Minha prima e suas amigas safadas

Minha prima Elaine veio a minha casa nesta terça feira, e após varias conversas sem sentidos e atualizações de nossas vidas, sentamos na varanda e ficamos lá do alto assistindo ao movimento da cidade, ela me dizia que estava sozinha e que seu namorado há havia deixado, eu perguntei por que ela desconcertou e não quis dizer de momento, mas como insisti ela acabou contando, que estava na sua casa e sua amiga Jessica, estavam duas na cama e acabaram transando, e seu namorado havia pego as duas, revoltado a deixou, eu na hora o chamei de burro e disse que se fosse minha namorada, eu estaria muito contente, e

pularia no meio delas fazendo a maior sacanagem, ela riu e disse que seria bom se o namorado dela tivesse pensado nisso, mas que agora era tarde e mesmo que ele viesse atrás dela ela não voltaria com ele, eu achei uma brecha e me atirei nela, mas você virou lesbica, e não gosta mais de homem? Perguntei, ela disse que não que gostava sim de homens e que sentia falta das transas com seu namorado, como estava somente eu e ela ali em casa, eu rapidamente aproveitando da situação me prontifiquei, não seja por isso eu estou aqui, ela riu e disse você é meu primo, não podemos fazer isso, que primo que nada, isso não tem nada haver, nos não vamos fazer filhos, apenas se aliviar da tesão e do stress, ela rindo me olhou nos olho e parou de rir no seco, seus lábios tremeram, acho que ela estava gostando da idéia, e ficando excitada com a conversa, eu peguei em sua mão e ela deixou que a abraçasse e a beijei sendo retribuído com ardor, minha língua se enroscava na sua, e minhas mão foram automaticamente a despindo, e deixando seus seios a mostra, para os quais desci minha boca e mamei, seus seios duros em forma de cone e de mamilos grandes me deixaram mais excitado ainda, eu já havia arriado minhas calças, e ela agora pegava em meu pinto e apalpava ele de cima a baixo, tentando se acostumar com o tamanho e a grossura, talvez nunca tenha visto ou sentido um desse tamanho, 19 cm, por 2.5 pol. empolgada com aquilo ela me empurrou e desceu a ele, dando beijinhos e testando se cabia em sua boca, depois de algumas tentativas, já estava com metade dele dentro de sua boquinha macia, eu delirava enquanto apalpava seus seios, sentados ao chão puxei sua bundinha para perto de mim, e massageei sua buceta, ela gemeu forte, enfiei minha cabeça no meio de suas pernas, até chegar com a boca em seu clitóris, o qual chupei pra dentro da boca, chupava um pouco e logo enfiava a língua o quanto podia dentro daquela buceta molhada, quando notei que ela já havia gozado varias vezes eu a coloquei de costas, entrando no meio de suas pernas com meu pinto em direção a entrada da buceta, meu pinto nem precisou posicioná-lo, ele mesmo achou o caminho, e foi entrando por aquele canal apertado, quando já estava com a metade dentro, ela começou a gemer forte e me empurrou dizendo que a estava machucando, voltei um pouco e com mais carinho iniciei um vai e vem mais contido, e aos poucos fui introduzindo meu pinto dentro dela, ele ia abrindo caminho a cada estocada, e logo já estava quase todo dentro dela, que agora gemia me unhava as costa e rebolava feito uma doida e assim chegamos ao clímax gozando juntos, eu nem liguei em estar sem camisinha e a enchi de porra, aquilo de não fazer filhos no momento nem me passava pela cabeça, quando sai de cima dela ela continuou alguns instantes com a perna aberta e um fio de porra saindo de sua buceta, a visão daquele corpo lindo me fascinava, e não demoraria muito para eu estar excitado de novo, mas não podíamos nos arriscar muito, pois meus familiares já estavam parta chegar, ela foi ao banheiro onde se lavou e se vestiu, eu fiz o mesmo, e quando ela saiu eu dei-lhe um beijo muito caloroso, ela me disse que agora sabia onde descarregar sua tesão, eu disse que estava a disposição.
Fazia mais de uma semana que eu havia transado com Elaine, mas me lembrava a cada momento daquela foda, e já havia se masturbado varias vezes pensando naquela nela, quando o telefone tocou, olhei o visor e vi o nome de Elaine, atendi o mais rápido possível, ela estava me convidando para ir a casa dela, que iria me fazer uma surpresa, não recusei e disse que a noite estaria lá, avisei a família que posaria na casa de um amigo e que só voltaria na tarde do outro dia, e parti para a casa de Elaine, ela morava com duas amigas, em uma espécie de apartamento, nem tinham muitos moveis, apenas as camas nos quartos, fogão na cozinha, algumas almofadas na imensa sala e a TV de 20 pol., eu estava sentado numa das almofadas conversando com Elaine, e ela me dizia que havia contado para suas amigas o ocorrido lá em casa, e que elas não acreditaram que eu tinha um baita de um pintão, eu fiquei meio sem jeito, mas ela continuou, disse que quando eu falei que se as visse transando eu participaria, eu na hora disse que sim, alias esse sempre foi meu sonho, então ela disse que iria realizar meu sonho, eu fiquei empolgado, mas nem sabia como iria funcionar aquilo, logo chegou Jessica, com vários pacotes na mão, e algumas garrafas de cerveja e um litro de wodka, pensei vai ter festa aqui, mas não disse nada, ela me cumprimentou normalmente, um pouco mais melosa talvez de que nas outras vezes, mas sem exageros, perguntou se eu queria uma cerveja, eu aceitei e ele abriu uma das garrafas me enchendo um copo, ficamos ali conversando e bebendo, Elaine disse que iria tomar um banho e Jessica ficou um pouco conversando balanidades comigo, mas logo saiu para o quarto eu fiquei ali pensando bobagens, imaginava o corpo escultural de Jessica e os seios grandes, quase saltando do decote, já me imaginava chupando eles, escutei risos no quarto e meu coração disparou, tomei o copo de cerveja de uma só vez, e enchi outro, havia se passado uns cinco minutos quando ouvi algo que pareceu um gemido, pensei estar alucinando, foi quando escutei minha prima me chamar, eu dei mais um gole na cerveja e fui até onde ouvira o chamado, era um quarto, bati na porta e ela mandou entrar, quando abri a porta a cena que vi me gelou, e me deu vários tipos de emoções, como um choque elétrico, fiquei estupefato e maravilhado, nunca havia visto duas mulheres lindas gostosas e sensuais com todos os itens de belezas, nuazinhas na cama, Jessica estava sentada na cama e Elaine deitada com as pernas meio abertas, eu fiquei parado e fui acordado pela voz de Elaine, que disse e daí vai ficar ai só olhando, eu mais do que depressa, fui tirando minha roupas e já peguei a mais próxima de mim, que era a Jessica dando-lhe um beijo, e a deitando na cama fui passando a mão em Elaine, elas não perderam tempo em tomar o controle da situação, logo eu estava chupando a buceta de Jessica e ela beijava Elaine, não demorou as duas estava mamando na minha pica e se beijando, eu com a língua atolada na buceta de Jessica, que tremia toda a cada vez que chupava seu clitóris, ficamos nessa brincadeira por vários minutos, até que Elaine trocou de lugar com Jessica, que colocou uma camisinha no meu pinto até riu quando a camisinha só cobriu a meta dele, se ajeitou em cima da pica e rebolando a fez sumir dentro de sua buceta ela cavalgava com maestria, enquanto beijava e alisava a amiga, estava ficando a melhor foda de todas, mas o que estava por vir, iria fazer aquilo se tornar algo que jamais imaginaria em minhas fantasias sexuais, quando olhei ao lado da cama, ali estava uma mocinha, de aparência de índia, corpinho delicado e bem feitinho, cabelos negros os olhos puxados e os lábios carnudos e bem feito, uma beleza fora do comum, estava vestida mas observava tudo com atenção, como se nunca estivesse visto algo assim, ela ficou ali parada por vários minutos, eu a observava e voltava a chupar Elaine, Jessica estendeu a mão para a mocinha, e a chamou pelo nome convidando, vem Tânia, ela relutou lambeu os lábios, já com expressão de tesão por todo o corpo, Jessica insistiu e ela se aproximou, Elaine desbotou a sua blusinha deixando dois peitinhos pequenos e durinhos a mostra, e começou a chupar eles, Jessica deu um beijo nela ao mesmo tempo em que rebolava na minha pica, quando voltei a olhar para Tânia ela já estava completamente nua, sua bundinha arrebitada era muito bonita, a bucetinha quase sem pelos delatava a sua pouca idade, se tivesse 18 anos seria muito, Jessica saiu de cima de minha pica deixando ela em riste, a indiazinha Tânia, não tirava os olhos dele, quando Elaine saiu de cima de minha cabeça eu pude melhor apreciar aquela gatinha, ela estava perto de mim então a puxei e lhe dei um beijo, senti sua fragilidade e a maceis daquela linguinha pequena e ainda tímida, como que se tivesse medo de se mostrar eu passei a chupar seus seios, e Elaine e Jessica estavam se beijando, aproveitei para me deliciar com aquela coisinha meiga de menina, qual ao que parecia ainda era vigem, talvez nunca tivesse estado com um homem, eu a lambia toda, chupava os seios e voltava a beijar, eu desci a mão em sua bucetinha e senti que era pequena e macia, a deitei na cama a deixando de pernas abertas, e comecei a chupar seu grelinho, ela gemia de tesão, Jessica e Elaine voltaram a atenção para ela, enquanto uma a beijava a outra chupava seus peitinhos, e eu enfiava a língua em sua buceta, quando achei que estava pronto, fui subindo doido para possuir aquela gostosura, atiçado por Elaine que abriu as pernas de Tânia com as duas mãos, eu aprumei meu pinto na entradinha da bucetinha, forcei umas duas vezes sentindo algo impedir , mas quando senti que a cabeça ia entrar, ela se contorceu e saiu de baixo, não deixando que eu a desvirginasse, eu não insisti, apenas voltei o pinto para a bunda de Elaine que já estava de quatro na minha frente e enterrei o pinto na sua buceta, fazendo ela gemer de prazer, Tânia veio como que querendo se desculpar por não ter deixado eu arrombar sua bucetinha e começou a me dar beijos e mais beijos me agradando, eu continuei bombeando a buceta de Elaine, que chupava a buceta de Jessica qual chupava a bucetinha de Tânia que me beijava, e nesse ritmo gozamos todos, ficamos um pouco ali deitados, e depois fomos para a sala, por incrível que pareça ninguém se vestiu e ficamos andando pela casa todos pelados, eu nem sabia a que peitos, bundas, ou buceta olhar, sendo que a minha preferida foi a indiazinha, elas fizeram alguma coisa para comermos, comemos e bebemos, horas depois estávamos nós todos transando no meio da sala, dessa vês acho que combinado entre elas, Jessica e Elaine ajudam Tânia a colocar meu pinto dentro dela, ela estava doida para perder a virgindade, só tinha se assustado com o tamanho do meu pau, mas com mais calma e com paciência ela conseguiu enterrar quase todo meu pinto dentro dela,foi bem difícil saiu sangue e tudo, mas no final ela gostou tanto, que mesmo depois das outras duas estarem dormindo, ela queria meter comigo e ficamos nos amassando e metendo a noite toda, de manhã fizemos uma suruba de novo nos quatro, e agora estou namorando serio com a indiazinha Tânia, que não tem nada de índia, eu vou quase toda a noite no apartamento delas, onde ficamos todos pelados e fazendo as maiores sacanagens, inventamos posições, e as vezes umas das meninas esta cozinhando eu vou por trás e atolo meu pinto em sua buceta, outras vezes estou namorando a Tânia e Jessica vem e começa a chupar meu pinto, não sei onde isso vai levar, por que estamos tão confiantes uns com os outros, que não usamos camisinhas, mesmo elas tomando remédios da medo de engravidar alguma delas, eu escutei a Jessica dizer que tem vontade de me dar seu cú, mas esta com medo, a Elaine disse que se ela der ela da também, mas por hora só esta na conversa, no momento estamos viciados uns nos outros e acho que estamos todos apaixonados, por que amo de igual todas elas, mesmo tendo uma leve preferência pela Tânia, e elas juram que não vão arrumar namorado, dizem que eu namoro a Tânia, e a Jessica namora a Elaine, e nos quatro nos namoramos, só quero ver onde isso vai dar

Deixe um comentário

CAPTCHA