Incesto com minha enteada

Meu nome é Ronaldo , tenho 38 anos tenho 1,73 , 78 kg gosto de praticar esportes tenho porte mediano. Vou começar esse conto real falando do meu dia a dia , sou vendedor e trabalho no horário da tarde de 14:00 as 22:00 , tenho uma linda mulher que também e vendedora que trabalha no horário da manhã de 10:00 as 18:00, ela tem duas filhas Jenifer 22 anos e Joyce 18 anos. A mais velha a Jenifer passa a maior parte do tempo na rua pois ela trabalha no escritório de engenharia e depois do expediente faz faculdade de administração, chegando em casa tarde da noite.

Eu e Joyce ficamos em casa sozinhos, então tenho que acordar fazer café e cuidar para que ela não perca seu horário na escola pois saímos juntos de casa. Joyce é uma menina linda, morena de cabelos longos lisos, seios medianos da sua idade, e bem empinadinha, ela costuma usar uns shortinhos que me deixam com muito tesão, impossível de não olhar , sempre tive aquele tesão imenso de sentir a sua pela na minha, principalmente quando ela usava uns biquínis na piscina aqui de casa e ficava me abraçando por trás esfregando aquela bucetinha lisa e pequena nas minhas costas, e eu disfarçadamente sempre deixava dar aquela escapolida na mão pra sentir o que tinha embaixo daquele biquíni lembro bem desse dia, só eu e ela na piscina , Silvia minha mulher e Jenifer já havia saído para trabalhar, então aproveitamos bem nosso banho de piscina, sabe quando vc coloca a mão pela lateral do biquine e sente aquela

bucetinha lisa e inchada nas mãos meu pau logo deu uma resposta, ficou tão duro que eu não pude disfarçar , ela cruzou as penas na minha cintura e os braços em volta do meus pescoço e fiquei passando o dedo bem de leve na bucetinha dela , a reação dela foi abrir a boca me olhar no olho fixamente e travar as penas igual quando fecha um cadeado, ficou muito meladinha, o bico do peito dela fico tão pontiagudo que dei uma chupada tão gostosa e em nenhum momento ela me negou nada , saímos da piscina e viemos para sala, fiz uma coisa que queria fazer a muito tempo, chupar aquela bucetinha virgem e sem pêlos , pude sentir tudo dentro da minha boca até ela gozar e gemer como se já fizesse aquilo por muito tempo, depois peguei a sua mão e levei em direção do meu pau que bem grande e duro sentiu pela primeira vez aquelas mãos pequenas e macias , enquanto ela batia uma , puxei a sua boca em direção a minha e senti a sua língua na minha. Virou um segredo máximo nosso, no dia seguinte ela veio até o meu quarto quando sua irmã e sua mãe saíram, e deitou ao meu lado, fiz muitas carícias nela, meu pau já estava em ponto de bala, ela já sabia o que fazer , pegou no meu pau e ficou punhetando, eu pedi para que ela colocar a boca com muito cuidado para que seu aparelho não me machucasse e ela saiu muito bem, fiquei com uma vontade imensa de enfiar meu pau naquela bucetinha, mas o que eu fiz foi apenas dar uma esfreagada, já tá 1 ano que estamos nessa. Aguardem as cenas do próximo capítulo.

Deixe um comentário

CAPTCHA