Orgia deliciosa em família

Seria mais um feriado na chácara de meu cunhado como tantos outros, mas desta vez estaríamos em maior número, o irmão mais velhos deles também estaria na cidade com sua mulher e um tio deles também estaria no sítio confraternizando conosco.
Meu nome é Moacir, tenho 35 anos e sou casado com Amélia de 32, Amélia é uma mulher bonita, olhos claros, cabelos puxados para loiro, seios grandes e suculentos, bunda média com uma xoxota grande e apetitosa. Somos casados há cinco anos, não temos filhos ainda.
Meu cunhado Jorge, dono do sítio tem 35 anos, casado com Julia, uma morena com um corpo escultural, seios fartos e ancas largas, vieram sem os filhos, deixando-os com sua sogra.

Ler maisOrgia deliciosa em família

Enrabada pelos vizinhos

Quando conheci aquele casal simpático e delicioso, estava longe de imaginar as aventuras deleitosas que me aguardavam.
Chamo-me Lígia e gostava de partilhar convosco a melhor noite de sexo que já tive. Jacinto é o nome do homem com quem partilho o meu apartamento. Gosto dele. É um Homem trabalhador, honesto, carinhoso, etc. Mas isso para uma mulher fogosa como eu, não chega – pois ele na cama não satisfaz minimamente os meus desejos e fetiches, então encaro-o como um bom amigo apenas.
Fico frustrada com os seu orgasmos precoces, pois ele, fica satisfeito, e eu não. Já o aconselhei a comprar umas capsulas que fazem prolongar o acto sexual, mas ele é tão quadrado que nem quis saber…

Ler maisEnrabada pelos vizinhos

Engenheira transando com os peões na obra

Na Espanha tomando um cafezinho num Bar peguei um rapazinho refugiado. Ele sem banho mas com uma rola grossa que me encheu a xota de gozo.

Em Portugal numa praça mirei num homem de gestos europeu e conversamos e fomos num lugar discreto e ele me comeu na xota e no cuzinho. Delícia.

Sou engenheira de 42 anos morena, tipo gostosa, solteira e com tara em homens rudes. Tenho um caso com dois peões da Empresa que trabalho.

Voltei das férias com a xota em brasa doida para dar a eles.

Ler maisEngenheira transando com os peões na obra

Traindo o maridão sendo enrabada gostoso por quatro roludos

Oláaaaaaaaaaaaaaaaa galera tudo bem? Mais uma vez neste maravilhoso site narrando fatos reais, sem qualquer pitada de ficção ou mentira. Como sabem sou uma mulher madura (51 anos), mas muito bem conservada e sedenta por sexo sem limites.Admito até uma força moderada. Gosto de levar palmadas nas nádegas (que podem ser fortes o suficiente para marcar)e tê-las arranhadas com as unhas. Gosto que puxem meu cabelo com forças e de levar uns tapas no rosto (socos não). Como já sabem sou casada há aproximadamente 25 anos com um homem fraquíssimo em todos os sentidos. Péssimo amante, péssimo amigo, péssimo marido, péssimo tudo. Um fracasso total. Só conheci os prazeres do sexo depois dos 45 anos. Antes nem o papai com mamãe era constante. Depois que passei a traí-lo não parei mais. Perdi o freio na ladeira. Até os 45 anos nunca tinha feito sexo anal ou oral. Acreditem. É verdade.Descobri o intenso prazer do sexo anal. Posso dizer que gozo mais pelo cu do que pela boceta. Se eu tivesse direito a uma foda só, com certeza gostaria de foder pelo cuzinho. Gosto que me penetrem a seco, sem lubrificante.Gosto de sentir o pênis me invadindo centímetro por centímetro. Fico com muita tesão quando sinto a cabeça roçando nas minhas pregas.Adoro chupar e engolir o sêmen ou de senti-lo besuntando o meu rosto. Sinto imenso prazer em ser fêmea e dar ao meu macho todo tipo de prazer. Gosto que o meu homem me xingue de puta, vagabunda, piranha, cadela etc.

Ler maisTraindo o maridão sendo enrabada gostoso por quatro roludos