Meu Aluno Predileto

Ele era meu aluno. Mais velho do que eu, mas meu aluno. Desde o primeiro dia de aula trocamos olhares cheios de intenções. Ele era moreno, cabelos lisos e finos, olhos negros e expressivos, altura mediana, corpo trabalhado e encantadoras covinhas quando sorria.

Depois de muitos encontros casuais na cantina da escola, e alguns amassos no estacionamento, ele me convida para sair. Combinamos para o dia seguinte depois do trabalho dele, vou com meu carro e o apanho.

Dirijo até o motel tentando agir com naturalidade, mas estou enlouquecida de tesão, super afim de transar com ele! A expectativa me deixa agitada e muito úmida.

Entramos no quarto tirando a roupa um do outro, enlouquecidos, com urgência em foder , quero que ele entre em meu corpo e também quero entrar no dele. Tocamos nossas bocas durante os segundos que se seguem. Quando fico nua ele se afasta, me varre com os olhos e sorri malicioso:

_ Professorinha gostosinha! Perfeita!

_ Meu aluninho aplicado, vem cá, vamos ver se precisas de aulas de reforço!

Nos jogamos na cama, nos encaixamos rápido, ele por cima me beijando os peitos, a boca, o pescoço, beijos ávidos, sedentos de gozo. Sinto a rigidez do pau dele na pele e num instante me penetra, me invade, me preenche! Soca a pica na minha xana em ritmo acelerado, seus gemidos me excitam, ele prende meus punhos com as mãos, me imobiliza, me domina. Faço movimentos circulares com o quadril, ergo as pernas e cruzo os pés em torno dele, quero mexer minha buceta e sentir mais aquele cacete duro nas paredes da minha gruta úmida, quente, latejante de tesão!

A cada movimento sinto a base do membro dele tocar meu grelo, depois sinto o saco junto a minha entrada, estou delirando de prazer, me contorço, ele acelera, nossos movimentos produzem o som da fodeção, vai, mete, mete com força, quero gozar sentindo a rigidez deste falo gostoso! Preciso muito do teu pau, não para, não para, que delícia…

Gozamos juntos. A sincronia nos gestos e gemidos nos estimulam a alcançar o prazer juntos.

Largados na cama tentamos recuperar as forças, o descanso estabiliza nossa respiração e lentamente vamos nos tocando. Agora sim temos tempo para apreciar e tocar nossos corpos.

Agora que saciamos um pouco do nosso tesão vem a calma e agora é chegada a hora de começarmos com preliminares.

Bem de leve ele toca o bico dos meus seios que estão rígidos e pontiagudos, encosta a boca aberta e lambe, chupa, beija , morde sutilmente enquanto segura firme meu peito com as mãos e subitamente tenta colocá-lo todo na boca aberta, desliza a língua circulando o mamilo, espalha beijos suaves entre meus seios! A sensibilidade que sinto na pele entre os seios é deliciosa! Estou entorpecida !

Ele explora meu corpo com a língua, faz o trajeto até minha fenda, afasta os grandes lábios com a boca, encontra meu ponto culminante, meu clitóris, minha ignição, esfrega a língua nele, mete a ponta dela em minha cavidade. Mete e tira, mete e tira. Meu tesão aumenta a cada instante, estou tão úmida que meu suco (e o dele )escorre da buceta até meu cu! Também quero meter na boca o seu pau grosso e duro. Nos movemos em busca de um 69. Ele me lambe ora com suavidade, ora com sofreguidão, e eu devolvo as carícias tesudas enquanto seguro e aperto a base do seu pinto com os dedos, enfio na minha boca, me movo para que o cacete dele deslize até minha garganta, aperto bastante os lábios para que ele tenha mais tesão ainda. Ponho e tiro muitas vezes em minha boca apertadinha a piroca que tanto gosto! Estou estourando de prazer e quero gozar assim, com a língua dele metida na minha xoxota:

_ Vamos gozar assim, quero gozar com sua língua fodendo minha buceta, meta mais, enfia ai e mexe gostoso! Que bom, que delícia! Goza na minha boca! Derrama sua porra em mim que eu quero beber !

_ Goza, goza sim professorinha gostosa! Adoro chupar uma bucetinha que goza! Ah delícia, delícia de trepada! Você é muito gostosa, safada! Adoro mulher safada!

Nossas palavras soam entrecortadas, a entonação adequada à dois corpos prestes a alcançar o clímax .

Mais uma vez gozamos juntos, numa troca de energia e prazer, ele larga seu suco em minha boca e sacio minha sede de gozo. Bebo toda a porra dele, não desperdiço nenhuma gota sequer.

Exauridos nos aconchegamos, cochilamos de conchinha. Precisamos de uma hora de sono para recuperar a energia e o juízo!

Deixe um comentário

CAPTCHA