O segurança

Meu nome é Cristine eu trabalho em um escritório de produtos veterinários a empresa é pequena e meu chefe quase nunca aparece, nosso prédio de escritórios é bem seguro e por isso quase nunca trancamos a porta, tem uma porta automática em baixo e segurança 24 hrs, o segurança do dia era um rapaz simpático e o da noite eu quase nunca via, só qdo saia mais tarde, era um rapaz alto, forte, rosto quadrado e dentes perfeitos, ei sou uma garota de 24 anos, loira, magra olhos castanhos, nada de mais, uma sexta feira de verão tive que ficar até mais tarde no trabalho, e lá pelas 20 hrs resolvi descer pra comprar algo pra comer, desci e dei de cara com o segurança da noite, eu estava com uma saia curta e um top, comprei um sorvete e voltei pro escritório, com as mãos ocupadas para abrir a porta eu

acabei deixando meu cartão refeição cair, qual não foi minha surpresa qdo de repente a porta do escritório abriu e o segurança apareceu com aquele sorriso me dizendo que esqueci o cartão, eu ainda com o sorvete nas mãos, fiquei sem graça agradeci e sem ter o que falar ofereci o sorvete, ele chegou bem perto deu uma lambida e me olhou com a cara mais safada do mundo e disse, bom mas eu preferia chupar outra coisa, foi como se eu levasse um choque, eu tb não sou santa, olhei bem nos olhos dele e falei quase sussurrando, tipo o que? Ele fechou a porta e me disse, não posso falar só mostrar, vc quer ver, eu disse sim, foi o que ele precisava com a maior facilidade ele me pegou no colo e me sentou na mesa, sem cerimônia ele abriu minhas pernas e arrebentou a calcinha, o sorvete foi parar na mesa, ele pegou o que restava dele e começou a passar na minha bucetinha, nossa o frio do sorvete e meu fogo juntos me

faziam delirar, ele então caiu de boca na minha buceta, meu Deus que loucura, nunca me chuparam daquele jeito ele metia a língua bem dura na minha fenda e chupava meu clitóris com força, aquilo estava me torturando, eu puxei ele pelos cabelos e como se quisesse que me engolisse eu apertei o rosto dele na minha buceta e gozei me tremendo toda, foi qdo ele me olhou com a cara toda lambuzada pelo meu gozo e me disse sua vez sirva se, meu Deus que pau maravilhoso, enorme com as veias todas aparecendo eu cai de boca e comecei a chupar e lamber a cabeça, e subir e descer até que ele começou a meter na minha boca, engasguei algumas vezes com o tamanho do pau dele, qdo estava perto de gozar ele parou me sentou de novo na mesa, abriu minhas pernas pincelou minha buceta com o pau dele e

sem dó enterrou em mim de uma vez, eu urrei mas ele logo me puxou pelo quadril enterrou seus dedos nas minhas poucas carnes e socou com força, eu sentia as bolas dele batendo na minha bunda, ele estava possuído e eu tão molhada que sentia o pau dele escorregar com facilidade, mais uma vez ele parou, me colocou de quatro com meu próprio gozo ele lambuzou meu cuzinho e antes que eu pudesse falar algo ele enterrou de uma vez, eu gritei tão alto que se tivesse alguém no prédio ainda com certeza ouviu, me faltou o ar, eu nunca tinha feito anal , ele parou e eu

consegui falar que nunca tinha dado o cu, ele se iluminou, me disse vou ser paciente e realmente começou bem devagar, mas o tesão era tanto que ele logo começou a dar estocadas lágrimas escorriam pelo meu rosto, mas o reflexo no vidro do armário me dava tesão e comecei a rebolar na pica dele, apesar da dor eu estava louca de tesão, até que ele soltou um urro seco e gozou enchendo meu cu de porra, me deu um beijo na boca se ajeitou e voltou ao trabalho, eu fiquei 3 dias sem sentar direito, mas sempre que podia vaza hora extra.
Fim

Deixe um comentário

CAPTCHA