Virando putinha pelo telefone

Naquele dia eu acordei ansioso e cheio de tesão. Bruno tinha ficado de ligar às 7:30. Até às 8 horas não haveria ninguém em casa eu ficaria só por conta dele.
Eu tinha me vestido como ele pedira: uma calcinha rosa e um baby doll também rosa com estampa da Penélope charmosa. Estava uma perfeita menininha para o meu macho.
Às 7:30 em ponto ele ligou. Atendi da cama. Ele foi logo falando com a sua voz grossa e máscula:

– Alô, é o meu viadinho.
– É o seu viadinho sim.
– Você está como eu pedi, putinha?
– Estou de camisola e calcinha, como você pediu.
– A calcinha está enfiada no seu rego?
– Está sim. Está enfiadinha apertando o meu cuzinho.
– É assim que eu gosto. E então, puta vadia, você gosta de chupar pica?
– Gosto muito. Adoro chupar pica. Você quer me dar a sua pica para eu chupar?. Deixei eu mamar no teu pau, deixa…
– Então chupa, chupa gostoso o meu leitinho… Vem mamar na minha pica, vem, minha putinha…
comecei a chupar o dedo, fazendo um barulho molhado com a boca, bem alto para ele escutar.
– Ah, minha puta vadia! Chupa gostoso, chupa… Isso, chupa o meu caralho, putinha safada…Você fez o que eu pedi, putinha? Você está com o consolo aí do seu lado?
– Estou, estou pegando nele agora, imaginando que é o seu pau…
– Ótimo. Agora vai tirando a calcinha. Tira devagar, rebolando a bundinha e gemendo alto para eu ouvir. Faz de conta que você é uma puta fazendo streap tease…
usando uma das mãos, eu fui tirando lentamente a calcinha, ao mesmo tempo em que rebolava e gemia, para o prazer do meu macho.
– Isso, minha mulherzinha… Já tirou o a calcinha?
– Já, meu macho. O que eu faço agora?
– Coloca um tavesseiro debaixo da bunda e deixa o seu cu arrebitado para cima. Agora dobra as pernas e levanta elas. Fez isso, minha bonequinha?
– Fiz, fiz sim, meu macho.
– Agora pega o consolo e coloca ele na beirada do teu cu. Ta sentido ele, putinha?
– Estou, estou sentindo o consolo enconstado, forçando as minhas pregas.
– Faz de conta que é o meu pau que está entrando em ti. Vai metendo devagar. Ta entrando, bonequinha?
– Ta entrando tudo… que caralho gostoso! Vai, meu macho, arromba o meu cu.
– Isso, viadinho, geme, geme como uma vagabunda.
Eu gemia e metia o consolo no rabo, imaginando que era a pica daquele homem de voz máscula.
– Vai, mete, mete a tua pica no meu cu… ai, que eu gozo!
– Vai, viadinho, goza com o meu caralho enfiado no teu rabo. Tu gosta de dar o cu, hein? Diz pra mim…
– Gosto, gosto de dar o cu…
Nisso, coloquei a base do consolo apoiada na cama e comecei a me movimentar sobre ele, como se cavalgasse um pau de verdade. Com a mão livre, eu me masturbava. Ele arfava e gemia pelo telefone.
– Vai, viadinho, goza para eu ouvir!
Gozei fartamente, inundando a minha barriga. Ao mesmo tempo, ele gozava com um berro.
– Ah, caralho, que cu gostoso! – gritou ele.
Já era quase oito hora e nós desligamos, mas antes ele me advertiu:
– Fica preparado que qualquer dia eu ligo de novo para comer o teu cu pelo telefone…

Se você gosta de comer um homem vestido de mulherzinha, me escreva. Moro em Macapá e não sou afeminado. Dou preferência a homens com mais de 30 anos.

Deixe um comentário

CAPTCHA