Comendo a tiazinha amiga do meu pai

Bem, vamos pra mais uma aventura! Antes não deixem de ler meus contos anteriores! Ah, e se quiserem bater um papo meu email é [email protected]om.br

No fim da minha infância até uns 18 anos eu morava em Brasília, filho de um funcionário público tínhamos uma vida boa, uma casa legal com piscina e tudo.

Na época tinha uns 18 anos e fazia cursinho, meu corpo tava bem em forma, pq até uns anos antes quase fui jogador de futebol.

Meu pai sempre recebia os amigos em casa para um churrasco aos fds e um bom banho de piscina. Minha mãe tinha me falado que um amigo de longa data, sua esposa e suas filhas pequenas iriam passar o fds lá em casa. Meus pais gostavam muito deles.

Era uma sexta e eu tinha ido ao cursinho pela manhã, acabei almoçando com uns colegas e cheguei em casa lá pelas 15h.

Quem conhece Brasília sabe como é quente e seco. Cheguei em casa e fui logo tirando a camisa e ficando só de calça jeans. E vou direto pro meu quarto.

Abro a porta e vejo uma cena que me hipnotiza na hora, ainda mais pra um moleque de 18 anos. Uma mulher só de toalha, sentada na minha cama e passando um creme ou algo assim, nas pernas. Ela percebe que estou na porta, se levanta e fala: “Não lembra de mim? Te conheço desde pequeno! Sou a tia Cíntia! Do seu tio Pedro!”. Eu lembrava vagamente, mas tudo bem. Ela vem pra cima de mim e me dá um abraço, mesmo naquela situação. Com a mão no peito ela diz: “Vc cresceu mesmo! Tá bem fortão!”

Meu pau fica duro na hora, ela era um tesao de mulher. Devia ter uns 45 anos, bem branquinha de cabelos pretos e curtos. Ela me diz q eles tinham chegado faz pouco tempo e meus pais tinham saído com o tio Pedro e as crianças e como tava muito quente ela aproveitou pra ficar, arrumar as coisas e tomar um bom banho depois da viagem de mais de 4 horas.

Eles iam ficar no meu quarto e eu iria dormir na sala. Tudo bem. Sem problemas. Em alguns minutos todos chegam, eu cumprimento o tio Pedro e a noite chega.

Bem, noite de sexta e eu acabo ficando em casa mesmo, ía dormir na sala pensando naquela gostosa da tia Cíntia. Lá pelas 2h eu levanto e vou pra cozinha beber algo. Não é possível, sei q é meio clichê mas escuto um barulho na cozinha e a tiazinha tava lá, de pé e tomando uma água. Ela tava com aqueles shorts curtos de pijama, q deixam aparecer um pedaço da bunda. E q bunda e pernas!!! Eu falo um “Oi” pra ela q tb me cumprimenta rápido e volta pro quarto.

Eu fico meio desapontado, sei lá, na minha cabeça eu tinha comido ela ali mesmo e foda-se tudo. Mas encerro minha noite só na punheta no banheiro.

No sábado meu pai faz um churrasco e todo mundo vai pra piscina.

A tiazinha tava num biquini daqueles de cortininha. Dava pra perceber q ela não tava toda depilada. Que tesao de mulher pros seus 45 anos. Eu não parava de tirar os olhos daquele rabo maravilhoso.

A noite acabei indo numa festa, mas tava uma merda. Como eu fui de carro, não bebi nada, e tb não consegui pegar ninguém. Chego em casa por volta das 3h. Todo mundo dormindo. Arrumo o sofá pra dormir e vou pegar alguma coisa pra comer na cozinha.

Fico sentado na mesa comendo e de repente a tia Cíntia aparece com uma camisola, sem sutiã e com uma calcinha bem pequena q dava pra ver tudo. Parecia um sonho…

Dessa vez ela senta comigo na mesa e puxa papo. Ela pergunta se a noite “rendeu”, eu falo q não, e com um impulso de comedor, falo com uma cara sacana que de repente podia ainda render alguma coisa…rsrs

Ela dá um sorriso, se levanta e pergunta pra mim onde tem copo. Eu me levanto e vou na direção dela. Chego bem perto e tasco um beijo naquela boca.

Ao lado da cozinha, tinha a sala de jantar, a gente continua a se beijar e levo ela pra lá. Eu nem acreditava naquilo. Minha mão apertava aquele bundão gostoso e ela desabotoava minha calça e tirava meu pau pra fora numa punheta bem gostosa. Ela sabia o q fazia.

Eu nos meus 18 anos só queria fuder logo aquela cavala, antes q alguém acordasse. Encosto ela na parede, ela vira de costas, levanta a camisola e pede pra eu enfiar naquela buceta q já estava toda encharcada.

Eu não perco tempo e começo a bombar naquela mulher gostosa, um tesao pegar ela de costas e em pé. Ela pega os dedos da minha mão e começa a chupar como se fossem outro cacete.

Num momento, enquanto eu a comia e beijava sua nuca, ela vira o rosto e pede pra eu gozar no cuzinho dela.

Cara, eu com 18 anos não sabia comer uma bundinha direito. Mas ela tinha muita experiência, e com os próprios dedos foi acostumando o cuzinho e depois guiando meu pau pra portinha. Coloquei a cabecinha, ela deu um gemido bem baixinho, depois comecei um vai e vem delicioso naquela bunda gostosa.

Não aguentei por muito tempo e enchi aquela bunda de porra. Gozei muito, muito mesmo e deu pra perceber escorrendo entre suas coxas.

Eu tava exausto. Ela se vira, me dá um beijo, e vai pro quarto. Eu fico meio sem saber o q aconteceu e vou pro banheiro me recompor.

Durmo no sofá de calça mesmo e sem camisa. Que noite!

No domingo, era como se nada tivesse acontecido. Almoçamos e a tarde eles se arrumam pra ir embora.

Na hora da despedida, o tio Pedro me abraço e fala baixinho pra mim: “Ela gostou muito de vc…”

Eu fico sem entender. Nós despedimos e qdo eles entram no carro pra ir embora, meu pai encosta a mão dele no meu ombro e fala “q mulher gostosa…” minha mãe tava longe e nem escuta.

Bem, acho q eu não fui o único a pegar a tia Cíntia. E acho tb q o tio Pedro gostava de saber q era corninho…

1 comentário em “Comendo a tiazinha amiga do meu pai”

  1. Vc que está aí cheia de tesão ou está carente me chama vc conversar 11954485050 casada, mãe solteira, novinhas mais por favor homem não
    Sou doida para pegar uma virgem
    Responde será que tem mãe pai que faz incesto ou mãe que já transou perto dos filhos ou que já teve essa experiência ? No sigilo chama

    Responder

Deixe um comentário