A Primeira Vez com um Casal

Para comemorar o término das aulas da faculdade e início das férias, a galera resolveu fazer uma festa em uma área de lazer próximo ao campus. Passamos o dia comendo, bebendo e se divertindo.

Ao cair da noite, alguns foram embora e ficaram apenas os mais “chegados”, que estavam espalhados pela propriedade, alguns nas piscinas, outros nos quartos. Dentre eles estava o Pedro, meu melhor amigo na facul e sua namorada Carol.

Certa hora, quando fui até a cozinha buscar mais uma cerveja, Pedro veio atrás e me chamou para ir com ele até um dos quartos, disse que queria me mostrar uma coisa. E fomos até lá.

Pedro destrancou a porta e entramos. Quando ele acendeu a luz, pra minha surpresa Carol estava deitada sobre a cama, completamente nua. Não acreditva no que estava vendo, que delícia. Eu sempre achei ela uma gata, além de muito gostosa.

Fiquei paralisado em frente a porta, então ela veio até mim e me beijou. Que beijo molhado ela tinha. Com uma das mão apalpou meu pau, que já estava duraço. A safada mordiscou minha orelha e disse baixinho no meu ouvido:

– Bem que o Pedro me disse que era grande.

Nessa hora, lembrei-me que ele estava no quarto. quando olhei O safado estava sentado numa poltrona tomando a minha cerveja e socando uma bronha.

Logo ela chama minha atenção, quando se ajoelha na minha frente, abre meu ziper e tira meu pau pra fora. Ela mordisca seus lábios e de repente cai de boca. Sugando, beijando gostoso meu pau. Eu seguro sua cabeça pelos cabelos e forço para que ela engula meu pau todinho. Que delícia de chupada.

Não demorou muito, Pedro se aproximou da gente e me ofereceu a cerveja. Nesse momento ela parou de me chupar e caiu de boca no seu namorado. Tomei alguns goles da cerveja, enquanto ela o chupava e com uma das mão acariciava meu pau.

Então fui até a poltrona que Pedro estava e me sentei, para ficar assistindo de camarote ela chupando meu amigo. Era como assistir um pornô ao vivo, que tesão.

Meu pau latejava de tanto tesão, percebendo meu desejo por ela. Ela veio até mim, virou de costas e ficou dançando na minha frente, rebolando aquela bunda deliciosa na minha cara. Eu apalvava, dava uns tapinhas até a segurei firme pela cintura e a sentei no meu colo. Ela continou rebolando sentada no meu colo.

Não demorou muito, meu pau que estava trincando axou a portinha da sua xaninha e com o rebolado dela entrou gostoso. Eu a segurei apertando firme seus seios, e que seios ela tinha, grandes e durinhos. Levantei uma de suas pernas e comecei a socar cada vez mais forte, de tanto tesão.

Nessa hora, Pedro se aproxima novamente e se ajoelha na nossa frente e começa a linguar o grilinho dela. Carol enlouquece com a chupada de seu namorado e começa a gemer cada vez mais, e rebolar no meu pau. Pedro motivado pelo tesão dela, cai de boca na xaninha dela e chupa com vontade.

Logo, começo a sentir seu cavanhaque, roçando no meu saco e parte do meu pau. Senti uma sensação incrível, deu mais tesão ainda, metendo nela e sentindo a barba dela roçando nas minhas bolas. Minha vontade era tirar o pau da bucetinha dela e colocar todo melado na boca dele.

Mas não podia arriscar, éramos amigos e nunca percebi nada dele. Estavamos apenas curtindo uma mulher juntos. E assim, procurei evitar qualquer contato com ele.

Louca de tesão com a chupada dele, ela pede para ele se deitar na cama e senta no seu pau e começa a cavalgar. Ele muito safado, abre a bundona dela com as mão e com uma das mão, faz sinal pra eu comer o cuzinho dela.

Mais do que depressa, lubrifico seu cuzinho com minha saliva e começo a forçar meu pau na entradinha apertada do seu cuzinho. Quando a cabeça entra, forço para que entre tudo. Nessa hora a safada dá um grito e um gemido alto, ele a segura firme e eu continuei metendo. O tesão era tanto, que as estocadas eram cada vez mais forte e rápidas. Quando mais ela gemia, mais tesão eu sentia.

Ele começa a gemer também, dando sinal que estava gozando, em seguida ela também fica doida, se estremesse toda, tendo orgasmo duplo. O tesão toma conta do quarto e logo começo a jorrar porra no seu cuzinho. Nunca gozei tanto daquele jeito.

Descançamos um pouco, nos trocamos e voltamos para a festa para não dar muita bandeira.

Aproveitamos mais um pouco a festa, com a intenção de mais tarde voltarmos para o quarto e transarmos juntos até amanhecer. Mas uma das meninas, amiga da Carol, passou mal e ela teve que levá-la para casa.

Com o plano furado, Pedro e eu resolvemos voltar pra República. No caminho de volta, começamos a conversar sobre nossa transa a 3, lebrando do que acabáramos de fazer. Ainda estávamos com muito tesão, que logo deu sinal…

Mas acho que já me estendi muito por hoje.
Se vocês quiserem saber como foi nossa volta pra casa, deixe um comentário ou me envie um e-mail para [email protected], vou ter muito prazer em contar como foi.

Espero que tenham gostado dessa minha experiência, que mudou minha vida.
Abraço

Deixe um comentário

CAPTCHA