Assistindo a minha namorada gozar com outro

Olá. Me chamo Victor e essa é uma história real sobre o dia em que deixei minha namorada gozar com outro cara na minha frente.

Bom.. Na verdade, essa história é sobre uma ex-namorada minha que, na época, estavamos há pouco mais de 1 ano juntos. O nome dela é Alice e tinha 19 anos, dois anos mais nova que eu. Ela é uma morena clara linda, tem os cabelos pretos e bem lisos, exatos 1,68 de altura, os seios médios e uma bunda bem redondinha. Ela é o tipo de mulher que qualquer cara adoraria comer e, pra minha sorte, eu havia sido o primeiro e o único até então a trassar aquela coisinha linda. Por ser mais velho e de uma família menos conservadora que a dela, eu já havia tido outras namoradas na época e tinha bem mais experiências amorosas que ela. Sempre conversávamos sobre isso e eu já havia percebido que ela tinha uma certa obsessão/admiração pelas histórias que eu contava sobre as minhas aventuras com outras mulheres, o que é bem estranho. Normalmente, ninguém gosta de ouvir as histórias do seu parceiro com outras mulhres. E isso me deixava com muito tesão nela.

Certo dia, numa de nossas tranzas, ela pediu pra colocar um filme pornô na televisão e disse que ela mesma iria escolher o filme. Já havíamos tranzado assistindo filmes porno, mas era sempre eu que sugeria. Dessa vez ela deu a ideia e, pra minha surpresa, escolheu um vídeo no Xvideos de um trisal com dois homens comendo uma novinha. O que deu pra entender do vídeo foi que era a história de um cara que oferecia uma grana pra comer a mulher do outro. Nada demais pra mim, afinal ela fez parecer que foi uma escolha aleatória. Porém, enquanto estávamos tranzando, ela me disse entre gemidos:

_ Amor, eu quero te fazer uma pergunta mas você tem que prometer que não vai brigar comigo.
_ Ta bom, amor. Eu prometo. (Eu disse isso enquanto metia meu pau na bucetinha linda dela).
_ Você deixaria outro cara me comer que nem nesse vídeo? Diz a verdade.

Não lembro exatamente o que passou pela minha cabeça na hora, só lembro de dizer:

_ Claro, amor. Se você deixar eu comer outra garota também. É justo.

Queria apenas deixar claro que, essa conversa rolou enquanto eu estava metendo o meu pau na bucetinha linda da Alice. Logo, não estava 100% concentrado na conversa. Kkkk

Depois de algumas semana, novamente ela tocou nesse assunto comigo, dessa vez sem estarmos tranzando. Foi ai que percebi que ela tinha essa fantasia de ser comida por outro cara. Ficamos fazendo suposições sobre como seria, e ela deixou claro que queria que eu estivesse assistindo ela e que também queria apenas ficar me assistindo. Era a fantasia secreta que ela tinha. Isso me deixou super excitado e por um bom tempo fiquei imaginando como seria. Pesquisei alguns relatos no google e chegamos até a planejar tudo, marcando data e quem seriam os possíveis cadidatos e candidatas. Bom, sendo sincero, eu curtia a ideia de comer outra garota enquanto a Alice assistia, porém só de imaginar eu assitindo ela dá pra outro já me deixava com ódio. Era puro egoísmo e hipocrisia, eu sei. Porém era algo que não conseguia controlar. Por isso que, mesmo planejando tudo, por três vezes nós acabamos desistindo. Até que dei a ideia de cada um instalar o Tinder e tentar marcar encontros com outras pessoas. Ela concordou mas disse que queria que eu fosse o primeiro. Beleza… Depois de alguns dias usando o Tinder, eu dei match com umas 30 mulheres, conversei com algumas e cheguei a pegar o wpp de 7 delas e, é claro, a Alice tinha mais do quê o dobro de matchs que eu e chovia macho dando em cima dela. E ela insistia que eu fosse o primeiro a transar com outra pessoa. O problema era que, sempre que eu tocava no assunto de que a minha namorada tinha um fetiche de me assistir com outra garota e que ela iria acompanhar a gente, as garotas pulavam fora. Achavam que era cilada ou que sei lá o que. Sendo assim, depois de quase um mês no App, eu não tinha conseguido marcar com ninguém pra sair. A Alice porém, já não conseguia nem acompanhar a quantidade de mensagens que chegavam pra ela no Tinder. Então, apesar da vontade dela, disse que ela poderia ir primeiro e eu conseguiria alguém depois. Ela protestou mas aceitou. Detalhe… Nas nossas conversas, a gente descartou ficar com garotas de programa. Era questão de “princípio” na época. Kkkk

Voltando… No outro dia, a Alice escolheu um cara de fora do estado chamado Márcio e que estava de passagem com uma companhia de parques de diversão. Era um moreno alto, tinha 25 anos, era forte e tinha o cabelo estilo militar. Ela passou o wpp pra ele e começaram a conversar. De inicio eu fiquei com ciúmes, porém a medida que a conversa deles fluía, eu percebi que ela tava muito animada com a situação e que, mesmo com a minha desconfiança, ela sempre me perguntava se tava bom pra mim. Depois de dois dias de conversa, ela explicou que tinha namorado e que eu iria acompanhar eles se marcassem pra sair e, sem surpresa nenhuma, ele aceitou numa boa. Marcaram pra ir direto pra um motel do outro lado da cidade e fomos.

Ela se arrumou toda, usou um vestido preto bem decotado, um salto médio, colocou uma calcinha fio dental vermelha e caprichou na maquiagem, até cílios postiços ela usou. Tava linda, ao mesmo tempo puta e maravilhosa. Quando vi ela toda arrumada comecei a ficar ansioso. Entramos no carro e fomos. No caminho pro motel, ela perguntou varias vezes se tava tudo bem pra mim a situação e se eu queria voltar atrás. Apesar de estar com medo e ciúmes eu disse que iria até o fim. Antes de chegarmos no motel, paramos pra buscar o Márcio, que entrou no carro exalando perfume. Nos cumprimentamos e seguimos pro motel. No restante da viagem eu não dei nenhuma palavra mais, apenas a Alice e o Márcio conversaram. Chegamos no motel, alugamos uma suíte, e entramos. Como todos estávamos visivelmente nervosos, sugeri que começassemos bebendo umas cervejas. Colocamos uma música e ficamos bebendo por alguns minutos. A Alice fez um monte de perguntas por Márcio e, a medida que o tempo passava, mas expectativa eu criava com a situação. Até que ficou um silêncio no quarto, ninguém sabia como iniciar as coisas nem como dar o primeiro passo, então eu disse que precisava ir no banheiro e, sem dizer nada, apaguei a luz, deixando apenas as luzes negras ligadas e o som tocando. Entrei no banheiro e fiquei lá uns 5 minutos imaginando o que tava rolando no quarto. Não conseguia escultar nada por causa da música, então decidi esperar mais 2 minutos pra sair. Foram os dois minutos mais demorados da minha vida. Kkkk

Quando saí, dei de cara com o os dois se beijando pra valer. O Márcio já tava até acariciando a bucetinha da Alice por cima da calcinha. Meu pau ficou duro na hora. Eu não disse nada, apenas fiz como prometido pra Alice e sentei num banco de frente pra cama. Em alguns momentos a Alice parava de beijar o Márcio e olhava diretamente pra mim como se dissesse que tava adorando. Ele continuava a dedilhar a bucetinha da minha namorada e, enquanto ela me olhava, começou a tirar a camisa. Percebi que a Alice tava muito molhada e fazia uma cara de puta sensacional. Assitindo a cena, comecei a bater uma punheta por cima da calça mesmo. Caraca, eu não tava mas nem ligando se a minha namorada ia dar pra outro cara na minha frente.

O Márcio, que a essa altura já estava só de cueca, tirou o vestido da Alice, deichando-a apenas com a calcinha fio-dental vermelha. Ao mesmo tempo que ele beijava ela, ele também passava a mão por todo o corpo da minha namorada. Seios, bunda, buceta.. Todas as partes da minha namorada estavam agora nas mãos de outro homem, e eu tava adorando tudo isso. Ela também começou a passar a mão no corpo do Márcio, pegava no pau dele por cima da cueca, que a essa altura já tava quase explodindo de tão duro. O Márcio começou a mamar no peito da Alice e, antes que eu conseguisse processar tudo isso, a Alice tirou o pau do Márcio pra fora e começou a bater uma leve punheta pra ele. Entre gemidos e a música de fundo, ouvi a Alice dizer:

“QUE PAU GOSTOSO.”

Não consegui me controlar e coloquei o meu pau pra fora também e comecei a bater uma punheta. A Alice me olhava e mordia os lábios como se quissesse me incentivar a gozar com a cena. Ela me olhou fixamente, tirou toda a cueca do Márcio e pediu pra mim com uma voz de safada.

“AMOR, POSSO CHUPAR O PAU DELE? EIM AMOR?”

Na mesma hora eu respondi que sim e então ela engoliu todo o pau do Márcio de uma vez. Ela começou com uns movimentos bem lentos, o que deixou o Márcio maluco, em seguida começou a chupar com muita vontade e, a medida que ela acelerada o ritimo, mais o Márcio gemia e movia o quadril. Chegou um momento em que apenas o Márcio enfia o pau na boca da minha namorada como se estivesse fodendo a bucetinha dela. Foi nessa hora que eu gozei a primeira vez.
Logo depois, foi a vez da minha namorada receber uma chapada na bucetinha. O Márcio deixou ela deitada com as pernas bem abertas e caiu de boca na bucetinha da minha namorada. Ele lambia de cima pra baixo, de baixo pra cima e passava a língua no clitóris dela com muita vontade. Minha namorada gemia como uma puta e nem se importava com as pessoas nos outros quartos. Sempre que íamos no motel, ela tinha a preocupação de gemer baixinho pra não fazer barulho nos demais quartos. Mas dessa vez ela tava realmente outra pessoa. Até dizia coisas que não costuma dizer, como:

“CHUPA MINHA BUCETINHA, CHUPA”… “APOSTO QUE ESSE PAU FODE TÃO BEM QUANTO ESSA LÍNGUA”… “TA GOSTANDO DO MEU MELZINHO?… “ENFIA O DEDINHO NA MINHA BUCETA VAI”…

Na hora eu fiquei pensando que ela nunca tinha me falado nada disso pra mim e, por um momento, fiquei com ciúmes novamente, mas foi só ela olhar pra mim que esqueci de tudo isso.

Enquanto o Márcio chupava a bucetinha dela, ela me olhou novamente com uma cara de safada e disse enquanto gemia:

“AMOR, EU VOU GOZAR. VOU GOZAR NA BOCA DELE.”

Meu pau ficou duro de novo… Ela continuou me encarando até que finalmente gozou. Foi uma cena linda. Ela dizia “EU TO GOZANDO… AI, TO GOZANDO” deu uns gemidos fantásticos e deixou todo o melzinho escorrer pela boca do Márcio, que tava adorando tudo e não parava de lamber o a bucetinha melada da minha namorada. Ela se deitou na cama e pediu um tempo pra se recuperar. Passou uns dois minutinhos e ela disse pro Márcio: “AGORA É A SUA VEZ, QUERO VER VOCÊ GOZAR TAMBÉM”. Ele se posicionou na frente dela, com ela deitada na cama com as pernas abertas. Os dois começaram a se masturbar, um de frente pro outro. Essa cena eu também nunca consegui esquecer. O Márcio batia a punheta cada vez mais forte, e quanto mais ele acelerava, mais a Alice acelerava a siririca dela. Eu ouvia ele dizer “QUE BUCETINHA LINDA” e alternava a outra mão entre a buceta e o peito da minha namorada. Mais uma vez eu gozei assistindo tudo. Logo em seguida o Márcio também anunciou que iria gozar, minha namorada se posicionou melhor e ele ajaculou em cima do peito dela. Deixou a todos os dois seios da minha namorada cheios de porra. Tive a impressão que um pouco espirrou perto da boca dela, mas ela disse que não mais tarde.

Depois que os dois gozaram, ele saiu de cima dela e ficou deitado na cama. Essa é a parte que ninguém contava nos fóruns que pesquisei. O que fazer depois que acaba?!
Pra nós, foi somente rir da situação, a Alice foi pro banheiro tomar banho enquanto o Márcio se vestiu. Depois que ela saiu do banheiro fomos embora e deixamos o Márcio no mesmo lugar que pegamos ele. Nos despedimos, ele agradeceu e disse que tinha sido a melhor noite da vida dele. Dizemos pra que ele guardasse segredo e que também tinha sido ótimo pra nós. Fomos embora e nunca mais tivemos contato com ele.. Por segurança bloqueamos ele no wpp e mudamos o wpp dela pra outro número. Foi isso..

Ahh… Durante a viagem de volta pra casa, conversei com a Alice e perguntei o porquê deles não terem tranzado de verdade, ou seja, por que não houve penetração e por que ele nem tentou nada do tipo… Ela disse que, quando eu estava no banheiro, ela tinha dito pra ele que era melhor que não rolasse penetração entre eles e que ficassem apenas nos toques e no sexo oral, já que era a nossa primeira vez fazendo esse tipo de coisa e ela não queria extrapolar.

Bom… Continuamos nossas aventuras nos meses seguintes, até a gente terminar depois de 2 anos e 8 meses juntos. Eu voltaria a ver ela na cama com outro cara, dessa vez sendo fodida de tudo que é jeito, com direito a sexo anal e gozada na boca. Mas isso aconteceu depois que finalmente encontrei uma garota pra comer na frente dela também. Essas e outras história ficam pra uma próxima vez.

Valeu.

1 comentário em “Assistindo a minha namorada gozar com outro”

Deixe um comentário

CAPTCHA