Comi a vizinha gostosa que mora ao lado da casa do meu tio

Olá venho mais uma vez contar o que aconteceu comigo, me chamo deco tenho 1,81 e na época do ocorrido eu tinha 22 anos e 85kg. Eu trabalha em uma mecânica de automóveis e a noite tocava pagode em barzinhos, em um belo dia minha prima me chamou para me falar que perto de sua casa havia um barzinho bem bacana e que tinha conversado com o dono e precisa de um grupo para tocar. Pedi o contato do dono e passei para o responsável do grupo entrar em contato. Foi fechado para a sexta-feira seguinte a apresentação, o grupo alugou um van e eu fui com meu carro, pois avisei que iria buscar uns parentes para assistir nossa apresentação.


Avisei minhas primas que havíamos marcado de tocar no bar que ela me passou, avisei também que passaria para buscar ela e minhas outras primas por serem menor de idade na época e meu Tio não deixavam sair sem acompanhamento de um adulto.
A notícia se espalhou com um raio, pois a cidade era pequena e não havia bares desse gênero nas imediações. Chegado o momento passei e busquei minhas primas e percebi um movimento próximo a sua casa, perguntei se era normal. Elas me falaram que não e que todo o bairro iria ver agente tocar. Observei também que ela tinha uma vizinha morena de cabelos longos ate a cintura, mais que delicia de garota, uma cinturinha perfeita, seios médios, sem barriga, bumbum arrebitado, nome dela ELEN (fictício). Chegamos então ao barzinho e a rua estava lotada, assim que encostei o carro a van também chegou no mesmo horário com o restante do grupo, minhas primas ficaram no canto sempre na minha visão, pois estavam sob minha responsabilidade, começamos a passar o som e casa lotando, reparei que logo em seguida essa morena chegou com uma amiga. O samba começou e como sempre a mulherada pedindo música pedindo esquema para depois do samba e eu só de olho na Elen, reparei que alguns caras chegaram nela e ela dava uns foras nos caras. No intervalo do samba fui ao banheiro e uma de minhas primas foi conversar com a Elen, na volta ela me disse que a Elen queria me conhecer, na mesma hora foi falar com ela, conversamos e minhas primas ficaram de papo com o pessoal do grupo, chamei para dar uns beijos e de cara ela

topou, fui levando sentido do carro, pois era meio escuro o local, ficamos nos beijando por uns 10 min. E ouvi minhas primas me chamarem para voltar ao samba, pois a galera havia gostando muito da apresentação do grupo, falei para Elen que depois do samba queria continuar os beijos, pois sabia que valeria a pena. No final do samba levei minhas primas para casa e voltei sozinho para encontrar Elen, cheguei e ela estava conversando com sua amiga e o ficante da amiga, chamei para darmos uma volta e ela topou. Parei em uma rua deserta, pois já se passava das 2 da manhã, começamos a nos beijar e como sempre já havia preparado o repertorio de musicas para dar aquele diferencial, (tipo Marvin Gaye, Earth wind and fire e outros), o clima começou a subir dentro do carro, comecei a beijar seu pescoço e arranquei um gemidinho bem baixinho dela, opa estou gostando do que meu ouvidos escutaram nesse momento, meu pau já estava duro feito rocha, fui pra cima, fazendo carinhos em seu rosto e beijando sua boca, fui indo para o pescoço, ela se arrepiando mas deixando eu avançar, passei a mão por cima da blusa e já pude sentir os bicos de seus seios durinho, desabotoei sua blusa e ela estava só de sutien por baixo da blusinha, passei a acariciar seus seios com as mãos e a boca, até que soltei o sutien e pude sentir aquele par de seios maravilhosos, não resisti e chupei com vontade parecia que serio os últimos seios da face da terra, Elen gemia me puxava contra seu corpo, passava sua mão por cima da minha calça, nessa hora abri meu zíper e tirei meu pau pra fora, Elen olhou para meu pau olhou. – nossa que grande! Eu respondi: – está assim por sua causa!

Ela pegou meu pau e começou a punhetar e eu voltei para seus seios, a medida que o tesão ia aumentando ela apertava meu pau, fui descendo beijando sua barriguinha, chegando perto de sua cinturinha desabotoei sua calça, Elen pediu para parar um minutinho, perguntei o que estava havendo e ela olhou para os lados para se certificar que os vidros estavam totalmente embaçados, puxei novamente contra meu corpo e Elen voltou ao clima, tirou sua calça ficando só de calcinha, uma calcinha branca de renda, tipo fio dental meio transparente na frente, abaixei totalmente os bancos do carro e a deitei. Tirei sua calcinha e puder ver uma bucetinha linda, depiladinha só com um filetinho de cabelo na frente, fui a loucura passei os dedos e senti seu mel quente, nessa altura eu estava com o pau doendo de tanta vontade de penetrar-la, passei a língua em sua bucetinha e senti seu calor e o melhor aroma da face da terra, o cheirinho de buceta. Elen gemia enquanto eu chupava sua bucetinha, seu clitóris ficou mais rígido e eu com rosto todo melecado de seu mel. Elen foi a loucura, se contorcia, gemia, sussurava e pedia para come-la. Não demorei e pedi para ela me chupar, ela chupou com uma maestria parecia que era uma profissional no assunto, subiu desceu, lambeu minhas bolas, babou bastante, quando estava preste a gozar pedia a Elen que parasse pois iria gozar, ela

parou e aproveitei e coloquei a camisinha, pincelei na entrada de sua bucetinha, Elen sussurava: – me fode, hoje sou toda sua, venho te olhando há algum tempo e hoje é o dia certo! A safada me queria há tempos. Empurrei meu pau para dentro de sua bucetinha e pude sentir que estava pegando fogo, quente e bem apertadinha, parecia uma virgem, Elen gemia me puxava contra seu corpo, fui empurrando e senti uma certa dificuldade no começo apesar de estar bem lubrificada com seu mel, soquei ate o talo de uma vez, Elen gritou: – Aí assim eu me apaixono mais do estou e ela gemia, bombei por uns 5 minutos e ela se contorcendo e senti que estava gozando em meu pau, sua pernas começaram a tremem e ela mudou o tom da voz,meio que engasgando para falar, continuei a bombar e Elen só gemia e gritava, me chamava de gostoso, meu gato e eu com os movimentos de vai e vem anunciei que iria gozar e Elen me prendeu com as pernas e sussurou, solta que eu quero sentir seu pau mexer dentro de mim, soltando seu leite. Não agüentei e gozei com nunca havia gozado. Você quer leite dentro de sua bucetinha sua cachorra, Elen respondia: – Sim eu quero! Então toma seu tanto, toma o leite sua putinha. Elen – sim sou sua putinha agora. Quando saiu a ultima gota estávamos exausto, Elen olhou para o relógio e passavam das 5:30 da manhã, Elen – preciso ir embora, Mas não acabamos eu quero mais, Elen – não gato tenho que trabalhar agora cedo, vamos marcar amanhã a noite para continuarmos de onde paramos.

Eu não queria que Elen fosse embora, mas também não poderia segura-la e fazer perder o dia de serviço. Na volta Elen dizia que desde quando me viu se apaixonou por mim, que eu nunca havia percebido por que na época ela namorava, e não ficava na rua somente dentro de casa e ida e vinda do trabalho, que só agora depois do fim de seu namoro ela se sentiu no direito de me procurar assim que soube da minha apresentação e tentar ficar comigo.
Eu estava super contente em ter transado com uma morena tão linda e tão gostosa e ao mesmo tempo safada, (tipo dama na sociedade e puta na cama). Deixei-a na sua porta e fui para casa do meu tio dormir, tomei um banho, fiquei pensando no ocorrido e ainda continuava excitado, bati uma para relaxar e dormir.

Espero que tenha gostado do conto, no próximo contarei mais do segundo encontro com Elen.
Meu e-mail [email protected]

Deixe um comentário

CAPTCHA