Minha primeira vez com outro cara

Bom esse fato ocorreu quando eu tinha 23 anos, sempre adorei sexo mas até então só havia tido experiências com mulheres, e nunca havia sentido tesão ou atração por caras, e sempre tive uma boa forma física e boa aparência o que me rendia muito sexo com mulheres, mas de tanto receber cantadas de caras e conversar sobre o assunto na internet resolvi experimentar depois de muito refletir, eu tinha na época por volta de 1,68m, 68 a 70kg muito bem distribuídos, muito poucos pelos e desde os 15 anos já me depilava na frente e atras por questões de higiene e gosto. Bom depois de procurar e conversar bastante encontrei um amigo que aqui vou chamar de Marcelo, que era

exatamente o perfil que eu procurava para aquela experiência e vice versa, ambos iriam ter sua primeira experiência com outro homem, tinha-mos a mesma idade, gostos e queríamos experimentar um pouco de tudo, sendo ambos ativo e passivo um com o outro. Marcamos um encontro para se ver e conversar pessoalmente, pelas fotos parecia-mos ter o mesmo físico e características, ate o pau dele parecia ser igual ao meu em formato e tamanho, ambos brancos e com poucos pelos. Depois de nos encontrarmos, conversamos um tempo, ambos bastante nervosos e preocupados, mas o Marcelo parecia ser gente boa pela conversa, embora eu tenha ficado meio desconfiado pois ele tinha alguns pircings e tatuagens que nas fotos não mostrava e ele era um pouco mais alto e forte do que eu devia ter por volta de 1,80 ou um pouco mais e uns 85kg + ou – e bem apessoado e apresentado. Bom fomos para minha casa e

muito nervosos não sabíamos como agir, Marcelo tomou a iniciativa e sugeriu que ficássemos só de cueca e assim deixaríamos rolar. Tiramos a roupa e fiquei impressionado, ele era muito sarado devia fazer academia eu fiquei imaginando pelo porte, e o corpo todo liso com uma cueca box colada. Em pé nos abraçamos e nos tocamos, eu bem nervoso não consegui sentir tesão algum e até aquele momento imaginava que só gostaria de ser ativo e não passivo, mas como havíamos combinado estava disposto a provar as duas coisas com meu novo amigo. Ele também parecia estar como eu bem nervoso mas novamente tomou a iniciativa e sugeriu que deitássemos e fizéssemos um 69. Ao deitar foi que observei que seu pau pela cueca super colada parecia ser exatamente do mesmo tamanho que o meu, o que me deixou feliz e tranquilo, pois nas conversas sempre me falava que era normal, mas disse que nunca havia medido. Ele tirou meu pau pra fora da cueca e começou a me chupar eu nervoso nem tinha ereção nem prazer naquilo e demorei um pouco alisando suas coxas grossas, ate que ele tirou totalmente a cueca e foi então que percebi que seu pau também estava totalmente mole e mesmo assim era praticamente do tamanho do meu ereto, tentei não pensar e aos poucos comecei a beijar e lamber a rola dele que logo começou a crescer e ele ficou excitado, só que a medida que o pau dele começou a crescer ele me colocou por cima e enquanto eu mamava e começava a gostar de sentir o pau dele quente dentro da minha boca, ele começou a lamber e brincar com os dedinhos no meu cuzinho quase mandei ele parar mas deixei, mãos fortes e dedos quase da grossura do meu pau duro, depois de alguns minutos eu estava gemendo e com muito tesão sentindo aquela língua deliciosa se deliciando no meu cuzinho virgem e seus dedinhos juntos me deixando louco de tesão e quanto mais o tempo passava mais eu gostava da brincadeira, e já algum tempo seu pau estava totalmente duro e para minha surpresa era enorme, grosso, cabeçudo e cheio de veias grandes, perguntei depois e ele me disse que devia ter uns 19, mas acho que era mais, mal conseguia abocanhar a cabeçona e mais uma parte dele que já enchia a minha boquinha, mas ele as vezes levava a mão na minha nuca e tentava me fazer engolir aquela rolona, eu eu não conseguia ir nem até a metade, e ele gemia de tesão com aquela brincadeira. Não sei quanto tempo passou mas pensei vou caprichar e mamar para ele gozar rápido e assim não me comer com aquele pauzão. Foi então que ele me pediu para ficar de quatro e me colocou pra mamar seu pauzão eu estava adorando e nem relutei enquanto isso ele elogiava o meu corpo, a minha boca e principalmente a minha bundinha lisinha, branquinha, carnudinha e redondinha, passava a mão na minha bunda, molhava os dedos com a saliva e lambuzava ainda mais meu cuzinho que a essa altura escorria de tão molhado, ora pegava com as duas mãos na minha nuca e fodia minha boquinha com aquela rola enorme e me chamava de putinha, safada e gostosa. Pensei por várias vezes que ele ia gozar, mas não acontecia. Foi então que ele me pegou colocou minha mão na cabeceira da cama, e ajoelhado em cima do colchão me pediu para empinar bem a bundinha e lambeu mais um pouco meu cuzinho ensopado de tanta saliva e tesão. Fiquei mais ou menos uns 45 graus inclinado com a bundinha arrebitada, e ele venho se chegando por trás e então eu pensei que perda de tempo nunca que esse pauzão enorme e tão grosso e cabeçudo vai entrar na minha bundinha e no meu cuzinho tão apertado, mas ele foi brincando e depois de três cutucadas aquele cabeção entrou para minha surpresa, e antes que eu conseguisse reagir ele me imobilizou passando um braço em volta da minha cintura e o outro na diagonal por baixo de uma axila e segurando com a outra mão no meu ombro e empurrou até trancar na metade mais ou menos aquela rola enorme e grossa. Vi estrelas, respiração , sei lá, me perdi, não consegui reagir, ele ficou assim parado por alguns momentos e começou a mexer devagar depois, eu gemia e estava louco de tesão e sem reação ao mesmo tempo sentido o pulsar e cada milimetro e pedacinho daquela rola enorme e grossa invadindo meu cuzinho virgem, então ele mexendo com cuidado num vai e vem alucinante, mais uma vez me surpreendeu e enterrou até o talo, senti suas bolas grandes e quentes batendo na portinha, vi estrelas e delirei de novo, tentei sair mas ele era mais forte e estava num local e posição privilegiados, chorei, e ele me chamou de putinha, gostosa, e eu eu só abri a bundinha com umas das mão para deixar e acomodar a rolona do meu macho dominador para continuar a me foder, ele não demorou muito e tirou a rolona de dentro de mim, tirou a camisinha me deixando uma sensação de vazio e quero mais e deu uma gozada muito forte e farta gemendo e lambuzando toda minha bunda e meu rego, senti o calor daquela porra escorrendo, que delícia, e senti um tesão e um prazer enorme e indescritível. Pensei que ele iria me comer de novo e eu queria mais, mas ele saiu colocou a roupa e disse que precisava ir, eu fiquei triste mas não falei nada mas queria mais, eu respeitei, me vesti e levei ele até a porta. Depois que ele saiu fiquei pensando, quase não falamos nada mas eu fiquei querendo mais, não queria que tivesse gozado tão rápido e muito menos que para-se de me comer daquele jeito, me senti uma putinha e gostei da sensação e tudo que havia acabado de experimentar. Fiquei um tempo com muito tesão e absorvendo tudo que havia acontecido e sentido, fiquei alisando meu rego fodido e lambuzado e pensando que eu queria de novo e mais tempo sentir aquilo novamente, me masturbei e gozei intensamente imaginando ele me comendo mais e em outras posições… Bom depois disso mantivemos conato e ficamos mais algumas vezes, mas vou contar em outros contos assim como outras experiencias, se gostou me mande mensagem para [email protected] e quem sabe podemos escrever um novo conto juntos…

Deixe um comentário

CAPTCHA