, disse sem problemas então ela chupou um dedo e alisava a porta do meu cú, que tesão vez ou outra ela enfiava só a pontinha do dedo em mim olhei para o lado e vi minha esposa chupando Fausto com muito gosto, deixando aquela bunda apontada para cima, a calcinha deslocada pro lado deixando sua bucetinha a mostra, molhei meu dedo e enfiei nela, arrancando um suspiro de tesão, mais não largou o pau de Fausto, então senti Carmem sentar no meu pau de costas pra mim me exibindo aquele rabo lindo ao mesmo tempo que ela sentou no meu pau ela enfiou o dedo no meu cú que nesse momento piscava no seu dedinho. Fausto ao lado já penetrava minha esposa de 4, fazendo ela rebolar gostoso no pau dele.
Nossa que foda fantástica, então chegou um momento em que Fausto levantou e pôs o pau dele na minha frente falando sente o gosto da sua esposinha, eu abri a boca e ele enfiou o pau quase ao ponto de me engasgar, que delicia sentir o gosto da minha esposa no pau dele.
Fiz o mesmo com ele, que me chupou quase me fazendo gozar, foi então quem ele pediu COME O CUZINHO DA MINHA ESPOSA, e eu vou te comer, devagarinho, assim o fiz entrei bem devagarzinho no cuzinho de Carmem, ela urrou de prazer quando passou a cabeça do meu pau, então senti algo gelado no meu cú, era minha esposa passando gel em mim para que Fausto pudesse me penetrar, nossa no começo doeu, mais depois que passou a cabeça senti seus pentelhos grudados na minha bunda e a cada estocada que eu dava na sua esposa eu tomava uma em mesma proporção no rabo. Então não aguantando mais gozamos os 4 pois minha esposa estava na boca de Carmem sendo chupada e tomando dedada até…
Não acaba por aí, chegou a hora de trocar pois Fausto queria o cuzinho da minha mulher, ela olhou pra mim com cara de pidona de novo e já foi ficando de 4 pra poder ser enrabada, assim que a cabeça passou ele ficou um tempo parado aguardando eu enfiar meu pau no cu dele, assim o fiz da mesma forma que ele fez comigo a cada estocada dele no cuzinho da minha mulher eu fazia o mesmo com ele, sincronizado, sentimos nossos corpos tremendo de tanto tesão e acabamos gozando ele encheu o cuzinho da minha esposa e eu o rabo dele.
Após transarmos feito loucos ainda pulamos na piscina para refrescar um pouco, nos convidaram para passar a noite lá com eles imagina o que aconteceu…, conto numa outra oportunidade…

Deixe um comentário

CAPTCHA